«Prev || 1 | 2 | 3 |...| 225 | 226 | 227 |...| 780 | 781 | 782 || Next»

Scrooser, uma alternativa à mobilidade urbana

LuisaoCS

Scrooser, uma alternativa à mobilidade urbana

Scrooser é um projeto Kickstarter que surge como uma bela solução de mobilidade urbana para o indivíduo ambientalmente consciente. Desenhado pela start-up de tecnologia Mobility Solution Company, a Scrooser é baseada em uma scooter clássica, mas com pneus largos. O mais incrível e a gente chega quase a duvidar é que uma carga neste meio de transporte pode durar aaté inacreditáveis 25 dias no ambiente urbano.

O objetivo de 120 mil dólares do financiamento colaborativo já foi praticamente alcançado e as 'recompensas' para os inevestidores dá uma ideia de quanto o veículo pode custar no mercado em maio de 2014 (previsão de lançamento): de 8 a 15 mil reais dependendo do modelo.


Este robô voa exatamente como uma ave

LuisaoCS

Este robô voa exatamente como uma ave

A hipótese do Vale da estranheza aplicada aos robôs voadores: O robô Raven voa e se movimenta no ar igualzinho um pássaro de verdade, inclusive combina momentos de planado e de adejo.

Ele não apenas voa, ele pode realmente manobrar como um pássaro real. Visto de uma distância a gente só pode divisar que é um robô por causa do prateado. Se tivesse uma cor que não refletisse a luz do sol, o robô Raven se combinaria com o céu integralmente.

Este robô pode ter um futuro em operações de vigilância, mas primeiro precisa perder um pouco de peso para levar uma câmera. Talvez, no futuro, não poderemos assumir que todas as silhuetas batendo asas no céu são pássaros reais.

Via | Geek.


Pode o universo ser inevitável e natural ao mesmo tempo?

LuisaoCS

Pode o universo ser inevitável e natural ao mesmo tempo?

O bóson de Higgs foi confirmado estatisticamente no ano passado para alegria da comunidade científica, ira de uns poucos fundamentalistas tontos e perplexidade do restante dos mortais. Uma clara noite de julho de 2012 um grupo de físicos aplaudiram a notícia de que Higgs tinha razão há pelo menos meio século, de que havia algo capaz de fazer com que as partículas elementares adquirissem massa, o que permitia sua conjunção para formar galáxias ou seres humanos. Mas este –o princípio fundamental do universo como conhecemos– não é o fim da história.

Em uma conferência recente na Universidade de Columbia, o físico de Princeton Nima Arkani-Hamed, desenvolveu alguns dos envolvimentos contraditórios da descoberta produzida pelo grande colisor de hádrons resumindo em uma fórmula sintética, não isenta da vertigem da poesia: O universo é inevitável. O universo é impossível"


Confirmado: a água mais antiga do mundo tem gosto muito ruim

LuisaoCS

Confirmado: a água mais antiga do mundo tem gosto muito ruim

Estava a dois quilômetros e meio de profundidade sob a superfície do Canadá e é considerada a amostra de água mais antiga do planeta. Tanto, que sua antiguidade poderia oscilar entre os 1,5 e os 2,6 bilhões de anos, quando a Terra tinha menos da metade da idade que tem agora.

Durante todo este tempo, a água descoberta em uma mina de zinco e cobre do Canadá permaneceu estancada e à margem do ciclo de evaporação, nas fissuras da rocha granítica da mina. Um mês após o achado, uma das autoras do estudo, Barbara Sherwood Lollar, confessou que provou a água e descreveu seu sabor:


Artista controla água e sons através de ondas cerebrais

LuisaoCS

Artista controla água e sons através de ondas cerebrais

Mediante um sensor que transmite suas próprias ondas cerebrais, a artista coreana Lisa Park realizou uma demonstração controlando e movendo água através das ordens enviadas diretamente de sua mente.

O sistema baseado em um auricular EEG (Eletroencefalografia) foi desenhado para rastrear as diferentes freqüências de atividade cerebral, delta, teta, alfa e beta, bem como também os movimentos oculares. Estes dados são convertidos em ondas sonoras e transmitidos através de cinco altofalantes que atuam como suporte dos recipientes de água mostrados no vídeo.


Movendo uma ponte de mais de 3.000 toneladas

LuisaoCS

Este time-lapse mostra como elevaram e moveram as 3.400 toneladas da Ponte Sellwood de Portland (Oregon, EUA): toda uma proeza da engenharia. A razão? Os pilares estavam em péssimo estado e desde há algum tempo era considerada insegura. Mas reconstruir toa a ponte de novo era mais caro do que aproveitar a plataforma existente. De maneira que optaram pela opção mais econômica: construir novos pilares e deslocar a ponte de quase 400 metros de comprimento, uns 20 metros para um dos lados, girando-a levemente para coincidir com o novo desenho da estrada.

Para elevar as mais de 3.000 toneladas empregaram 40 macacos hidráulicos capazes de levantar 150 toneladas cada um.


«Prev || 1 | 2 | 3 |...| 225 | 226 | 227 |...| 780 | 781 | 782 || Next»