«Prev || 1 | 2 | 3 |...| 225 | 226 | 227 |...| 887 | 888 | 889 || Next»

Nova Iorque via drone

LuisaoCS

Os drones quadricópteros têm tudo para mudar o conceito de filmagens aéreas e possibilitar a qualquer um fazer belas tomadas desde as alturas. O problema, por enquanto, são os preços que podem ser bem salgados. Mas tem sempre os sites xing-ling: na Deal Extreme, por exemplo, tem uns modelinhos bem em conta.

Eu comprei um modelo de 150 dólares que faz ótimas filmagens, mas a autonomia é pequena (~10 minutos) e a faixa do controle não passa dos 100 metros. Nada parecido ao modelo que faz essas filmagens sobre diversos pontos de Nova Iorque.

O modelo utilizado é um DJI PHANTOM FC40 -custa mais ou menos uns 3 mil reais aqui no Brasil-, que leva uma GoPro Hero3.


Mirtilo contra o Parkinson

LuisaoCS

Mirtilo contra o Parkinson

Uma equipe de pesquisadores da Universidade Memorial de Newfoundland (Canadá) sugere que esta fruta poderia ajudar a tratar a doença de Parkinson e outro tipo de transtornos neurodegenerativos. Para chegar a esta conclusão os cientistas centraram-se na alfa-sinucleína, uma proteína nuclear e sináptica localizada no cérebro, que demonstrou ser chave no desenvolvimento do Parkinson. Para o estudo, os pesquisadores colocaram este gene em moscas da fruta, provocando com que as moscas experimentassem uma série de defeitos como a degeneração da retina e a redução de expectativa de vida.

Depois disto, decidiram comprovar se o extrato de mirtilo (arando), fruta conhecida por ser rica em fibra, antioxidantes e fitonutrientes, poderia melhorar estes efeitos da alfa-sinucleína. O resultado revelou que as moscas que foram alimentadas com extrato de mirtilo viviam até 15% a mais do que as que tinham seguido uma dieta padrão. Da mesma forma, também melhorou seus problemas oculares, concluindo que os arandos aumentam a vida útil e melhoram os sintomas desta doença em testes realizadas com a mosca da fruta.


Pit Stop: 1950 versus Hoje

LuisaoCS

Neste vídeo de comparação, vemos Bill Holand entrando para um pit stop durante a década de 1950 na Indianápolis 500 (ele terminou em 2º). Naquela época, apenas quatro membros da equipe eram autorizados a trabalhar no carro. Tempo de parada: 67 segundos.

Em seguida, vemos um pit stop da Ferrari 2013 no GP da Austrália, em Melbourne. Eu acredito que o piloto é Fernando Alonso (que viria a terminar em 5º). Tempo de parada: ~ 3 segundos.

Ainda que não seja uma comparação perfeita, é interessante ver a progressão. A equipe de 1950 tinha apenas quatro pessoas para começar, hoje são 11. Além disso, o reabastecimento foi proibido desde 2010 na Fórmula 1, o que certamente acrescentaria mais alguns segundos.


Nossos antepassados eram bons pais

LuisaoCS

Nossos antepassados eram bons pais

A infância dos Neandertais não foi tão dura, curta e perigosa como pensávamos até agora. Pelo menos é o que afirmam arqueólogos do Centro de Paleoecologia Humana e Origens Evolutivas do Departamento de Arqueologia da Universidade de York em um estudo publicado no Oxford Journal of Archaeology.

Para estes especialistas, as crianças desta espécie mantinham em realidade fortes vínculos emocionais com seu grupo social mais próximo.

A arqueóloga Penny Spikins, que coordenou o ensaio, destaca que sua infância era sutilmente diferente da dos humanos modernos. A análise de seus cemitérios sugere que as crianças tinham um papel importante nas comunidades e que aqueles que ficavam doentes ou se feriam recebiam cuidados durante meses ou inclusive anos.


Descobrem um interruptor genético capaz de acabar com a obesidade

LuisaoCS

Descobrem um interruptor genético capaz de acabar com a obesidade

Pesquisadores interdisciplinares do Centro Médico Israelense Beth Deaconess (BIDMC), localizado em Boston, nos EUA, afirmam ter conseguido um grande avanço na luta contra a obesidade: descobriram um "interruptor" genético em forma de proteína capaz de controlar nosso metabolismo. Esta proteína permitiu diminuir drasticamente o desenvolvimento da obesidade e da diabetes em ratos.

Segundo o estudo publicado na revista "Nature", ao manipular o processo bioquímico, baseado nas habilidades das células para queimar energia, poderiam ser desenvolvidos novos tratamentos que permitiriam ajudar os pacientes a perder seu peso.

- "Com esta descoberta, agora temos um meio de manipulação metabólica que poderia ajudar a acelerar a produção de energia e levar à perda de peso", assegura Barbara Kahn, uma das autoras do estudo.

Via | Daily Mail.


Assar a carne com cerveja reduz o risco de câncer

LuisaoCS

Assar a carne com cerveja reduz o risco de câncer

Se precisávamos uma desculpa a mais para beber cerveja, agora temos. Um estudo de uma equipe de pesquisadores da Universidade do Porto, em Portugal, descobriu que marinar a carne do churrasco com cerveja reduz o risco de câncer.

Fazer o churrasco de domingo é tanto um prazer quanto uma tradição, mas este processo, devido à alta temperatura de assamento, provoca a criação de moléculas chamadas hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (HAP) que se encontram em substâncias como o petróleo, o carvão ou o alcatrão, que causam dano ao DNA e aumentam o risco de desenvolver alguns tipos de cânceres.


«Prev || 1 | 2 | 3 |...| 225 | 226 | 227 |...| 887 | 888 | 889 || Next»

Links: