«Prev || 1 | 2 | 3 |...| 115 | 116 | 117 || Next»

Sapos poderiam predizer os terremotos

LuisaoCS

Sapo garimpeiro

A História conta dezenas de casos nos quais os animais foram, de alguma forma, capazes de predizer quando ocorreria um terremoto. O ser humano tem até procurado se cercar de outras espécies que possam dar alertas em caso de um tremor, no entanto, ainda não descobrimos o animal adequado. Agora aparece um novo candidato em potencial: os sapos.


Velocidade da luz: entenda porque nada pode ultrapassá-la

LeoSalgado

Velocidade da luz

Nada consegue ultrapassar 1 079 252 849 de km/h, ou, mais simplesmente, 300 milhões de metros por segundo. Esses números correspondem à velocidade da luz no vácuo, e, quebrar essa barreira é fisicamente impossível. Tudo se deve a uma observação feita por Albert Einstein, em 1905: massa e energia estão intimamente ligadas. Esse legado resultou em uma das fórmulas mais conhecidas do grande gênio, e uma das mais importantes da física: E=mc², uma das fórmulas da misteriosa e famosa Teoria da Relatividade.

Nebulosa Rosetta

LuisaoCS

Nebulosa Rosetta
Foto de Rogelio Bernal (via APOD)

Esta imagem é da nebulosa Rosetta, uma região de formação de estrelas a mais de 5 mil anos-luz na constelação do Unicórnio. A nebulosa, também conhecida como NGC 2237, 2238, 2239 e 2246, embora seja muito fraca para ser vista a olho nu, é muito famosa por causa da sua impressionante forma que lembra uma flor. A Rosetta está no Braço de Perseu e possui um jovem aglomerado de estrelas em seu centro.


Bolhas no oceano para diminuir a temperatura do planeta

LuisaoCS

Mar borbulhante

O professor Russell Seitz, um físico da universidade de Stanford teve uma ideia para baixar a temperatura do planeta e lutar contra a Mudança Climática: injetar ar no oceano para criar micro bolhas e, desta forma fazer com que os oceanos se mantenham frescos e, ademais reflitam a luz do sol.


A poesia da realidade

LuisaoCS

Mais uma melodia, a quinta, do projeto Sinfonias da Ciência ao mesmo estilo do dueto de Carl Sagan e Stephen Hawking. Desta vez eles compilam as melhores frases de cientistas que tentam explicar o que é a ciência e o porque de sua importância através da música. Como sempre, muito bacana.


O Sol e suas proeminências

LuisaoCS

Proeminência Solar

Parece que o Sol ultimamente está mais ativo, mostrando proeminências solares espetaculares que vem sendo captadas em diferentes ocasiões durante os últimos meses por alguns fanáticos observadores do céu. A foto do início deste texto foi feita na semana passada e mostra uma imensa mancha de gás quente que é conhecida como proeminência. Por seu tamanho podem durar até um mês acima da superfície. De fato, 24 horas mais tarde, ainda estava lá.

Estas manifestações de gás são tão grandes que o planeta Terra é menor que o espaço existente entre a proeminência e a superfície do Sol.


Microchip implantado na retina permite deficientes voltarem a enxergar

LuisaoCS

Implante retina

Quantos cientistas são necessários para trocar uma Lâmpada? Quando dita lâmpada é em realidade um implante para estimular os fotorreceptores das retinas e é capaz de devolver a visão a uma pessoa, vários.

A empresa alemã Retina Implant acaba de apontar o uso de um microchip de 1.500 píxels e 3 milímetros de tamanho, que permite recuperar até 12 graus o campo de visão de uma pessoa com um problema de visão específico. O projeto estudou os casos de onze pacientes com retinite pigmentosa, dos quais sete foram operados com sucesso e agora são capazes de distinguir objetos similares e ler textos simples.

O corpo estranho deve ser retirado três meses depois, ainda que um dos pacientes ficou tão satisfeito com o resultado que já o usa há 4 anos e não deseja em hipótese alguma extraí-lo. Infelizmente, por enquanto, o avanço só pode ser aplicado a um número limitado de pacientes que, entre outros requisitos, devem ter perdido a visão de maneira gradual. Só resta dizer que, como em outros aspectos da vida, cada pequena descoberta conta.

Via | Medgadget.


Bits a flor da pele

LuisaoCS

Transmissão de dados corporalOs pesquisadores da Universidade de Seul, na Coréia, não se conformaram somente com a tecnologia wifi. Eles conseguiram transmitir dados através da pele humana a uma velocidade de 10 Mbps.

Na experiência, os eletrodos estavam situados a 30 cm um do outro, em um braço. Estes eletrodos utilizam muita menos energia que a utilizada via RF, como por exemplo mediante a tecnologia Bluetooth. Isso acontece porque as ondas eletromagnéticas de baixa freqüência sofrem menos atenuação através da pele, já que no exterior há mais interferências. Por isso, necessitam menos potência para serem transmitidas.

Os benefícios desta tecnologia se aplicariam sobretudo à medicina: medir a taxa de açúcar no sangue, monitorar a atividade elétrica do coração... Em pacientes que necessitam destes cuidados 24 horas por dia seria extremamente útil, já que seus aparelhos consumiriam menos baterias. Em concreto até 90% menos. Também não precisariam cabos entre os sensores e os receptores de dados, tudo seria transmitido por sua própria pele. Além destes sinais vitais, asseguram que, em um futuro próximo, também poderiam medir eletro-encefalograma de maneira constante.

Imaginem que coisa mais genial conectar-se a internet só metendo o dedo em um buraco do roteador. Só faltariam uns óculos 3D de realidade aumentada para podermos ter nosso próprio HUD, com o nível de vida, como nos videogames.

Via | NewScientist.


Síndrome de Down revela uma chave para combater o câncer

LuisaoCS

Sindrome de Down.jpg

As pessoas com síndrome de Down muito dificilmente desenvolvem o câncer, uma peculiaridade que levou alguns pesquisadores americanos a estudarem este fato até que chegaram a um dos motivos: têm cópias adicionais de um gene que ajuda a evitar que os tumores se alimentem de si mesmos.

Átomos de hidrogênio, por enquanto, impediriam o salto ao hiperespaço

LuisaoCS

Velocidade Hiperlumínica

O cientista William Edelstein comentou que a velocidade hiperlumínica, tal e qual aparece em filmes como Starwars ou Star Trek, seria fatal no mundo real por culpa dos átomos de hidrogênio que existem no espaço. Estes átomos não são problemáticos enquanto as naves viajam lentamente. Não obstante, viajar quase à velocidade da luz e colidir com estes átomos -há dois átomos de hidrogênio para cada centímetro cúbico de espaço- lhes transformaria em letais minas espaciais.

Ocorreu a Edelstein pensar pela primeira vez neste problema quando seu filho lhe perguntou se existia fricção no espaço. Precisamente seu filho, que agora é adulto, ajudou-o a calcular que os tripulantes de uma nave viajando a 99% da velocidade da luz, experimentariam uma dose de hidrogênio de 61 sieverts por segundo. Se não sabe, para matar um humano basta uma dose 10 vezes menor.

Com esses níveis de radiação, os astronautas do hipotético Falcão Milenar experimentariam algo parecido a receber um feixe de partículas altamente carregadas proveniente do LHC.

Bem ,podemos pensar que quando chegue o momento de entrar no hiperespaço contaremos com escudos eletromagnéticos como os de Star Trek, mas o caso é que para isso precisaremos forrar a nave com paredes bem largas de chumbo, material que não se destaca propriamente por seu peso.

Enfim, algo me diz que o salto ao hiperespaço não vai ser precisamente "um pequeno passo para o homem".

Via | Yahoo News.


«Prev || 1 | 2 | 3 |...| 115 | 116 | 117 || Next»

Links: