«Prev || 1 | 2 | 3 |...| 115 | 116 | 117 || Next»

Mudar de ideologia política é difícil por causa do seu cérebro

LuisaoCS

Mudar de ideologia política é difícil por causa do seu cérebro

Em alguns casos, as ideias políticas são como as religiosas: estão tão enraizadas que dificilmente são alteradas pelo longo de nossa vida. O problema é que nem todo mundo acerta, de modo que há um bom número de pessoas que passam toda sua vida presos em ideias errôneas. E nem sequer os melhores argumentos racionais servem para que se dêem conta disso. O problema parece residir nos nossos neurônios: nascemos para ser assim.

Uma pesquisa do Instituto do Cérebro e Criatividade da Universidade do Sul de Califórnia, realizada mediante ressonâncias magnéticas em 40 pessoas, tinha o objetivo de detectar a força das convicções antes e após apresentar dados contra suas crenças para, posteriormente, analisar as regiões cerebrais associadas com a resistência a mudar de opinião.

O que os pesquisadores descobriram é que é mais fácil mudar de opinião em áreas não políticas que nas ideias políticas. A amígdala e o córtex insular estão implicadas nisso: quando são ativados se é menos provável que a pessoa mude de opinião, isto é, as mesmas regiões que se ativam ao recebermos ameaças a nossa integridade física.

Mudar de crenças, pois, parece ser mais um processo mais emocional do que cognitivo ou racional. Outra estrutura cerebral que é ativada quando nossas ideias são questionadas é a rede neural em modo padrão, que segundo um estudo prévio indicou que também se ativa quando as pessoas com crenças religiosas são questionadas. De modo que muito cuidado com crenças políticas. E religiosas. Não confie muito em nenhuma delas.

Via | Vox.


Todos os terremotos entre 2001 e 2015, animados dia a dia sobre o globo

LuisaoCS

Esta animação de Science on a Sphere (parte do NOAA) mostra todos os terremotos que registrados entre 2001 e 2015 com círculos de diferentes tamanhos segundo sua magnitude (as cores indicam a profundidade; vermelho = mais superficial; verde-azul-roxo = mais profundo). É bem ilustrativo de como ficam marcadas as zonas limítrofes das placas tectônicas, que são as que, quando se movem o colidem, produzem os tremores de terra. Também impressiona o efeito time-lapse ao comprimir o tempo em apenas uma foto que mostra o que aconteceu em cada dia de todos esses anos.

Impressionam também os terremotos maiores, como os de Sumatra/Indonésia (2004) ou o de Japão (2011), o do Chile (2010), que produziram terríveis perdas humanas sobretudo pelos efeitos dos maremotos associados.


Os mais horríveis parasitas do mundo

LuisaoCS

Doenças tropicais negligenciadas, também conhecidas como DTNs, são um grupo de doenças radicais endêmicas especialmente entre as populações mais pobres dos países de terceiro mundo. Embora eles não sejam tão relatadas pelas redes de notícias, como doenças mais flamejantes como o ebola, elas ainda representam uma grande ameaça para muitas pessoas ao redor do mundo, razão pela qual a indústria farmacêutica finalmente decidiu acabar com elas de uma vez por todas.

Confira este vídeo realizado pelo genial coletivo Kurzgesagt para saber mais sobre esses parasitas desagradáveis, que afetam mais de um bilhão de pessoas em 149 países, principalmente os indigentes que vivem em áreas remotas, e como um grupo dedicado de indivíduos está trabalhando para um futuro livre das DTNs. Habilite as legendas se necessário.


Chimpanzés selvagens estão usando varas de pesca para recolher algas dos rios

LuisaoCS

Chimpanzés selvagens estão usando varas de pesca para recolher algas dos rios

O domínio da tecnologia pelos chimpanzés avançou para o próximo nível, depois que os pesquisadores descobriram grupos de primatas usando varas para pegar algas de um rio. Descrevendo o comportamento no American Journal of Primatology, os autores do estudo dizem que os chimpanzés engenhosos usam a técnica para acessar uma fonte de alimentos altamente nutritivos que só está disponível em certas épocas do ano.

Os cientistas da Floresta Classificada de Bakoun na Guiné ficaram curiosos quando notaram longas varas próximas as margens dos rios e riachos e decidiram instalar 11 câmeras para investigar como chegaram lá. Para sua surpresa, descobriram que os chimpanzés locais estavam usando as ferramentas para pescar algas dos leitos dos rios.


Escutar esta canção reduzirá sua ansiedade em 65%

LuisaoCS

A ansiedade presume hoje ser quase onipresente entre as pessoas, ao menos entre as que vivemos em grandes cidades, hiperconectados às redes e com um estilo de vida regido pelo consumo, trabalho e/ou entretenimento. Esta condição, de viver ansioso, transformou-se em uma espécie de prisão que traz tristes consequências para nossa saúde física e mental. Talvez por isso tenha massificado a busca de ferramentas ou recursos que nos permitam enfatizar a ansiedade e assim viver muito melhor do que vivemos.

Por outro lado, há séculos, a música converteu-se em um dos melhores acompanhantes do ser humano, um estímulo formoso com o qual pode adereçar seu caminho e ao mesmo tempo um catalizador de estados de humor: recordemos que a música pode nos ajudar a superar a tristeza ou a mergulhar nela de vez, nos tranquilizar ou ativar, incentivar a criatividade ou inclusive a curar doenças com maior rapidez. Neste sentido não deveria nos surpreender que dentro do contexto atual, com a ansiedade como uma das deidades contemporâneas, existam peças musicais que possam contribuir significativamente a combatê-la.

Uma equipe de pesquisadores do Minlab International propôs-se encontrar as peças musicais que mais ajudam contra a ansiedade. Entre as obras que reuniram e analisaram com voluntários, os neurocientista descobriram uma em particular que demonstrou resultados espetaculares. De fato, comprovaram que escutá-la reduziu em média 65% os níveis de ansiedade das pessoas.

Os efeitos calmantes desta peça, composta por Marconi Union, são mais surpreendentes se considerarmos que o trio britânico a compôs, ou melhor dito desenhou, explicitamente para conseguir tais resultados. De fato "Weightless" foi considerada há um par de anos como a "canção mais relaxante da história".

Em todo caso recomendamos que a tenha sempre perto para que comprove escutá-la nesses momentos de muita ansiedade, estresse ou insônia, que lamentavelmente são cada vez mais frequentes. Os resultados são surpreendentes: apenas feche os olhos, concentre-se nos sons e goze a sensação de leveza que este track fornece (ainda que o vídeo seja igualmente hipnótico).


Esta é a forma como cresceu a população em dois mil anos

LuisaoCS

Com seus altibaixos, em dois mil anos passamos de ser 170 milhões de seres humanos a 7,5 bilhões, e para o ano 2100, se continuarmos neste ritmo, já atingiremos a cifra de 11 bilhões de seres humanos.

A questão é que a cada vez crescemos à mesma velocidade, por isso de 1 bilhões passamos a ser 7,5 bilhões de habitantes em pouco mais de dois séculos. No vídeo acima realizado pelo Museu de História Natural dos Estados Unidos é possível ver esta realidade de uma forma mais gráfica.

Basicamente, a responsável por este crescimento será a África, cuja população se espera que duplique. A população em 29 países crescerá mais do que o dobro. Quase todos estes países se encontram na África. Em Niger, o país com a maior taxa de natalidade, a população será mais do que triplo da atual. Em países da África subsaariana, com médias de seis filhos por mulher.

Serão limites insustentáveis? Em realidade, não sabemos com segurança. Como assinala o economista Paul Romer no livro de Steven Pinker, "The Blank Slate":

"Todas as gerações perceberam os limites ao crescimento que resultariam de recursos finitos e efeitos secundários não desejáveis se não descobrissem novas fórmulas ou ideias. E todas as gerações subestimaram o potencial para encontrar novas fórmulas e ideias. Sempre foi constante a incapacidade de compreender quantas ideias restam por descobrir."

O besouro Trilobita

LuisaoCS

Este escaravelho estranho e antigo só foi visto algumas vezes nos últimos dois séculos e as fêmeas podem ser consideradas um fóssil vivo, mas o explorador da National Geographic, Mark Wong, encontrou este insano inseto rastejando pela selva em Cingapura.


Parece que o solo arde, mas em realidade a natureza está fazendo algo fascinante

LuisaoCS

A natureza é uma desenhadora muito inteligente e a evolução, sua principal ferramenta. Ao longo de milhares de anos, esta incansável arquiteta soube construir todo tipo de engenhosos mecanismos para assegurar a vida e a biodiversidade.

O reino dos cogumelos é um de seus grandes sucessos. Com mais de 100.000 espécies diferentes, os cogumelos fungos são capazes de crescer em quase qualquer habitat, incluindo os mais extremos, como o deserto.

As cogumelos, tal e como as conhecemos, são em realidade o órgão reprodutivo do fungo. E neste caso, também a natureza soube desenvolver uma incrível variedade de cores, formas e tamanhos, adaptados ao meio em que crescem; algumas delas, tão belas como mortais.

Neste vídeo mostramos a engenhosa manobra reprodutiva dos puffballs ou "bufas-de-lobo", um curioso cogumelo que ao mínimo impacto estouram liberando suas esporas em forma de pó.

Graças a sua sensibilidade, as bufas-de-lobo são capazes de estourar ante o impacto das gotas de chuva, liberando as esporas no melhor momento possível, quando as condições de umidade permitirão seu crescimento. Não perca.


Veja o que acontece quando alimentam um bicho-da-seda com grafeno

LuisaoCS

Veja o que acontece quando alimentam um bicho-da-seda com grafeno

Dizem que o grafeno, um material bidimensional integrado por átomos de carbono que se organizam em hexágonos, será um dos materiais do futuro para obter toda classe de maravilhas. No entanto, se dermos um pouco de grafeno para um bicho-da-seda comer, também podemos obter algo muito interessante.

O que fazem as lagartas é começar a fabricar, como se fossem homem-aranha, seda bem mais resistente, uma super-seda que conduz eletricidade e suporta 50% mais tensão antes de se romper. Pois se não fosse o bastante, os cientistas carbonizaram a seda a 1.050º.

Este estranho experimento foi realizado por pesquisadores da Universidade Tsinghua de Pequim, em um estudo publicado na revista Nano Letters. Para alimentar os bichos-da-seda, enriqueceram folhas de amoreira (o único alimento consumido por este inseto) com grafeno, aspergindo as folhas com uma solução aquosa que continha 0,2% de grafeno.

A seda que fabricam naturalmente as larvas, então já sai reforçada com carbono, apresentando uma estrutura cristalina mais ordenada se for observada sob o microscópio.

A descoberta é espantosa e abre as portas para futuras pesquisas. Mas, ademais, ainda ignoram como o bicho-da-seda consegue metabolizar o grafeno e incorporá-lo à seda que fabrica. Pelo momento, esta nova super-seda poderia começar a ser usada na medicina, por exemplo, como parte da elaboração de implantes biodegradáveis, e no desenvolvimento de tecidos inteligentes ou os wearables.

Via | Phys.


Leite do diabo poderia ser a arma definitiva contra as superbactérias

LuisaoCS

Leite do diabo poderia ser a arma definitiva contra as superbactérias

O diabo ou demônio-da-tasmânia (Sarcophilus harrisii) é uma espécie de marsupial que habita a ilha da Tasmânia, e cujo leite poderia ser uma arma definitiva em nosso combate contra as superbactérias.

Segundo um estudo de uma equipe de pesquisadores da Universidade de Sydney, publicado na Nature, este leite tem alguns peptídeos (moléculas formadas pela união de vários aminoácidos) antimicrobianos que podem neutralizar algumas das infecções bacterianas mais letais.

Esta capacidade foi replicada em laboratório depois de escanear seu genoma, o que permitiu obter de forma artificial estes peptídeos antimicrobianos.


«Prev || 1 | 2 | 3 |...| 115 | 116 | 117 || Next»

Links: