«Prev || 1 | 2 | 3 | 4 |...| 19 | 20 | 21 || Next»

Google vende Motorola a Lenovo por 2,91 bilhões de dólares

LuisaoCS

Google vende Motorola a Lenovo por 2,91 bilhões de dólares

Notícia bombástica para um começo de ano: a Google vendeu a Motorola à Lenovo por 2,91 bilhões de dólares, em uma operação na qual a empresa chinesa vai pagar 660 milhões de dólares em numerário, outro 750 milhões em ações e os 1,5 bilhões restantes em prestações durante os 3 próximos anos.

Com esta compra estratégica, Lenovo pretende que sua divisão de dispositivos móveis ganhe presença nos mercados ocidentais, onde até agora estava ausente. Apesar de que em 2013 tenha comercializado 45 milhões de smartphones e melhorou seus resultados em quase 90% com respeito ao exercício anterior, a prática totalidade das vendas foram na China.


Vídeo mostra como a mídia americana repete a mesma mensagem consumista até o ridículo

LuisaoCS

O comediante Conan O’Brien transmitiu este vídeo em seu programa, fazendo troça dos conteúdos direcionados das notícias, como se estas fossem obras de teatro baratas. No clipe mostrado podemos ver como os âncoras de telejornais de quase todas as redes conhecidas nos Estados Unidos repetem a mesma mensagem em um segmento de "Consumer News" (sim, existe esta temática central nos noticiários: notícias do consumidor!): "Tudo bem, pode admitir se comprou um ou dois artigos... ou 10 para você".

Ao que parece trata-se de uma piada ou agenda compartilhada entre todas as redes e não é preciso ser Roland Barthes para detectar que é basicamente uma apologia ao consumo, dirigida àqueles consumidores que talvez não tenham uma vida familiar tão natalina, mas que podem ser captados para comprar artigos para eles mesmos e liberá-los desta culpa (a de se comprar muitas coisas para eles).


Google compra Boston Dynamics e lança-se à robótica

LuisaoCS

Google compra Boston Dynamics e lança-se à robótica

Em um movimento mais do que sugestivo, Google anunciou a compra da Boston Dynamics, empresa de robótica que desenvolveu vários projetos militares com robôs quadrúpedes e bípedes em parceria com a DARPA, e que na mão do gigante da internet começaria atividades mais afastadas do mundo bélico, explorando opções de integração de robótica avançada na vida diária e em empresas.

A cargo do projeto fica Andy Rubin, o mesmo que esteve até há algum tempo cuidando do bem sucedido projeto Android, e que a partir de hoje estará supervisionando a criação de futuros robôs por parte do Google.


Se um empregado da Google morre, sua família fica bem amparada

LuisaoCS

Se um empregado da Google morre, sua família fica bem amparada

Em um setor que move tanto dinheiro como o das novas tecnologias, com multinacionais que ganham regularmente somas astronômicas anuais como a Apple, Microsoft, Samsung ou Google e nas quais os engenheiros mais qualificados recebem salários que superam folgadamente os 300 mil reais ao ano, às vezes, os pequenos detalhes são os que marcam as diferenças que podem fazer com que um empregado se decante por uma oferta de trabalho em um lugar em vez de outra.

Gestos como o da Google, que desde o passado exercício ativou uma cláusula nos contratos de todos e cada um de seus mais de 34.000 empregados, independentemente do cargo e responsabilidade que exerçam, graças à qual, em caso de falecimento, suas famílias seguem recebendo a metade de seu salário durante os seguintes 10 anos, podem fazer uso imediato das ações que tenham e percebem 1.000 dólares mensais a mais por filho até que estes completem 19 anos (ou 23 no caso que sejam estudantes em tempo integral).

Alguns benefícios que se somam aos que oferecem no dia a dia (como também fazem outras grandes empresas do setor) tais como serviços de restaurante, cabeleireiro, previdência médica, creche, academia, salas de massagens ou atividades de lazer totalmente gratuitas nas grandes instalações que dispõem em cidades como Mountain View, Zurique, Tel Aviv ou Tóquio.

Via | Forbes.


Microsoft compra a Nokia

LuisaoCS

Microsoft compra a Nokia

Sem dúvida é uma das notícias do ano, mas sinceramente constitui tanta novidade quanto a Microsoft anunciar que assumirá oficialmente o controle do Yahoo!. Mas agora a Microsoft acaba de tornar pública a compra da divisão de dispositivos e serviços da Nokia e um acordo para a licença de suas patentes durante um período de 10 anos por um montante total de cerca de US$ 7,2 bilhões (R$ 17 bilhões).

Com esta operação a Microsoft passa a ter controle direto sobre o desenho e fabricação da gama de smartphones da companhia finlandesa e assegura sua presença em exclusiva com Windows Phone, pondo ponto e final para sempre aos rumores que apontavam a um possível desembarque do Android no Nokia.


Outra conquista da era digital? Fundador do Amazon compra o The Washington Post

LuisaoCS

Outra conquista da era digital? Fundador do Amazon compra o The Washington Post

Jeffrey P. Bezos, fundador do Amazon, adquiriu ontem o emblemático diário The Washington Post pela soma de 250 milhões de dólares, uma compra que talvez confirma o inevitável trânsito dos meios impressos ao mundo digital.

O anúncio provocou verdadeiro reboliço não só pela importância histórica do diário -entre outros momentos significativos, no Washington Post começou a queda de Richard Nixon, ao publicar em suas páginas os vazamentos que depois ficaram conhecidos como "Watergate"-, senão pelo próprio estado moribundo da imprensa escrita, cuja única salvação é se encaminhas a passos céleres para o terreno do digital.

Neste sentido destaca que uma das causas pela qual a família Graham decidiu vender o diário, após três gerações que o dirigiram, é a crise econômica que não conseguiram superar já que em anos recentes houve uma debandada de anunciantes para a Internet, entre outras circunstâncias de nossa época que converteu a rede na fonte principal de acesso à informação, relegando ao segundo plano meios como os jornais e as revistas.

A revista The Atlantic, uma das de maior linhagem nos Estados Unidos, reflexiona sobre se a aquisição de Bezos marca o fim de uma era; não só do jornalismo tradicional cedendo ao digital, senão do jornalismo de investigação, como caracterizou em seu momento ao Post -mas que já não era mais rentável-, cedendo à dinâmica dos snippets, própria da atenção fragmentada de nossa era.

Via | NY Times.


«Prev || 1 | 2 | 3 | 4 |...| 19 | 20 | 21 || Next»