Obama despede-se do plano para voltar à Lua

LuisaoCS

Tal como andaram comentando pela rede este final de semana, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, decidiu desfazer-se do plano da NASA para voltar a levar um homem à Lua. O mandatário apresentou hoje de manhã orçamento da nação para o ano fiscal que termina em 30 de Setembro de 2011, e que deve ser discutido e aprovado pelo Congresso, onde eliminam o plano Constellation.


Buzz Aldrin na Apolo XI
Foto de Buzz Aldrin feita por Neil Armstrong em 1969 na Lua.

A NASA trabalhou por anos em um plano para substituir as naves espaciais, que aposentarão este ano após completar 5 missões que buscam terminar a construção da Estação Espacial Internacional, trabalho colaborativo com 16 países.

O programa Constellation, que tentava substituir as naves e colocar um homem na Lua em 2020 será cancelado e os fundos que orçados serão destinados a pesquisa e preparação para uma eventual missão humana a Marte.

A NASA recebe atualmente US$18 bilhões ao ano, e para manter o programa precisaria de três bilhões anuais a mais. Parte do programa Constellation é a construção da cápsula Orion, que montada sobre o foguete Ares I permitiria o transporte dos astronautas a diferentes destinos no espaço.

O orçamento de Obama termina com este plano, deixando a construção abandonada e os Estados Unidos sem transporte espacial.

A alternativa proposta é que o governo transpasse o transporte espacial ao setor privado, fazendo com que a NASA compre passagens para que seus astronautas e a carga sejam transportados. Atualmente, os Estados Unidos já faz algo parecido e paga US$50 milhões por um assento a Rússia para que levem um de seus astronautas à Estação Espacial.

Por um lado, dizem que este corte fará com que os Estados Unidos retroceda nos avanços espaciais, e que o país deixe de ser uma peça importante nos vôos espaciais no futuro próximo. No entanto, os motivos econômicos parecem ser mais fortes.

No mesmo orçamento, Obama previu que o déficit fiscal aumentará US$100 bilhões em 2011, chegando a níveis da pós-guerra, a US$1,56 bilhões, ou 10,6% da economia do país. O déficit manteve-se alto devido às medidas que foram tomadas contra a crise econômica, como cortes de impostos e empregos de emergência.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

O homem já pisou na lua? Tá bom, eu acredito em papai noel. rs

Ele já foi pra lua alguma vez? eu nem sabia...

E tbm nao sabia q o Mdig tinha um amigo, Ndig. Legal!!

Deixe um comentário sobre o artigo