Apple esclarece dúvidas sobre famoso arquivo de registros de localização

LuisaoCS

Pesquisadores descobrem que IOS4 armazena todos seus movimentos

A famosa descoberta dos pontos de localização registrados deixou você com a pulga atrás da orelha quanto as intenções da empresa de Cupertino? Pois a Apple diz que tem resposta para isso e tenta esclarecer todo o alvoroço causado pelo trabalho de pesquisa realizado pelos pesquisadores britânicos, afirmando que em nenhum momento a companhia criou esse arquivo para seguir a localização geográfica dos usuários do aparelho, mas sim para registrar pontos WiFi e torres de telefonia móvel visando criar uma base de dados que ajude aos celulares realizarem um cálculo de localização por triangulação de maneira mais rápida e efetiva, já que desta forma teria em seu poder os pontos de acesso mais próximos sem necessidade de realizar uma consulta a dados para sua comprovação.


O erro está, e eles mesmos confirmam, em guardar um registro com um período de todo um ano, uma ação que levantou ainda mais suspeitas dos mais críticos, e que a Apple pretende corrigir até reduzir para um período de uma semana. Ademais, existe outro ponto a mais que também prometeram corrigir, já que o celular seguia registrando os pontos tendo a opção de localização desativada, uma ação que torna a despertar certa desconfiança no aparelho. A atualização que solucione estes problemas (incluindo um sistema de encriptação no famoso arquivo) deverá ser liberado nas próximas semanas, de modo que volto a informar a respeito assim que saiba de algo.

Se vira nos 30. A empresa deve ter recompensado muito bem o espertalhão que arrumou tão boa justificativa. De qualquer forma a empresa deverá agora se virar para melhorar o sinal de seus aparelhos sob suspeita de que continua mentindo e violando a privacidade de seus usuários.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

Uma ferramenta vira arma dependendo quem usa.
Pode ser essa desculpa - esfarrapada? - pode ser mesmo para outras coisas.

É o "outras coisas" que me preocupa.

Deixe um comentário sobre o artigo