Ridículo! Imprensa alemã quer que o Google pague por linkar suas manchetes

LuisaoCS

Ridículo! Imprensa alemã quer que o Google pague por linkar suas manchetes

A mídia convencional já não sabe mais para onde apelar ou atirar para voltar a época quando faziam dinheiro fácil vendendo notícias, das quais muitas vezes não tinham autoridade. Este parece ser o caso das editoriais alemãs que há anos vem solicitando que paguem "direitos conexos" ou relacionados pela publicação e uso de seus artigos na internet. Após pressionar, propuseram um projeto de lei que obrigaria os buscadores -como o Google- pagar por publicar um títulos e um parágrafo de texto que acompanhem um link (exatamente como mostram os resultados da busca), correspondente a um conteúdo de uma revista ou jornal.

Isto implica que Google poderia publicar o link apenas sem nenhum texto, sem ter que pagar, mas isso deixaria o link sem nenhum contexto e as pessoas que busquem não teriam ideia de onde iriam se clicasse nele.


- "Uma lei como esta não protege ninguém e causa um problema para todos -usuários, editoriais, buscadores e também à economia alemã-", assinalou Kay Oberbeck, chefe de comunicações para o norte da Europa. Segundo diz, Google deriva ao redor de 100.000 cliques por minuto para sites de editoriais, "que podem aproveitar para si mesmos", indicou.

Os editoriais alegam que Google ganha dinheiro listando os conteúdos que eles produzem, e deveria compensá-los por isso. No entanto, Google aponta que as empresas se beneficiam ao aparecer no buscador e que através do AdSense inclusive pagam mais de sete bilhões de dólares ás empresas editoriais no mundo por este item.

E se o Google eliminar os resultados de busca? As pessoas irão ler os diários ou simplesmente deixarão de lê-los?

O projeto de lei está em seu terceiro rascunho, e em realidade vem sendo "eufemizado" em relação ao primeiro proposto, onde buscavam implementar um "copyright auxiliar", que forçaria as empresas a pagarem direitos de licença aos editoriais por usarem seu material. Por exemplo, se um trabalhador lesse um jornal on-line em seu posto de trabalho, a empresa onde trabalha deveria pagar os editoriais.

Por suposto que as companhias não aceitaram e o projeto teve que ser modificado, chegando no ponto de que agora só ataca os buscadores na internet.

Não é a primeira vez que propõem ideias deste tipo para sustentar a imprensa convencional através de outros meios. Rupert Murdoch já gastou alguns milhões tentando criar mecanismos de controle da rede via mídia arcaica. Produzir notícias on-line não é fácil de financiar, mas não parece que este tipo de projetos rocambolescos sejam a melhor solução.

Via | GigaOm.


 

Comentários

São burros, se o google tiver que pagar para linkar eles, então o google simplesmente pode parar de indexar a droga do site deles. Vai ser como se não existisse, morte certa. Tiro no pé.

Deixe um comentário sobre o artigo