O preço da estupidez: Instagram perde quase metade de seus usuários mais ativos

LuisaoCS

O preço da estupidez: Instagram perde quase metade de seus usuários mais ativos

Em meados de dezembro passado falávamos sobre a intempestiva tentativa do Facebook, depois de adquirir o Instagram, de capitalizá-lo a qualquer custo, o que resultou em um grande tiro no pé. Foi assim que o Instagram teve um final de ano acidentado após anunciar seus novos termos de uso. Muitos usuários, lógico, interpretaram como se o Instagram fosse vender suas fotos e informação aos anunciantes e cancelaram seus cadastros do serviço [ainda que depois] a empresa disse que tudo tinha sido um mal entendido [e recuou; de modo que não foi um mal entendido senão uma grande cagada].


O episódio parece ter causado um grande estrago no Instagram. AppStats, que rastreia usuários ativos de aplicações conectadas com o Facebook, afirma que Instagram perdeu gradualmente usuários ativos diários durante o último mês. O Instagram tinha mais de 15,6 milhões de usuários ativos diários ao dia em 15 de dezembro. Um mês mais tarde, o número situa-se em torno dos 9 milhões de usuário ativos ao dia, um descenso de 42%... e caindo. Este descenso faz referência aos usuários que se mostram ativos no Instagram diariamente. Isto é, os que mais utilizam.

Já os usuários ativos mensais, aqueles que fazem uso do Instagram ao menos uma vez ao mês, o serviço para compartilhar fotografias adulteradas cresceu de 41,5 milhões até os 46,1 milhões de usuários nesse mesmo período. De maneira que os conhecidos paraquedistas, possivelmente que não viram os termos de uso, aumentaram.

A mudança nos termos de uso de Instagram se tornará efetiva nesta semana e a única forma de não aceitá-los é apagando a conta. Ainda que depois da retificação desde Instagram a mudança não indique nenhuma variação significativa -ao menos por agora- com respeito aos que já existiam.

Via | Wired.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

e eu errei a matéria

escreveu Indiéis ao invés de infiéis lá em cima

Deixe um comentário sobre o artigo