Algumas teorias de porque sentimos nostalgia

LuisaoCS

Algumas teorias de porque sentimos nostalgia

A nostalgia, que não é o mesmo que tristeza nem melancolia, é uma substância que invade a todos. Mas, por que sentimos nostalgia por algumas coisas e não por outras? Que diz de nós nossa nostalgia?

A nostalgia é um fenômeno dificil de explicar, mas que todos sentimos ao longo de nossas vidas. Poderia ser definida como uma maneira de recordar o passado afetivamente, com um pouco de dor. Aliás o termo "nostalgia" foi acunhado por Johannes Hofer em 1688 que uniu duas palavras gregas: "regresso a casa" e "dor". Naquela época a nostalgia era considerada como um sintoma grave. Afetava tanto os soldados que a única maneira de curá-lo era mandando os de regresso para casa. E os marinheiros foram sempre os portadores máximos desta substância, com saudades perpétuas de casa.


Psicologicamente acreditam que recordar, e formar um vínculo com quem eras antes, tem muitas vantagens. Permite conectar todos os eventos (o que fazia, o que era, seus amigos, seu trabalho, sua música...) e tornar as transições de sua vida menos dolorosas. Levar contigo sempre um tipo de pacote afetivo da pessoa que deixa de ser. Alguns estudos indicam que na velhice a nostalgia pode ser mais forte do que nunca. Mas, por que não sentimos nostalgia por todo nosso passado? Por que escolhemos alguns momentos e não outros?

Uma maneira de explicar é mediante a curva de recuperação de memória. É um esquema que mostra a linha de lembranças autobiográficos e que revela em que períodos da vida temos mais reminiscência. Segundo estes estudos, o período em que mais codificamos memórias se situa entre os 15 e 30 anos. Podem notar, que estas são as que, normalmente, geram mais nostalgia: além de que a juventude é quando nosso corpo e mente estão mais frescos, é o momento em que vamos formando nossa identidade como pessoas autônomas e quando acontecem toda sorte de acontecimentos. Ainda que cabe mencionar que a nostalgia pode também ser uma forma de idealizar o passado. É que ás vezes acontece de desfrutarmos mais de uma lembrança, do que da própria vivência.

A outra maneira de explicar nossa seleção de lembranças é que elas estão completamente influenciadas por nossas emoções e desejos. Somos essencialmente narradores de uma história. Contamos para nós mesmos todos os dias, todos os momentos os acontecimentos que escolhemos não cortar da edição psíquica (conciente ou inconsciente) e assim vamos tecendo a teia de nossa identidade. Algo assim como: diga me porque lembranças sente nostalgia e te direi, não quem és, mas talvez quem desejas ser.

Via | Why Do We Feel Nostalgia?.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

É aqui também, fanmdig. Vim aqui procurando por alguém que também sofresse o mesmo, ha.

Luisão, há algo de errado no outro site?(mdig)?
to tentando que nem loco entrar lá, mas não consigo

aqui fala que está com um malware, e pelo visto deve ser só aki mesmo \=

Deixe um comentário sobre o artigo