As 5 maiores contribuições de Carl Sagan à Ciência

LuisaoCS

As cinco maiores contribuições de Carl Sagan à Ciência

No dia da sua morte o presidente da Academia Nacional de Ciências dos EUA disse que Carl Sagan, mais do que qualquer outro cientista contemporâneo, soube despertar a paixão popular e mostrar a maravilha e a importância da ciência. Criador da inesquecível série de televisão "Cosmos: uma viagem pessoal", também foi agraciado com o Pulitzer e contribuiu para algumas das missões mais importantes da NASA nos anos 70 e 80.

Claro, Sagan tinha um monte de defeitos. Dizem que era maconheiro, um narcisista incorrigível e um pai irresponsável. Bem, pelo menos até a meia-idade, quando conheceu sua terceira esposa, Ann Druyan, que aparentemente o colocou nos eixos e quando seu trabalho de divulgação científica realmente rendeu.

No entanto, antes de morrer de pneumonia em 20 de dezembro de 1996 aos 62 anos, depois de uma batalha de dois anos com uma rara e grave doença na medula óssea (mielodisplasia), Sagan mudou a face da ciência moderna, a partir de sua pesquisa inovadora para seus trabalhos mais vendidos de não-ficção. Depois do salto descompactamos cinco das maiores contribuições de Sagan para a ciência.


  1. Cosmos, uma viagem pessoal. Uma série que deveria ser de visualização compulsória para todo mundo. Com seu carisma inigualável fez com que muitos se apaixonassem pelo espantoso universo e que ademais entendessem que sim é possível explicar conceitos muito complexos de forma amena e nem por isso menos rigorosa. Esperamos ansiosos a estreia da sequência de Cosmos, que deve ser apresentada por Neil deGrasse Tyson, no início do próximo ano.

  2. A exploração espacial, pois Sagan trabalhou em numerosas missões como Mariner 9, Viking 1, Viking 2, Pioneer 10 e 11, e as Voyager 1 e 2. Também foi o primeiro a sugerir que Vênus não tinha um clima tropical ameno semelhante ao da Terra, como a maioria dos cientistas acreditava, e, junto com seu antigo aluno James Pollack, sugeriu que as mudanças de cor que observávamos em Marte eram devidas as tempestades de poeira.

  3. O ceticismo e a crença racional na vida extraterrestre. Sagan se posicionou firmemente contra pseudociências e imbecilidades tais quais astrologia e homeopatia. Na verdade, durante toda a vida ele foi um grande defensor do ceticismo e do uso do método científico, o que acabou irritando muitos "filósofos ocasionais" que o classificavam como cientificista. Embora acreditasse na existência de vida extraterrestre, Sagan era contra o culto de avistamentos e abduções alienígenas. Ele se envolveu com o Instituto de Pesquisa de Vida Extraterrestre (SETI), que hoje é o lar do Centro Carl Sagan para o Estudo da Vida no Universo.

  4. O compromisso político à hora de ser um dos primeiros em crer no aquecimento global e em expressar estas ideias; também se opôs à Iniciativa Estratégica de Defesa, mais conhecida como a "guerra nas estrelas", de Ronald Reagan.

  5. Seus livros, que estendem a tarefa que fez com Cosmos; e não há que esquecer Contato.

Bônus. Tirou muitos de nós da escuridão da religião.

Via | Mashable.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

Gostei muito, dessas contribuições, principalmente do aquecimento ^_^

Você sempre quis ser ateu e está usando o meu comentário como desculpa.

Depois de ler os comentários, fiquei com vontade de ser ateu.

Se ele estiver no céu, aposto que está maravilhado em ver que o céu é bilhões de vezes mais lindo e mais maravilhoso que o nosso universo ( físico ) .

Guerra das galaxias? Não era "Guerra nas Estrelas"?

Quanto a questão religiosa a culpa é dele de não ser mais um religioso, mas o que não me tornou ateu, afinal não preciso de um carro pra andar por ai (Se não entendeu a analogia, melhor)
E o trecho final do filme "Contato" expressa bem minha opinião pessoal sobre a questão crença. Se assistiu não preciso explicar.

Deixe um comentário sobre o artigo