Algo estranho está acontecendo na savana: as leoas estão mudando de sexo

LuisaoCS

Algo estranho está acontecendo na savana: as leoas estão mudando de sexo

Cinco leoas mostram estranhos sinais de mudança de sexo na reserva de caça Moremi em Botswana. Às felinas adquiriram jubas, atributos próprios dos machos, e começaram a adotar a conduta dos machos, segundo um estudo publicado na revista African Journal of Ecology.

Anteriormente já tinham documentado alguns casos de crescimento de jubas em leoas, mas nunca se deram conta devido a seu caráter isolado. No entanto, desta vez Geoffrey D. Gilfillan e seus colegas da Universidade de Sussex, no Reino Unido, observaram que cinco fêmeas com jubas começaram a adotar comportamentos próprios de seus congêneres machos.


Geoffrey começou a observar estas leoas em 2014. Em concreto registrou a conduta de uma delas, que chamou de SaF05, que tinha uma juba pouco desenvolvida, mas que era muito maior que outras fêmeas. O especialista viu que a fêmea marcava o território com seu cheiro e que rugia com mais frequência que as outras fêmeas. Uma vez inclusive matou um filhote de uma alcateia vizinha, algo que raramente as fêmeas fazem.

Luke Hunter, biólogo e presidente da Panthera, uma organização dedicada à conservação de felinos selvagens a nível mundial, acha que este fenômeno se deve aos níveis mais altos de testosterona destas leoas. De fato, o cientista recorda um caso documentado em 2011, quando a uma leoa chamada Emma desenvolveu uma juba no Jardim zoológico nacional da África do Sul devido a certos problemas hormonais e a perdeu depois de se curar.

Assim mesmo, sua capacidade reprodutiva diminuiu, o que evidencia a versão do aumento da testosterona em seus corpos, bem como que os níveis altos deste hormônio tornam as fêmeas inférteis.

Os experientes destacam que o componente genético contribuiu para estas alterações insólitas e que o fenômeno é de caráter local. Não obstante, serão necessários estudos sucessivos dos genomas das felinas para esclarecer o caso.

Via | NewSci.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

Nenhum comentário ainda!

Deixe um comentário sobre o artigo