Arquivo do mês de março 2013

«Prev || 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 || Next»

Esta mesa de bilhar prediz o percurso da bola

LuisaoCS

PoolLiveAid utiliza um computador e um projetor para calcular e representar sobre a mesa de bilhar a trajetória que seguirá a bola em função da posição do taco, assim como nos joguinhos de sinuca virtual. Em realidade este projeto desenvolvido por alunos da Universidade de Algarves não é algo novo porque já faz um par de anos que o RCVLab da Universidade de Queen mostrou o ARPool (vídeo depois do salto), um sistema com mesa de sinuca e um robô que não erra nunca e também a aplicação de realidade aumentada para ajudar o jogador humano.


Qual é o inseto mais luminoso da Terra?

LuisaoCS

Não se trata do vaga-lume, senão do besouro de fogo, também conhecido como cucujo (Pyrophorus noctilucus). Trata-se de um besourinho encontrado em áreas tropicais das Américas, incluindo o Caribe, que tem um grande brilho. O cucujo chega a medir uns três centímetros de comprimento, oblongo, pardo, com duas manchas esverdeadas (ou amarelas dependendo da incidência de luz) em seu pronoto -superfície superior do protórax, o primeiro segmento do tórax- e um terceiro local brilhante em seu abdômen que só fica visível quando ele voa.

A criançada tem costume de chamá-lo de vaga-lume estalador (ou vaga-lume click), por causa de uma característica única, além da maior biolumenescência do mundo: só quem já pegou um na mão vai entender, eles são capazes de flexionar e encaixar segmentos de seu corpo, impulsionando-se no ar e produzindo um estalido, a fim de escapar do predador, é bem estranho.

O besouro de fogo, que passa o dia no mato refugiando-se do calor e só alça seu vôo ao entardecer, ao contrário dos vaga-lumes, não pisca nem varia sua bioluminescência, mas pode variar o brilho.

Uma curiosidade que muitos não vão gostar: as meninas do "interiorrrr" tinham o costume (não sei se ainda têm) de pegar este inseto ou um vaga-lume e esmigalhar o bicho contra seu cabelo, para exibir o efeito bioluminescente durante alguns minutos.


15 mil volts sobre uma tela de madeira mostram como se fazem fractais de relâmpagos

LuisaoCS

As efêmeras e auto-referentes formações que fazem os relâmpagos no céu são difíceis de captar, talvez por sua natureza fugitiva são mais impressionantes ainda. Para dar-nos uma ideia das formas fractais geradas pelas tempestades elétricas que riscam o céu, Melanie Hoff, estudante do Instituto Pratt, em Nova Iorque, descarregou 15,000 volts sobre uma estrutura de madeira.

Hoff gravou esta descarga em um time-lapse -selecionado por Vimeo como um dos melhores vídeos do mês- no qual podemos observar o crescimento minucioso dos padrões, espécie de nervuras que surgem na madeira.


Novo easter egg do YouTube lembra o explosivo "Harlem Shake"

LuisaoCS

Um easter egg consiste em uma pequena mensagem ou característica oculta, usualmente de natureza benigna, e que os programadores costumam incluir em suas aplicações para lembrar que têm um grande senso de humor. Como não poderia ser diferente, os easter eggs da vez apresentam o famigerado meme do momento, se você digitar "do the Harlem shake" na busca do YouTube, além de te mostrar os resultados do explosivo vídeo, os elementos da página começarão a dançar caoticamente tal e qual estivessem dançando como doidos.


Vint Cerf quer uma Internet que nos conecte com os animais

LuisaoCS

Vint Cerf quer uma Internet que nos conecte com os animais

Vint Cerf, pai do protocolo TCP/IP, falou hoje em uma conferência TED dando a conhecer sua visão de que em algum dia Internet seja usada como um meio para que possamos comunicar com outras espécies, incluindo talvez as que habitem outros planetas. Cerf associou-se com o músico Peter Gabriel, o físico do MIT Neil Gershenfeld e a psicóloga cognitiva Diana Reiss para propor a "Internet Interespécies".

- "Todos os tipos de seres sensíveis poderiam estar interconectados. Estamos começando a explorar o que significa se comunicar com algo que não seja só outra pessoa", disse Cerf.

O projeto é descrito em uma página do Facebook onde Peter Gabriel assinala que "esperamos enlaçar às espécies que já demonstraram entendimento cognitivo e linguístico de comunicação Interespécies". Mostram como exemplos as comunicações que já se conseguiram com golfinhos, elefantes, gorilas e orangotangos. Implementar uma "Internet Interespécies" ampliaria a capacidade para que qualquer pessoa pudesse se comunicar com animais, que não podem falar como nós.

- "Não posso esperar para ver como desenvolvem estes experimentos", declarou Cerf. Segundo explicou, a experiência de comunicar com outras especiarias poderia ajudar ao final, como poderíamos interagir com aliens de outro mundo. Cerf falou em várias oportunidades sobre a Internet Interplanetária que poderia facilitar a comunicação entre planetas, satélites, naves robô, etc.

Via | The Verge.


Robô Cachorrão aprende a lançar tijolos com novo braço

LuisaoCS

Há algum tempo acompanhamos as aventuras do BigDog ou AphaDog, o robô quadrúpede desenhado pela Boston Dynamics para o DARPA. A máquina acaba de ganhar uma nova habilidade graças a um quinto braço que lhe permite lançar coisas, como tijolos, conforme mostrado neste vídeo de exemplo. Como se não fosse o suficientemente aterrorizante como já estava.

O braço funciona de forma similar a como faz um atleta no momento de fazer um lançamento, coletando força do resto de seu corpo para dar impulso ao bloco que vai ser lançado. A nova habilidade soma-se às múltiplas capacidades do Cachorrão, como caminhar por terrenos acidentados, escalar inclinações de até 35°, morder seguir o dono e entender comandos de voz.

Alguns já estão comparando a nova habilidade de BigDog com a do Dog em HalfLife2. É fácil ver as semelhanças.


«Prev || 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 || Next»