«Prev || 1 | 2 | 3 |...| 119 | 120 | 121 || Next»

O que acontece quando misturamos um supercondutor, um imã de neodímio com ferrofluido na mesma experiência?

LuisaoCS

O que vemos no vídeo é um super-imã sustentado no ar sobre o campo magnético produzido por um supercondutor (efeito Meissner). Esta receita científica inclui acrescentar algumas gotas de ferrofluido, líquido magnetizado com nanopartículas. O interessante é que o líquido apesar de aderir ao imã também, ao mesmo tempo, é afetado pelo campo magnético do supercondutor, que deixa suas “marcas” sobre o líquido.

É interessante ver como o ferrofluido assume a forma do imã exclusive nos polos e isso fica bem patente na utilização de um imã em forma de esfera.


Cientistas japoneses estão testando um medicamento que cura completamente a gripe em 24 horas

LuisaoCS

Cientistas japoneses estão testando um medicamento que cura completamente a gripe em 24 horas

Costuma-se dizer que a gripe dura sete dias e que, se tomarmos algum fármaco antigripal, podemos reduzir esse prazo a dois ou três. Mas em verdade há uma lamentável realidade: não há nenhum remédio que cure a gripe. No ano que vem essa realidade pode mudar completamente.

Uma companhia farmacêutica japonesa chamada Shionogi está realizando os últimos testes clínicos em humanos (última fase)) de um novo composto que elimina o vírus da gripe em 24 horas impedindo que se replique dentro das células que invade. O mais parecido que temos no momento é o oseltamivir -comercializado como Tamiflu- que elimina a gripe ao redor de três dias, mas pode requerer mais doses e tem contra-indicações.


A forma estranha como o cobre interage com os super-ímãs

LuisaoCS

Ao contrário do aço, o cobre não é atraído nem repelido por ímãs. Mas isso não significa que não haja alguma interação. NightHawkInLight dá uma olhada em alguns dos comportamentos estranhos que ocorrem entre chapas de cobre e imãs de neodímio.

O que o editor do vídeo chama de "estranho" é nada mais do que física, especificamente uma clássica demonstração da Lei de Lenz, derivada do princípio da conservação de energia.


Os sintomas físicos e possíveis causas do diagnóstico frequentemente incompreendido de transtorno bipolar

LuisaoCS

O narrador Pat Graziosi, mais conhecido na cena internética como Blocko explica de forma muito sucinta o transtorno bipolar, a fisiologia da desordem, os sintomas da desordem, os mitos que cercam a desordem e o que uma pessoa deve fazer se achar que possui esse distúrbio. Ainda sem entender a psique humana, que se auto diagnostica com transtorno bipolar porque sim (ou não), este vídeo é uma boa forma de entender o transtorno e, em consequência, se realmente necessário, procurar ajuda profissional, pois muitas pessoas com transtorno bipolar só buscam ajuda quando estão passando por um episódio depressivo.


Contemple hipnotizado como a eletricidade queima belos padrões de madeira

LuisaoCS

Como poderá ver no vídeo que encabeça estas linhas, Paul Lemiski usa eletricidade para queimar formosos desenhos de ramos na superfície de suas peças de madeira feitas a mão e móveis de madeira personalizados. Utilizando ferramentas que criam descargas elétricas, Lemiski cria os padrões etéreos, conhecidos como figuras de Lichtenberg, em matéria de segundos.

São chamadas assim em homenagem ao físico alemão Georg Christoph Lichtenberg, que inicialmente as descobriu. Ainda que Lichtenberg só estudou as figuras bidimensionais que ocorriam na superfície dos dielétricos, os modernos pesquisadores de alta tensão estudam as figuras bi e tridimensionais, sobre e dentro dos materiais isolantes.

Os padrões ramificados e similares observados nas figuras de Lichtenberg exibem propriedades fractais. Frequentemente acontecem figuras de Lichtenberg durante a ruptura elétrica em sólidos, líquidos e até em gases. Seu aparecimento parece estar relacionados com um processo chamado "agregação por difusão limitada" ou DLA.


Com esta técnica os cultivos de trigo poderiam ser multiplicados por seis

LuisaoCS

Com esta técnica os cultivos de trigo poderiam ser multiplicados por seis

Uma nova técnica, ainda não aplicada no âmbito comercial, torna possível cultivar até seis gerações de trigo em cada ano, o que se traduziria em uma maior disponibilidade de alimento. Durante muitos anos, as taxas de melhoria de várias agriculturas básicas se estancou, o que impediu de maneira significativa a busca de formas de alimentar à crescente população mundial

A nova técnica, desenvolvida pelas equipes do John Innes Center, Universidade de Queensland e Universidade de Sydney, na Austrália, utiliza uma estufa ou um meio artificial com melhor iluminação para criar regimes intensos de um dia com o fim de acelerar a busca de cultivos de melhor rendimento. Concretamente, empregam lâmpadas LED otimizadas para ajudar à fotossíntese em regimes intensivos de até 22 horas por dia.


Antropólogos descobriram o que unia os humanos antes do surgimento das religiões

LuisaoCS

Antropólogos descobriram o que unia os humanos antes do surgimento das religiões

Antropólogos do University College londrino revelam que as histórias e mitos dos povos antigos serviam como meio de unir à população, conclui um estudo publicado esta semana na revista Nature Communications. Muitos antropólogos aceitam a teoria que religiões apareceram com o objetivo de manutenção da ordem social e o fortalecimento dos vínculos entre membros. No entanto, segundo avança este estudo, os povos antigos tinham outras formas de entabular relações, já que as primeiras religiões apareceram faz uns 13.000-15.000 anos.

Uma das autoras do trabalho da universidade britânica, Andrea Migliano, estudou junto a sua equipe a vida de uma tribo indígena das Filipinas, os agta: são caçadores e coletores e vivem alheios às novas tecnologias. Os especialistas advertiram que os também conhecidos como aeta outorgavam um respeito especial àqueles membros da comunidade que contavam melhor as histórias.


Encontram uma «cópia maior» da Terra

LuisaoCS

Encontram uma «cópia maior» da Terra

Um grupo internacional de astrônomos descobriu a 111 anos luz da Terra um exoplaneta cujos parâmetros não excluem a presença de vida. Novos estudos que utilizaram dados reunidos pelo Observatório Europeu Austral demonstraram que um exoplaneta pouco conhecido que gira ao redor da anã vermelha K2-18 poderia ser uma versão de maior tamanho da Terra.

Ao todo, os cientistas descobriram dois planetas que orbitam ao redor desta estrela na constelação de Leão. Um deles foi descoberto em 2015 e recebeu a designação K2-18b. No entanto, só agora os cientistas começaram a estudá-lo. Está localizado na zona habitável da estrela mãe, o que significa que pode ter água líquida em sua superfície.


Cientistas: A Terra «engoliu» outros planetas

LuisaoCS

Cientistas: A Terra «engoliu» outros planetas

Um modelo dos primeiros tempos de existência da Terra demonstrou que a contribuição de planetesimais, ou protoplanetas, no desenvolvimento do nosso planeta foi muito maior do que se cria até agora. Os planetesimais são os protoplanetas que bombardearam a Terra faz uns 4,5 bilhões de anos, após nosso planeta, nas primeiras etapas de sua existência, colidir contra outro planeta do tamanho de Marte.

Os protoplanetas originaram-se a partir da matéria interestelar resultante da criação da nebulosa solar, formando rochas que variavam desde o tamanho de um grão de areia até discos de mais de 3.000 quilômetros de diâmetro.


Incompetentes que se crêem superiores, sabichões que não sabem nada: o efeito Dunning-Kruger

LuisaoCS

Cinco minutos bastam para aprender com um vídeo de Ted-Ed sobre o Efeito Dunning-Kruger, uma curiosa distorção cognitiva que poderia ser resumida em que pessoas incompetentes tendem a superestimar suas próprias habilidades. Em terminologia popular moderna poderíamos chamá-lo também de efeito sabichão, o sabe-tudo que não sabe nada ou simplesmente o sentimento de superioridade ilusório.

Este sentimento sobre diversas habilidades pessoais vai além da mera autoestima, e produz curiosas contradições estatísticas. A verdade é que este efeito não só afeta incompetentes que são incapazes de saber que não sabem, senão a todo mundo em geral e sobre qualquer aspecto da vida também: ética, inteligência, capacidade de razoamento, gramática, ortografia, conhecimentos financeiros...

Dizem os psicólogos que isto é devido simplesmente a que nem todo mundo pode saber de tudo e que todos temos zonas de incompetência sobre as quais somos incapazes de julgar a nós mesmos. Os melhores conselhos: fazer uso da humildade, escutar como somos avaliados pelos demais -ainda que resulte crítico às vezes- e sobretudo não deixar de aprender nunca. Assim ao menos podemos reduzir essas lacunas do saber.


«Prev || 1 | 2 | 3 |...| 119 | 120 | 121 || Next»

Links: