«Prev || 1 | 2 | 3 |...| 127 | 128 | 129 || Next»

Como tratar a infestação de pulgas de mais de 100 gatos grandes

LuisaoCS

Por si só, a puliciose, a infestação por pulgas -geralmente da pulga do gato (Ctenocephalides felis)- é um dos principais problemas de pele dos gatos pois pode ser tão frequente quanto difícil de ser eliminado ou inclusive identificado, porque os gatos se lambem muito e acabam mascarando o problema.

Para piorar essas pulgas são vetores de doenças infecciosas e, além de minar o pobre bichinho, provocando anemia, fraqueza e inclusive morte nos casos mais graves, infectam também o ser humano. Existem diversos métodos de acabar com essas pulgas (consulte seu veterinário), mas nenhum deles terá efeito se o ambiente não for higienizado em conjunto, porque os ovos, larvas e pupa não ficam no pelo do gato e sim no chão, no tapete, sofá, cama, etc.

Tristemente, o problema também alcança os grandes felinos. Então, imagine, se já é complicado tratar nossas bolas de pelo e suas unhas afiadas, como seria ainda mais se esses animais fossem puro músculo. O Big Cat Rescue mostra neste vídeo o que eles fazem para tratar suas dezenas de grandes gatos.


Vinte conselhos para interpretar resultados e publicações científicas

LuisaoCS

Por estes dias, vi um link para uma notícia no Facebook, que, com fogos de artifício, dizia: "Cientista respeitado prova que Deus existe". Evidentemente logo desconfiei do "Cientista respeitado", mas para que pudesse opinar seria necessário, primeiro, ler a matéria, foi o que fiz.

De fato a notícia era real, o título sim era fantasioso e exagerado ainda que guardasse algumas verdades em tese. O artigo era um resumo sobre algumas teorias que vem ganhando força recentemente e que já escrevi bem mais de um par de vezes sobre o assunto: a possibilidade de estarmos vivendo dentro de uma simulação computadorizada e que deriva em que o "Deus" do referido título sensacionalista pode ser um nerd alienígena brincando com o game no qual vivemos.

Todos conhecemos bem a característica incauta do senso comum facebookiano, que logo compartilhava a referida notícia aos milhares, comentários louvavam o tal cientista dando mostras de que ninguém havia lido nada ou, se sim, não tinham entendido patavina, o que é muito comum quando se envolve teorias quânticas. O mais cômico é que alguns poucos que tentavam explicar do que se tratava eram ignorados e chamados paradoxalmente de burros. O que me lembra de uma frase dita por meu pai:

- "Sabe como devemos chamar um idiota com muitos sectários? De senhor... é melhor chamar de senhor!"


A maior parte do que percebemos é uma ilusão criada por nosso cérebro

LuisaoCS

A maior parte do que percebemos é uma ilusão criada por nosso cérebro

Diz o historiador e teórico Georges Didi-Huberman em seu livro "A invenção da histeria": "Mas quem sabe que é a “coisa real”? Quem sabe onde está a linha divisória entre o que inventamos e a realidade?" Ao que parece a neurociência cognitiva tem algumas respostas a respeito.

Segundo estudos realizados pela neurocientista Susana Martínez-Conde, diretora do laboratório de Neurociência Visual do Instituto Barrow, em Phoenix, a maior parte da realidade é inventada pelo cérebro, pois pese a sua complexa estrutura, também é uma máquina limitada.


E se a Lua colidisse com a Terra?

LuisaoCS

A terra exerce força gravitacional sobre a lua o tempo todo; caso contrário, ela voaria para o espaço. Mas se algo der errado com a órbita da nossa lua, qual seria o efeito na Terra? O canal do Youtube Kurzgesagt nos dá o resumo, mas começa a aplacar nossos medos insistindo que isso não vai acontecer. Como se eles soubessem.

A boa notícia neste cenário teórico é que leva um ano para a lua "cair" em direção a Terra. A má notícia é que as condições na Terra ficariam horrivelmente ruins muito rápido, inclusive muito antes da colisão. Assim que a lua alcançasse o limite de Roche teríamos verdadeiros apocalipses pelo menos 10 vezes ao dia.


A estranha inconformidade de Hutton

LuisaoCS

Não sei se todo mundo está familiarizado com o conceito de camadas de rochas e tempo geológico que permite estimar a idade de um achado arqueológico quando o radiocarbono já não permite fazê-lo. É menos preciso que o carbono 14, lógico, mas é a única forma de estimar objetos muito antigos.

Em Siccar Point, na Escócia, as camadas são completamente diferentes. Na área chamada de Inconformidade de Hutton, as camadas mais antigas estão de lado, enquanto outras logo acima são horizontais. Isso mudou a ciência da geologia em 1788, quando James Hutton estudou essas camadas. Tom Scott nos leva até lá e explica.


Por que os cães são os mamíferos mais diversos da Terra?

LuisaoCS

Por que os cães são os mamíferos mais diversos da Terra?

Há mais de 500 raças de cães reconhecidas no mundo, o que faz com que este mamífero seja o mais diverso de nosso planeta. Mas por que há tanta diversidade de canídeos? E por que há tanta diferença entre as diferentes raças, algo que, por exemplo, não observamos nos gatos?

Segundo explica Peter Savolainen, geneticista evolutivo do Laboratório de Ciência para a Vida em Solna, Suécia, todos os cães descendem dos lobos, e sua diversidade poderia ser explicada porque os seres humanos os criaram para que tivessem determinadas características. Mas o que não resulta tão simples é determinar em que momento começou esta explosão de diversidade

Os especialistas neste campo coincidem em que deve ter acontecido entre 13.000 e 33.000 anos. Há 33.000 anos os ancestrais dos cães modernos se separaram dos lobos. Isso não quer dizer necessariamente que os cães domésticos se originaram nessa época. Pôde ter sido uma divisão entre duas populações de lobos, e uma delas era menos selvagem e se converteu mais tarde em cães domesticados.


Se ocorre isto quando bebe, você deveria deixar o álcool ontem

LuisaoCS

Se ocorre isto quando bebe, você deveria deixar o álcool ontem

O corpo humano é sábio. Sabe bem o que precisa, o que lhe beneficia e o que lhe afeta -inclusive melhor do que a ciência e que qualquer razoamento possível-. Por isso, quando o corpo fala é vital escutá-lo; afinal de contas, é o melhor porta-voz que existe neste plano.

Quando você toma alguma bebida alcoólica já notou que seu rosto, pescoço ou peito ficam vermelhos? Conhece alguém que ocorra isto? De acordo com pesquisadores da Escola Nacional de Medicina de Chungnam, uma universidade da Coréia do Sul, a reação de descarga de álcool é um indicador de que a bebida produz hipertensão e que, portanto, resulta particularmente tóxico para você. De fato, isto está associado com a propensão de sofrer um infarto de uma hora para outra, além de um risco aumentado de câncer de esôfago e associado a taxas de alcoolismo.


O contato visual direto implica mais hostilidade do que boa fé

LuisaoCS

O contato visual direto implica mais hostilidade do que boa fé

O contato visual costuma ser ponderado como uma importante arma de persuasão na retórica e na conversa cotidiana: as "janelas da alma", os olhos, são associados com a boa fé dos interlocutores e com a ideia de que o que dizem é verdade. Mas esta ideia não parece ter bases científicas: em uma pesquisa realizada pela Universidade de British Columbia, e publicada na revista Psychological Science, a psicóloga Frances Chen estudou um grupo de voluntários com tecnologia que permite seguir o olhar dos interlocutores, não só de quem fala.

Depois de vários experimentos, Frances chegou a conclusão que o contato visual só é efetivo quando o receptor já se encontra convencido de antemão do ponto de vista do emissor. Um outro experimento demonstrou que aqueles que escutam podem se sentir mais próximos no ponto de vista do emissor ao observar sua boca, não seus olhos.


Como Saturno conseguiu seus anéis?

LuisaoCS

- "Milhões de anos atrás, Saturno tinha uma lua extra, talvez com 400 quilômetros de diâmetro e formada quase inteiramente de gelo. Mas esta lua estava condenada, orbitando perto demais para resistir às imensas forças da gravidade de Saturno.", explica a cientista planetária da Missão Cassini, Linda Spilker, neste clipe informativo de The Planets: Saturn, como uma lua de gelo pode ter sido a fonte do campo orbital de detritos de Saturno.

Os anéis provavelmente se formaram a partir de um objeto que se aproximou demais de Saturno. Existe esse limite invisível em torno de Saturno, chamado de limite de Roche, onde a gravidade do planeta é forte o suficiente para destruir qualquer corpo celeste muito próximo.

E há alguns detalhes surpreendentes nos anéis de Saturno: eles são mais jovens que os dinossauros, formam um disco mais largo do que Júpiter, com média de apenas 9 metros de espessura e, graças à Cassini, agora sabemos que há altos picos tão altos quanto 2,5 quilômetros do anel B do planeta.


Caçando borboletas com o maior puçá do mundo

LuisaoCS

Faça um tour pela floresta tropical de Pimpilala, no Equador, com o conservacionista e naturalista Phil Torres enquanto ele procura borboletas com Susan Finkbeiner. Como entomologista e bióloga evolucionária, ela usa a maior rede etomológica do mundo para capturar borboletas da flor-da-paixão Heliconius para que ela possa pesquisar sua coloração, comportamento e visão.

A aparência externa das Heliconius está tão intimamente ligada à sobrevivência e à reprodução, que ela é alvo de intensa seleção natural e sexual. A combinação dessas duas forças evolutivas gera, rotineiramente, uma grande diversidade em padrões aposemáticos de pigmentos.


«Prev || 1 | 2 | 3 |...| 127 | 128 | 129 || Next»

Links: