«Prev || 1 | 2 | 3 | 4 |...| 123 | 124 | 125 || Next»

O mito sobre os lados esquerdo e direito do cérebro explicado

LuisaoCS

Nós já falamos sobre o assunto quase uma dezena de vezes aqui no NDig. O problema é que essa mentira contada muitas vezes ganhou status de teoria quando não passa de uma hipótese muito mal formulada. Então é necessário desmenti-la uma vez e outra para que as pessoas parem de repetir a bobagem.

Nesta animação colorida explicam sobre o mito das personalidades do lado direito e esquerdo do cérebro. Mesmo que as metades separadas do cérebro possam desempenhar funções diferentes, os mesmos processos cognitivos existem em ambos os hemisférios do cérebro, embora a forma como a informação é interpretada de maneira diferente. O lado direito do cérebro procura informações importantes, enquanto o lado esquerdo procura detalhes, que não tem nada a ver com lado lógico e emocional e nem com 10% da cabeça animal, outra estultice.


Por que algumas pessoas recordam melhor seus sonhos?

LuisaoCS

Por que algumas pessoas recordam melhor seus sonhos?

Por que algumas pessoas sempre podem recordar seus sonhos enquanto outras quase não os recordam? Um estudo, publicado pela revista Neuropsychopharmacology, sugere que a atividade de certa parte do cérebro poderia ter a resposta. Nele mostram que a região do cérebro chamada união temporoparietal registra mais atividade espontânea entre as pessoas que recordam seus sonhos regularmente, em comparação com as pessoas que raramente recordam.

Ao examinar a atividade cerebral espontânea de 41 pessoas através de tomografia por emissão de positrons, enquanto dormiam e enquanto permaneciam acordados, a metade dos voluntários recordava em média cinco sonhos à semana, enquanto a outra metade conseguia recordar mal um par de sonhos ao mês.


O músico nasce pronto ou é possível aprender?

LuisaoCS

O músico nasce pronto ou é possível aprender?

O talento musical é desde certa perspectiva um dos maiores mistérios do ser humano, um dos quais, ao longo da história, debateram se pode ser adquirido ou irremediavelmente se nasce com ele, com certa inclinação por responder que os músicos verdadeiramente geniais são aqueles que em sua condição natural já vem carregados com esta espécie de software musical.

Agora, no entanto, com os novos recursos colocados a disposição da neurociência -uma das disciplinas mais ambiciosas e apaixonantes dos últimos tempos-, este dilema poderia ser melhor compreendido e talvez inclusive resolvido.


Cinco benefícios para a saúde proporcionadas pelo ato de perdoar

LuisaoCS

Cinco benefícios para a saúde do ato de perdoar

Obstinar-se com a raiva é um dos sentimentos mais pesados e perturbadores que podemos ter, se não for o pior. Como supostamente disse Buda alguma vez: "Persistir na raiva é como apanhar um pedaço de carvão quente com a intenção de atirá-lo em alguém. Sempre quem segura o carvão sai queimado". Após tudo, guardar rancor causa maior dor psicológica do que à pessoa que nos lastimou. E, paradoxalmente, une-nos a essa pessoa bem mais profundamente do que queríamos.

Mas além disso, guardar rancores pode causar dor física. Em verdade podemos fazer um bem enorme a nosso corpo, assim como a nossa mente, se tomarmos o caminho do perdão. Existem muitos benefícios para a saúde que podem fazer com que reconsideremos se esse rancor realmente vale a pena.


Há cada vez mais indícios de que o Alzheimer poderia ser também, e em alguns casos, uma doença transmissível

LuisaoCS

Há cada vez mais indícios de que o Alzheimer poderia ser também, e em alguns casos, uma doença transmissível

O Alzheimer poderia ser transmitido, segundo sugerem cada vez mais estudos, ainda que sejam casos muito pontuais. O responsável pelo transmissão seriam algumas proteínas letais e infecciosas, chamadas priões, que têm o potencial de serem transmitidas em equipamentos médicos ópticos porque estão presentes nos olhos das vítimas.

Também os acúmulos de peptídeos que se encontram no cérebro dos pacientes de Alzheimer podem ser transmissíveis da mesma maneira que os priões.

O priões, palavra acunhada em 1982 por Stanley B. Prusiner ao pesquisar uma série de doenças de caráter crônico e irreversíveis que afetavam o sistema nervoso central, é um acrônimo inglês derivado das palavras proteína e infecção.


O poder e a importância das carícias

LuisaoCS

O poder e a importãncia das carícias

Nosso organismo conta com entre 6 ou 10 milhões de sensores tácteis que recolhem informação tanto do interior quanto do exterior do corpo, sendo o sentido do tato o mais compartilhado e também o mais duradouro, daí que a pele seja considerada uma espécie de órgão social e o tato um instrumento de grande potencial.

As caricias mostram-se, portanto, como um dos padrões deste sentido e, segundo uma pesquisa, estas são transmitidas a partir da pele até o cérebro por meio de nervos cuja velocidade de condução é muito lenta. As fibras nervosas tácteis (CTs), como são denominados aos nervos que respondem às carícias, tem uma limiar perceptivo muito baixo e os receptores que as ativam estão localizadas na pele com presença de pelos. Trata-se de exatamente os mesmos receptores que também conduzem as sensações de dor ao cérebro.


A primeira impressão dura em torno de 200 milisegundos

LuisaoCS

A primeira impressão dura em torno de 200 milisegundos

É provável que tenha esquecido como conheceu cada pessoa que hoje faz parte de sua vida. A memória é frágil e indigna de confiança. De fato, eu mesmo esqueci o que ia dizer. O importante é que um experimento, publicado na revista Plos One, comprovou que podemos formar uma opinião sobre a personalidade de alguém com apenas 300 milisegundos após tê-lo conhecido, inclusive sem ver à pessoa, só ouvindo um “olá”.

O tom e outras características da metalinguagem portam valiosa informação a respeito do emissor, para além da mensagem, como seu estado de ânimo e intenção, mas em particular -diz o novo estudo- nos revelam dois dados vitais a respeito de sua personalidade habitual: se a pessoa é confiável e/ou dominante.


A seleção natural em ação: bonecos animados e explicações simples

LuisaoCS

Como mudam os seres vivos com a passagem do tempo? Por que algumas mutações são importantes e outras não? Que ocorre com as populações vistas como conjuntos? Desde os tempos de Darwin a ciência nos ensinou que a seleção natural é o processo que explica a evolução biológica. E não é necessário sair ao campo para comprovar: com uma boa simulação é possível inclusive vê-la em ação e entendê-la às mil maravilhas.

Neste vídeo podemos ver em dez minutos como funciona a seleção natural. O cenário está habitado por seres vivos que se movem e comem à cada ciclo que passa. Se encontram comida depois de se moverem, sobrevivem. Se não a encontram, morrem. A própria vida.

O resultado é que a seleção natural ocorre mediante uma espécie de competição, em que são as populações, não os indivíduos quem evoluem. Algo importante é que nem sempre o que ocorre é o melhor para a espécie (visto globalmente) e é difícil fazer predições, sobretudo quando o meio muda demais.

Há uma menção estelar ao gene egoísta, que falarão mais em próximos capítulos, que basicamente é uma das bases biológicas de nossa conduta: visto de outra forma, somos meras máquinas de transmissão desses genes, que nos permitem sobreviver segundo a passagem do tempo.


Declaram alerta por uma epidemia silenciosa que está matando mais pessoas que a AIDS

LuisaoCS

Declaram alerta por uma epidemia silenciosa que está matando mais pessoas que a aids

Uma infecção viral, que se propaga através do sangue e fluídos corporais e invade as células hepáticas até afetar gravemente o fígado, está provocando a cada ano a morte de um milhão de pessoas em todo o planeta. Atualmente, mais de 250 milhões de pessoas são portadoras do vírus da hepatite B, número que é sete vezes maior que a de pacientes com HIV, assinalou a Nature.

Em ano 2016, as mortes ocasionadas por hepatite B -que a sua vez desencadeou câncer de fígado ou cirrose- superaram o número de mortes por causa de doenças mais temidas, como a AIDS, a tuberculose ou a malaria. Isto apesar de que essa variante de hepatite pode ser prevenida através de uma vacina, e também é possível tratá-la com os mesmos medicamentos antirretrovirais utilizados para combater o HIV.


Descobrem um muito antigo ancestral do ser humano que tinha o tamanho de um elefante

LuisaoCS

Descobrem um muito antigo ancestral do ser humano que tinha o tamanho de um elefante

Cientistas da Universidade de Uppsala, na Suécia, junto com colegas da Polônia, encontraram os restos de um dicinodonte, o ancestral mais antigo dos seres humanos e de todos os demais mamíferos, e o achado indica que estes animais chegavam a ser tão grandes como elefantes ou dinossauros, segundo o estudo publicado semana passada na revista Science.

O dicinodonte (espécie pertencente a um dos grupos de protomamíferos) foi encontrado no povoado polonês de Lisowice e foi nomeado Lisowicia bojani, em reconhecimento a essa localidade e um anatomista comparativo alemão, Ludwig Heinrich Bojanus, conhecido por fazer várias descobertas anatômicas importantes.


«Prev || 1 | 2 | 3 | 4 |...| 123 | 124 | 125 || Next»

Links: