«Prev || 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 || Next»

Fã de Star Wars realizou seu último desejo antes de morrer

LuisaoCS

Fã de Star Wars realizou seu último desejo antes de morrer

Daniel Fleetwood, o jovem estadunidense que chamou a atenção das redes sociais e dos estúdios Disney, conseguiu realizar seu último desejo antes de morrer. A notícia de sua morte foi confirmada por sua esposa mediante um post no Facebook onde se despede do marido. O homem travou uma batalha inglória durante dois anos com uma estranha forma de câncer que ataca as células conjuntivas dos pulmões.

Depois de superar o prognóstico de 2 meses de vida dados pelos médicos no passado mês de julho, Daniel iniciou uma campanha para realizar seu último desejo: ver "The Force Awakens" ("O Despertar da Força"), a mais recente sequencia da saga de Star Wars.

Daniel era um fãzaço do clássico de ficção científica desde que era criança e viu na hashtag #ForceForDaniel a possibilidade de realizar seu sonho. A iniciativa logo tornou-se viral, ao ponto de que vários atores do filme decidiram se envolver na causa.

Finalmente, os estúdios Disney decidiram fazer uma premiere exclusiva para Daniel com mais de um mês de antecipação da estréia oficial antes que fosse muito tarde. Funcionários da Lucasfilm foram na casa dele, no Texas americano, para que pudesse assistir uma versão sem cortes do esperado filme.

Esta história tem um final agridoce, porque apresenta o inevitável da vida e também o desejo realizado de Daniel. Eu chorei (verdade!) desejando que ele pudesse, como todos nós, assistir a estréia em dezembro, mas depois cheguei a conclusão que posso não ter a mesma felicidade realizada de hoje para amanhã (entende?).

O poder das redes sociais costuma, às vezes, contribuir para que o mundo seja um pouco melhor para os que precisam de uma forcinha, nem que seja para deixar esse mundo.

Via | Mashable.


A Segunda Guerra Mundial e suas mortes retratadas em um incrível vídeo de 15 minutos

LuisaoCS

Em junho deste ano, Open Culture publicou o filme de 15 minutos "The Fallen of World War II" de Neil Halloran, que utiliza inovadoras técnicas de visualização de dados para pôr em perspectiva o custo humano da Segunda Guerra Mundial mostrando como, entre 1939 e 1945, se perderam 70 milhões de vidas dentro das populações de civis e militares em toda Europa e Ásia.

Por meio de um tipo de infográficos dinâmicos, este vídeo expõe de maneira muito atraente o escalonamento da guerra mais mortífera.

À medida que este filme se tornou viral, Halloran arrecadou dinheiro que lhe permitiu desenvolver novos filmes e explorar outras tendências da guerra e da paz.

Neste link é possível visitar a página interativa deste filme, mas é necessário comprar um ticket para ter acesso a esse conteúdo.


Trailer do filme “A quinta onda”

LuisaoCS

O filme "The 5th Wave" ("A quinta onda") se estreará no próximo mês de janeiro e é baseado na novela do mesmo título de Rick Yancey. O filme, como o livro, trata de uma adolescente que sobrevive à devastação provocada por uma invasão alienígena em várias fases e que enfrenta uma quinta onda, diferente às anteriores, mas que tem o mesmo fim de exterminar os poucos humanos que ainda restam na terra. Ainda que a grande maioria dos trailers costumam ser "mentirosos" ao vender cenas que visam impressionar a assistência, esse parece bem atrativo sobretudo por contar com a ótima Chloë Moretz.


“O grito” de Munch animado e com trilha sonora

LuisaoCS

Sebastian Cosor, da equipe de animação Safe Frame, tem uma visão pessoal do "Grito" de Edvard Munch que demonstra neste curta-metragem de animação. Em minha opinião respeitou bastante, contribuindo-lhe um diálogo correto a respeito da morte e uma paisagem tão opressiva quanto a do quadro original.

A música escolhida para envolver o conjunto foi esse tema enorme de Pink Floyd chamado "A great gig in the sky". Como curiosidade, vale a pena dizer que a cantora Clare Torry foi contratada por uns 150 reais. No início da sessão, a banda tocou o instrumental para Clare e pediu para que ela improvisasse uma linha vocal.

Depois de 2 takes e meio os membros da banda ficaram impressionados com a performance da moça que tinha então 22 anos, mas eles foram tão reservados que, quando foi embora, Clare achou que nenhum de seus takes seriam aproveitados. Ela só soube quando viu o álbum numa loja de discos, e por acaso viu seu nome nos créditos.

Em 2004, Clare que só recebera os 150 contos, processou o Pink Floyd por royalties da composição, com base no fato de que sua contribuição vocal caracterizava uma coautoria com Richard Wright. Um ano depois eles chegaram a um acordo em favor de Clare, e pese que os termos não tenham sido revelados, ela recebeu dinheiro o bastante para que pelo menos 3 gerações suas não precisem trabalhar.

Todas as publicações a partir de 2005 listam a canção como sendo de autoria de Richard Wright e Clare Torry.


O que fez de Hitchcock um gênio do cinema de suspense? Este video nos dá algumas sugestões

LuisaoCS

Uma forma de entender ou explicar a arte pode ser quando a pensamos como a combinação do social e pessoal. Se isto soa muito simples, podemos então pensar no binômio do cultural e do subjetivo. Se acrescentamos um nível de complexidade podemos dizer, então, que na arte se conjugam os motivos e as obsessões. Por exemplo, quando a arte era exclusivamente ocidental, poetas, pintores, escultores e músicos tomavam temas da chamada Antiguidade clássica para desenvolver com os recursos de seu tempo. Assim, cada um a sua maneira (isto é, subjetivamente), adaptou um motivo dado culturalmente.

Esta introdução um tanto técnica serve-nos para apresentar um notável video em que por meio da seleção e edição de cenas nos fazem ver alguns dos motivos recorrentes nos filmes de Alfred Hitchcock, sem dúvida um dos diretores mais geniais da história do cinema em geral e especificamente no gênero de suspense. Hitchcock transitou com maestria pelo horror, intriga política, mistério policial e inclusive uma sorte de suspense metafísico como o de "Os Pássaros", de 1963.

Por que é importante a distinção entre o subjetivo e o cultural? Para dizer logo, porque parte da genialidade de Hitchcock consistiu em tomar elementos que em certa forma são expressivos por si mesmos (as escadas, a eloquência do olhar, o aparecer quase fantasmagórico por trás de uma cortina, etc.) mas, como todo grande artista, interpretando a sua maneira, somando sua própria expressividade subjetiva à vasta tradição cultural que há nas coisas.


Caligrafia turca cria incríveis formas acrescentando gotas de tinta na água

LuisaoCS

A cultura otomana foi sem dúvida uma das mais ricas da história e entre suas diversas manifestações podemos apreciar a técnica de caligrafia "Ebru", que significa "nuvem". Ebru, a arte de pintar com pigmentos coloridos sobre uma mistura de água e químicos que ajudam que a pintura permaneça na superfície conseguindo um efeito nebuloso, que conjugado com a habilidade do artista, pode fazer sensacionais arabescos líquidos em metamorfose permanente, de uma sublime sutileza.

O artista Garip Ay realizou uma demonstração do manejo do Ebru no Colégio Islâmico Americano. Esta arte, conhecida como "marbling" em inglês foi inventada no o século 13 e era utilizada para decorar livros imperiais e selar o correio oficial das autoridades otomanas.

As formas desenhadas deliciosamente por Garip Ai nos remetem à sensualidade de épocas antigas, mas com verdadeiro teor moderno, óleos elegantemente psicodélicos com símbolos da realeza e o amor misturados com rabos fractais de pavões semi-abstratos.


Space Oddity de Chris Hadfield volta ao YouTube depois de acordo com David Bowie

LuisaoCS

O ex-comandante da Estação Espacial Internacional, o ex-astronauta canadense Chris Hadfield, foi um dos astronautas que melhor utilizou a Internet para divulgar a ciência desde o espaço além de nos deleitar com versões em gravidade zero de canções como Jewel in the Night, Is Somebody Singing em colaboração com Barenaked Ladies, e sua meta mais famosa, o cover de Space Oddity de David Bowie

Hadfield sabia que quando subiu o cover da canção de 1969 ao YouTube não ia ficar permanentemente na plataforma de vídeos, pois os donos das licenças do material fonográfico de David Bowie lhe permitiram que só permanecesse durante um ano sua versão do tema, o que foi retirado em maio passado quando acumulava 22 milhões de reproduções.

No entanto, o cover de Hadfield novamente está em YouTube depois do acordo entre ele, os donos das licenças de Bowie, e a Agência Espacial Canadense; para permitir durante outros dois anos mais a existência do vídeo na plataforma.

O astronauta explicou em seu blog que a demora para voltar a enviar vídeo foi devido ao complexo processo legal para solicitar uma exceção à aplicação do direito autoral por um vídeo criado em uma estação espacial. Que copyright rege quando o vídeo foi criado no espaço, e em um lugar construído com a colaboração de sete países? Até Hadfield caçoava que seria necessário um advogado espacial, e que se tivesse que ser advogado, gostaria de ser desse tipo.


Veja uma boneca Kokeshi japonesa emergindo de um bloco de madeira

LuisaoCS

Em uma época de impressoras 3D onipresente, é fácil esquecer a alegria e a beleza do artesanato feito à mão. Tome-se, por exemplo, a arte japonesa de 400 anos de criação das bonecas kokeshi. Estas figuras tradicionais de madeira eram feitas originalmente como lembranças para vender às pessoas que visitam as fontes termais do norte do Japão. Embora existam cerca de 10 estilos diferentes, cada boneca é feita com uma cabeça alargada e corpo cilíndrico sem braços ou pernas.

No vídeo, produzido por Tetotetote, uma organização com destaque para as artes e ofícios de Sendai, no Japão, Yasuo Okazaki torneia blocos sólidos para a cabeça e corpo usando apenas algumas ferramentas simples. O estilo "Naruko" de Okazaki de fazer as bonecas foi passado para ele por seu pai e apresenta listras na parte superior e inferior do corpo e franjas com cocares vermelhos. Eu não acho que haja alguma coisa mais calmante e hipnótica do que ver e ouvir os sons da criação destas bonecas a partir de um bloco de madeira.


Hipnotizante vídeo de 5 mestres ceramistas sul-coreanos fazendo seu trabalho

LuisaoCS

A vila Icheon na província de Gyeonggi, Coréia do Sul, é o lar de mais de 300 estúdios de cerâmica onde os artistas usam técnicas tradicionais para produzir uma ampla gama de cerâmica funcional e artística. Cerca de 40 dos estúdios ainda utilizam fornos a lenha. O vídeo exibido logo após os cerâmico salto, foi filmado pelo Museu Americano de Arte Cerâmica e mostra cinco mestres da cerâmica de Icheon no trabalho em seus estúdios. O processo de criação é quase tão bonito quanto as peças acabadas.


Silhueta em Movimento, um livro ilustrado de sombras interativas

LuisaoCS

Motion Silhouette é um livro infantil interativo japonês de autoria de Megumi Kajiwara e Tathuhiko Nijima que inclui silhuetas pop-up entre as páginas. Utilizando uma fonte de luz direcional de um lado para o outro, uma imagem diferente em movimento é projetada na página para ajudar a contar a história. Muito legal! Motion Silhouette, em verdade, já é uma sequela de um livro anterior da dupla intitulado simplesmente Silhouette. Os livros são feitos por encomenda a mão, por cerca de 60 dólares (133 reais), e você pode encomendar no seu site.


«Prev || 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 || Next»

Links: