«Prev || 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 || Next»

Um país com ciência ou apenas um país com cientistas?

rev4

20121029-pesquisa_cient_fica.jpg


Conta-se que o famoso matemático inglês Michael Atiyah resolveu explicar para sua mãe a natureza de suas atividades. Depois de ter ouvido atentamente as explicações do filho, a boa senhora teria dito:

- "Acho que agora entendi o que você faz; mas diga-me uma coisa, por que pagam você para isso?" A pergunta que, segundo a anedota, a Sra. Atiyah teria feito a seu filho também é feita com freqüência por políticos, administradores e pela sociedade em geral.

A pertinência de se investirem recursos públicos na pesquisa científica e tecnológica em qualquer país, mas, sobretudo, em países em desenvolvimento como o Brasil, com notáveis carências sociais, deve ser sempre re-demonstrada com argumentos humanistas - que sustentam a nobreza da busca constante pelo conhecimento - e os pragmáticos - que indicam que a pesquisa é a base da inovação, essencial ao desenvolvimento econômico e à geração de riqueza.

A China Antiga e sua Arquitetura Monumental

rev4

A China Antiga e sua Arquitetura Monumental

A China foi uma das primeiras civilizações da humanidade. Segundo lendas e tradições chinesas, o Vale do Rio Amarelo era habitado por agricultores e artesãos desde 3.000 a.C. Cultivavam milho e criavam animais, como cães, porcos e cabras. Sabiam fundir o bronze para fabricar armas e outros utensí­lios.

A arquitetura da China é tão antiga quanto a civilização chinesa. Ao longo da vasta área do território chinês ao japonês, da Manchúria à metade norte da Indochina francesa, o mesmo sistema de construção é predominante, e esta foi a área de influência cultural chinesa.

A diferença entre um bom pesquisador e um mau pesquisador

LuisaoCS

A diferença entre um bom pesquisador e um mau pesquisador

Como já escrevi em outros artigos, algumas pessoas tem um feio costume de atacar a ciência, sem saber citar ao menos um argumento sobre o assunto. Desconhecem, ou se fazem de tontos, que a ciência dispõe de alguns protocolos dificilmente criticáveis e que são os cientistas, as pessoas, que às vezes a usam malevolamente.

O melhor exemplo para discernir entre um bom cientista ou um mau cientista (isto é, entre um pesquisador que emprega corretamente os protocolos da ciência e um que não), é a história de Wilhelm Conrad Röntgen, um físico alemão que em 8 de novembro de 1895 produziu radiação eletromagnética no comprimento de onda correspondente ao que chamamos atualmente de raios X. Mas Röntgen tentou por todos os meios demonstrar que ele estava equivocado.

Um pesquisador de fenômenos pseudo-científicos raramente apresentará seus indícios com essa modéstia, levando em conta que está desafiando o conhecimento acumulado durante séculos: simplesmente afirmará que descobriu algo e que a ciência ortodoxa é muito cega para admitir que tem razão ou outro destes argumentos vagos, próprios de quem tem pouco à contribuir e ponto

Röntgen, no entanto, não deixou de confiar no método científico. Durante seus experimentos, descobriu que podia ver através das coisas, como um super-herói. Testou com objetos dentro de caixas de madeira e também conseguiu vê-los. O momento mais assustador foi quando viu boquiaberto os ossos de sua própria mão. Mas Röntgen não correu imediatamente aos meios de comunicação para anunciar sua descoberta. Sabe o que pensou?


Rede expressa seu apoio para avó restauradora do Ecce Homo

LuisaoCS

Rede expressa seu apoio para avó restauradora do Ecce Homo

Hoje o mundo conheceu Dona Cecília Giménez, a doce senhorinha espanhola octogenária que espontaneamente se dispôs a "restaurar" o quadro do "Ecce Homo" em uma igreja de Borja (Zaragoza, Espanha), e fez com que uma imagem de valor sentimental e histórico se transformasse numa das maiores trollagens do momento.

Claramente as boas intenções de Dona Cecília, que começou por conta própria o processo de restauração da obra porque queria -ao notar que ninguém, nenhuma autoridade fazia nada para- melhorar a Igreja de seu povoado, não foram suficientes para que a obra tivesse uma melhor aparência, ainda que muitos já dizem que sim.


Cabeças, pés, braços... pão gore

LuisaoCS

Cabeças, pés, braços... pão gore

Ate que enfim: aqueles que queiram experimentar o que seria comer alguém (no sentido literal da palavra), mas não querem se preocupar com esta coisa de assassinato antes, já podem fazê-lo. Ou pelo menos ter uma ideia de como seria. O escultor/padeiro tailandês Kittiwat Unarrom desde 2006 elabora partes de corpos mutilados usando pão e chocolate (para sangue e outros detalhes).

Todas as peças são, por suposto, comestíveis e segundo contam, a padaria de Kittiwat está sempre abarrotada de zumbi gente e o negócio vai de vento em popa. De modo que, bem, suponho que há mais amantes do macabro do que estamos dispostos a reconhecer.


Altamira - uma das mais importantes grutas pictóricas da Idade da Pedra

Luna

20111221-altamira.jpg


Verão, norte da Espanha, 1879, Dom Marcelino Sanz de Sautuola, um arqueólogo amador, acompanhado de sua filha Maria de 12 anos, procura vestígios pré- históricos numa gruta. Enquanto escavava junto da entrada, Maria entra na gruta e descobre algo extraordinário. Ao gritar pelo pai, ele corre para o interior da gruta escura e encontra a filha numa reentrância onde o teto era tão baixo, que ele teve de curvar-se. Ao mirar a lanterna no teto, vê com espanto a perfeita forma de um bisonte, surgindo por cima deles. À medida que percorre a luz da lanterna pelas rochas ondulantes, mais e mais animais vão surgindo. Aquelas impressionantes pinturas em tons de vermelho, castanho, amarelo e preto, que pareciam despertar de um sono, foram feitas por artistas da idade da Pedra Lascada, ocultas por milhares de anos antes de Maria olhar sobressaltadas para elas.

O que Marie Curie teve de aguentar na entrega do Nobel

LuisaoCS

O que Marie Curie teve de aguenatr na entrega do Nobel

Todo mundo sabe, ou ao menos deveria saber, que Marie Sklodowska, Marie Curie, foi uma cientista pioneira no estudo da radioatividade. Por seus trabalhos conseguiu, junto a seu marido Pierre Curie, o Nobel de Física em 1903. Ademais, seria a primeira mulher em obter um doutorado e a dar aulas na Universidade de Sorbone em Paris. Em 1911 obteve seu segundo Nobel, desta vez em Química, pela descoberta e isolamento de dois novos elementos: o Rádio e o Polônio (em honra de sua pátria).

Ademais, sua filha Irene Joliot-Curie e seu genro, Frederic Joliot, também receberam o Nobel de Química pela descoberta da radioatividade artificial. Mas para muitos da sociedade machista de sua época, Marie seguia sendo uma mulher antes que uma cientista. Em 1903, durante a cerimônia de entrega do Nobel, a cientista foi tratada como uma mera assistente de pesquisa dos outros dois "vencedores" e teve que suportar uma citação bíblica do Presidente da Academia Sueca:


Os 28 finalistas na escolha das 7 Maravilhas da Natureza

Luna

20111021-natureza.jpg


A New7Wonders of Nature ( Novas 7 Maravilhas da Natureza) é uma iniciativa promovida pela fundação Suíça New7Wonders. Trata-se de uma pesquisa mundial, onde o público tem direito de votar e escolher os mais maravilhosos sítios naturais do globo. Temos uma lista oficial com 28 finalistas. Vamos conhecer um pouco de cada um desses lugares fabulosos, exemplos de como a nossa Casa é extraordinária e singular. Vote nas 7 Novas Maravilhas da Natureza, dando preferência para a Amazônia e as Cataratas do Iguaçu. A fase final de votação ainda está aberta, mas termina em 11/11. Vamos lá!

O que um gigantesco pedaço de pedra tem de incrível

Luna

20111005-australia-ayers-rock.jpg


Um dos maiores e mais famosos monólitos do mundo é Ayers Rock. Um imenso pedaço de arcose, uma rocha sedimentar detrítica rica em feldspato situada a cerca de 500 quilômetros a sudeste de Alice Springs, no centro da Austrália. As suas escarpas, arredondadas e estriadas pela natureza, com cerca de 335 metros de altura e 8 quilômetros de perímetro, são tanto mais espantosas por se erguerem acima da plana imensidão desértica, marcada por acácias e carvalhos-do-deserto.

Não espere milagre - reduza, reutilize, recicle

Luna

20110910-lixo.gif

Nós temos um novo continente no mundo. Ele é um pouco maior do que os Estados Unidos. É uma vasta superfície de plásticos flutuando no Oceano Pacífico.

O lixo ameaça sufocar nosso planeta. Mas, se usado de forma adequada, ele poderá ajudar a economizar muitos megawatts de energia, toneladas de CO2, recursos valiosos e muito, muito mais.
«Prev || 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 || Next»

Links: