«Prev || 1 | 2 | 3 |...| 27 | 28 | 29 || Next»

Jovem constrói um skate elétrico para andar em trilhos ferroviários abandonados

LuisaoCS

O YouTuber Roadie fabricou uma espécie de skate elétrico motorizado que permite que seu usuário deslize sem esforço, mas não exatamente com muita velocidade ao longo de trilhos ferroviários. Não é necessário dizer que não é boa ideia tentar essa ideia em casa, a menos que você esteja 100% certo de que os trilhos ferroviários que conheça estejam abandonados como os mostrados aqui.


Fazendo uma faca com baterias

LuisaoCS

Cortar pilhas velhas não é necessariamente uma boa ideia. Em verdade pode ser até perigoso dependendo da sua composição, mas isso não impediu que Shurap abrisse um monte delas em busca de metal utilizável. Ele então fundiu os pedaços com algumas lâminas de aço e criou uma doce faca de damasco com um cabo feito a partir de uma lanterna.


PowerUp Dart, um avião acrobático de papel controlado por Bluetooth

LuisaoCS

O pessoal de PowerUp Toys inventaram um novo aviãzinho de controle remoto de papel. Sim, papel, nada de madeira, fibra de vidro ou outros materiais clássicos do modelismo. O PowerUp Dart é a adição mais recente a sua coleção, e neste caso trata-se de um avião, ou vários aviões, já que há vários modelos segundo o tipo de vôo desejado desenhado para fazer acrobacias.

O kit mínimo, por 29 dólares, inclui dois modelos de papel, o receptor, o motor, e uma espécie de cruz que une ambos e que ademais dá uma verdadeira rigidez às asas. Mas há disponíveis kits que incluem mais modelos, rodas e uma classe de patim para tornar mais simples as decolagens e aterrissagens, kits com vários aviões, etc.

O Dart é controlado com uma app no celular, disponível para Android e iOS, que utiliza os sensores de movimento deste para transmitir via Bluetooth as ordens de giro ao avião; também permite controlar a potência do motor mediante um comando na tela, o que por sua vez faz com que o avião suba ou desça.


O cão robô da Boston Dynamics perde a cabeça para ser menos inquietante

LuisaoCS

O vídeo é apenas uma amostra da nova versão do cão robô da Boston Dynamics, SpotMini. Em comparação com modelos de SpotMini vistos anteriormente, um robô que começou como uma versão "civil" do robô Spot, este do último vídeo da companhia é claramente um produto bem mais refinado e acabado.

Descartado faz anos pelos militares o robô SpotMini busca agora seu lugar na vida civil; o novo modelo resulta algo menos inquietante ao prescindir da "cabeça braço". Até agora os robôs de Boston Dynamics se limitaram, desde o ponto de vista do público, a fascinar por suas capacidades e a servir como pouco mais que entretenimento através do YouTube. Mas agora que Boston Dynamics passou às mãos do banco japonês SoftBank -após ser vendida pela Alphabet/Google- quem sabe se a companhia não está mais perto do que nunca de iniciar sua comercialização.

De fato já antes a SoftBank comercializou um robô chamado Pepper. De modo que, poderia a Boston Dynamics estar desenvolvendo SpotMini como substituto dos cães? Um cão que não precisa ser alimentado e que nem deixa rastro de dejetos; um que acompanhará seu dono em um passeio pelo bairro ainda que não tenha nenhuma necessidade de sair.


Apenas um par de robôs sem cabeça dando um rolê pelo escritório

LuisaoCS

Um par de robôs Cassie dão uma volta pelo escritório de sua criadora, a empresa Agility Robotics. Essas maravilhas mecânicas incríveis são capazes de se manter em total equilíbrio em duas pernas sem cair, e foram inspiradas pela forma como um avestruz caminha. Tudo o que você vê aqui é 100% real, sem CGI.


Um inseto robô capaz de voar e de mergulhar

LuisaoCS

Inspirado nos insetos, este diminuto robô compartilha com as abelhas, por exemplo, a capacidade de voar e de mergulhar. Na água, a tensão superficial do líquido e uma câmera de flutuação permite ao robô RoboBee manter as asas fora da água, enquanto uma pequena câmera eletrolítica produz oxihidrogênio mediante eletrólise, obtido do oxigênio da água. A liberação desse gás proporciona impulso ao robô, que pode assim romper a tensão superficial e sair voando.

Segundo os pesquisadores da universidade de Harvard, onde foi desenvolvido, os robôs híbridos aero-aquáticos encontrarão sua aplicação em estudos do meio ambiente e em missões de busca e resgate.


Uma máquina modular de madeira para fazer corridas de bolinhas

LuisaoCS

É uma satisfação ver esta máquina de madeira em funcionamento: as bolinhas de gude sobem graças a uma roda movida por um motor e depois baixam por diversos caminhos, passando por todo tipo de pistas, tobogãs, funis e obstáculos. Chama-se simplesmente Marble Machine G3 e tem uma diferença fundamental com respeito a outras máquinas similares: é modular.

Segundo podemos ver na página em que é comercializada, foi construída com vários módulos menores que se entrelaçam uns com os outros de diversas formas, o que permite mudar a configuração de vez em quando para transformar o circuito. Além de mudá-los de posição muitas das peças devem se ajustar para que tudo encaixe perfeitamente, com precisão de relojoeiro.

É vendida em forma de kit, o que é ainda mais divertido. O kit inclui todas as peças já acabadas, os desenhos detalhados de cada um dos módulos e uma guia de instruções. Também existe uma versão chamada simplesmente "projetos" que consiste em os arquivos DFX, de SketchUp, para cortar as peças de madeira com uma máquina CNC.

O mais curioso é sua origem: é fabricada no Vietnã, onde seu preço é de 1.990.000 dongs vietnamitas. Ainda que possa parecer muito são apenas 250 reais, ainda que provavelmente as despesas de envio sejam uma cifra similar ao preço da própria máquina, mas os desenhos e arquivos podem ser pagos diretamente por Paypal sem maior problema.


O vale da estranheza, versão cinematográfica de «Fim do mundo»

LuisaoCS

Esta cabeça não é o clássico efeito de vídeo que alguém gravou para depois apagar do pescoço para baixo e assim conseguir um efeito visual mais impactante. É uma cabeça animatrônica que mediante mecanismos robóticos e um pouco de programação se move para parecer real. E ao menos durante os poucos segundos que necessitavam para a cena do filme em que apareceu resulta bastante real. Inclusive diria que inquietante, como procedente do famoso vale da estranheza.

Ela pode ser vista em "World's End" ("Heróis de Ressaca"), uma hilariante comédia de Edgar Wright, com Simon Pegg, Martin Freeman e Nick Frost. Que por verdade é um filme bastante raro e está cheia de personagens estranhos.

A gravação procede dos clássicos provas que se fazem antes de começar a rodar para ver se os efeitos visuais têm qualidade suficiente. Segundo diz seu criador (Matt Denton) é bastante simples quanto aos mecanismos e movimentos que realiza. Ao todo tem 12 servomotores: 10 para os olhos e sobrancelhas e 2 para a mandíbula. Para que sejam sincronizados foram programados ao uníssono na unidade de controle, desde onde é manejado tudo com um joystick de três eixos.

Para alimentar toda a eletrônica a cabeça tem um compartimento na base do pescoço onde a bateria é inserida, que pode ser ligada com um interruptor magnético sob a pele. O look tão realista foi feito pelo designer de próteses Waldo Mason, usando materiais, técnicas e maquiagem da velha escola.


Câmera InstaGif, uma câmera com estilo polaroid que imprime instantâneas imagens GIF

LuisaoCS

Câmera InstaGif, uma câmera com estilo polaroid que imprime instantâneas imagens GIF

Muitos jovens da geração atual podem ter ouvido falar, mas, em geral, realmente não sabem a resolução que suscitou o lançamento das amadas (e caras) câmeras. Naquela época era um verdadeira dificuldade tirar uma fotografia. Você levava o filme ao estúdio (ou lojinha de uma porta) para ser revelado. Algumas pessoas levavam a câmera para que o fotógrafo ou profissional retirassem o filme com medo de, no processo, queimar o filme (daí surgiu a expressão "queimar o filme", com o significado de denegrir a imagem de alguém ou estragar a reputação de certa pessoa).

Alguns fotógrafos tinham quarto escuro, mas o comum era que enviassem o filme para um centro de revelação na capital ou cidade polo. Duas semanas depois as fotos chegavam e era um verdadeiro frio na barriga ir verificando fotografia por fotografia torcendo para que as imagens tinham ficado boas, sem olhos vermelhos, sem raios de sol, sem tremeliques...


Um protótipo de salva-vidas com controle remoto

LuisaoCS

Este invento da Noras Performance chamado U Safe é uma espécie de salva-vidas com propulsão, ou um "barco com controle remoto com forma de salva-vidas", depende de como você veja. Segundo explicam o artefato é elétrico, tem uma flutuabilidade suficiente para 200 kg (duas pessoas, na prática), 40 minutos de autonomia e um alcance de 5 km. Controla-se manualmente com um comando remoto, e deve ser levado até a pessoa em apuros para que esta possa se agarrar e ser arrastada por ele, ou inclusive que um salva-vidas humano vá ajudando se as condições forem mais complicadas.

Apesar de parecer um ideia ótima, daquele tipo "como não pensei nisso antes?", é um desses inventos que parece que não ganharam tendência: o vídeo e o site estão congelados em 2015 com um cartaz de "a venda proximamente", e isso em qualquer área da tecnologia é uma eternidade.

As razões de que não possas ir à loja e comprar um? Nem faço ideia. Com estas questões tão delicadas de segurança e resgate às vezes o remédio pode ser pior do que a doença e não serei eu a enviar um flutuador a alguém que está afogando no mar. Ou talvez a empresa tenha proposto um valor absurdo (como sempre fazem com novidades) ou pouco confiável em termos de tração para resultar prático. Vai saber?!?


«Prev || 1 | 2 | 3 |...| 27 | 28 | 29 || Next»

Links: