Bombas em implantes de seio: a nova moda do terrorismo

LuisaoCS

Implantes com bombasPeritos em segurança do Reino Unido assinalam que algumas células terroristas no Paquistão estariam praticando cirurgias para inserir bombas em implantes de seios. Um artefato explosivo disfarçado deste modo seria praticamente indetectável para os detectores de metais dos aeroportos. De acordo com os peritos, somente 140 gramas de tetranitrato de pentaeritrina (conhecido comumente como PENT) bastaria para abrir um buraco considerável em um avião.

Joseph Farah, perito em tácticas terroristas, assinala que certas mulheres recrutadas pela Al-Qaeda são conhecidas por terem inserido explosivos nos seios mediante cirurgia. Farah assinala que a operação também é feita para introduzir explosivos nos glúteos. A peculiar técnica foi descoberta após que Umar Farouk Abdulmatullab, uma nigeriana radicada em Londres, tentou explodir uma bomba oculta em sua roupa íntima no dia de Natal.

Após a tentativa frustrada de Umar, os serviços de inteligência britânicos seguiram o fio da meada, até que descobriram que as operações de implantes de bombas eram feitas no Paquistão e Iêmen. O perigo desta técnica deve se ao fato de que é necessário submeter o suspeito por um sofisticado exame de raios X. Além de sua baixa quantidade, o explosivo ainda estaria inserido dentro de um saco de plástico selado, o que o tornaria indetectável em um exame normal de detecção corporal.

Não resta dúvida que a realidade supera à ficção. Esta nova técnica assemelha-se um pouco ao uso das mulas: pessoas que carregam pacotes de drogas no interior de seu corpo com o fim de passar a mercadoria sem que seja detectada. Qual o próximo passo? Fembots? Não dá para descartar nada neste mundo louco, louco.

Via | telegraph.co.uk.



Notícias relacionadas:

 

Comentários

Nenhum comentário ainda!

Deixe um comentário sobre o artigo