As 5 descobertas mais importantes nos 20 anos do Hubble

LuisaoCS

Galáxia Sombreiro

Há 20 anos atrás a NASA lançava no espaço um dos telescópios que mais alegrias trouxe à comunidade científica: o Hubble. Durante este tempo, o telescópio esquadrinhou o Universo conscienciosamente, nos permitindo atualmente admirar com todo luxo de detalhes desde planetas até estrelas passando por galáxias ou nebulosas, e conhecer com mais profundidade o espaço e tudo que nele acontece.


Abaixo eu compilei suas 5 das saus descobertas mais importantes:

Buracos negros supermassivos.

Gás liberado por 2 estrelas na nebulosa NGC 6302

No ano 1915, o genial Albert Einstein predisse mediante fórmulas matemáticas a existência de buracos negros, mas ninguém foi capaz de confirmar esta teoria, até o ano de 1994, quando nosso protagonista detectou algo que tinha uma massa equivalente a 3.000 sóis na galáxia M87: era um buraco negro supermassivo. O Hubble conseguiu a primeira prova da história que confirmava o apontado por Einstein.

Mas as descobertas do Hubble relacionados com buracos negros continuaram. Em 96 um grupo de cientistas da NASA chegou a uma importante conclusão graças a imagens do Hubble: quase todas as grandes galáxias do universo são "coroadas" por um buraco negro supermassivo em seu centro, inclusive a nossa.

Descobrindo a idade do Universo.

Parte de la Nebulosa Carina

Na década de 1920 o astrônomo Edwin Hubble descobriu que o Universo se expande e formulou a conhecida "constante de Hubble" que descreve a velocidade de expansão do Universo e sua idade. O Hubble -batizado assim justamente em homenagem a Edwin- permitiu aos cientistas com suas imagens precisar em muito o formulado de Edwin Hubble. A conclusão final foi que nosso universo tem uma idade de 13,500 bilhões de anos.

Evidências da energia escura.

Cruzamento das galáxias Antenna

Tinha algo que os cientistas ansiavam há muito tempo: observar o que acontecia no espaço profundo, finalmente possibilitado pelo Hubble.

Ditas observações supuseram um autêntico salto. Graças a elas foram encontradas evidências que respaldavam o que Einstein tinha predito também anos atrás: o universo está cheio de uma forma de energia, conhecida como energia escura, que é a responsável de que as galáxias se separem umas das outras constantemente. Ou dito de outra maneira, é a força que faz com que o Universo se expanda.

Assim nasce um planeta.

Nebulosa olho de gato

Outro dos grandes momentos do Hubble aconteceu no ano de 2005 quando captou a primeira fase do nascimento de um planeta, concretamente fez imagens de como um disco de pó e gás ao redor de uma estrela recém nascida se tornava cada vez mais densa, o que permite que a matéria se agrupe dando finalmente lugar a um novo planeta.

A primeira molécula orgânica em um exoplaneta.

Estrela V838

Nada escapa das lentes do Hubble. Tanto assim , que em 2008, pela primeira vez, fotografou uma molécula orgânica na atmosfera de um exoplaneta do tamanho de Júpiter, o HD 189733b. A descoberta foi muito importante já que supôs um passo adiante no objetivo de conseguir identificar moléculas prebióticas nas atmosferas de planetas situados em "zonas habitáveis" ao redor de outras estrelas.

Via | NASA.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

ajudou na minha pesquisa para ciências

muito boa a notícia, o universo é intrigante!

Legal adorei conhecer mais sobre o universo...

Muito bom mesmo adorei continuem postando essas curiosidades obrigado

Deixe um comentário sobre o artigo