Bandit, o robô que ajuda aos autistas a se relacionar

LuisaoCS

Steve Jobs no lançamento da Apple

Quase fico hipnotizado ao ficar muito tempo olhando fixamente no ponto que está entre os dois olhos de nosso amigo robô. Tente! Espero que não seja um sinal de autismo. Porque nosso amigo Bandit, o robô, foi construído para ajudar as crianças autistas, tão separados da (nossa) realidade. Ao que parece, o aspecto totalmente artificial do robô ajuda a estas crianças a se comunicarem melhor com o mundo externo.


Os familiares de crianças autistas têm grandes dificuldades à hora de comunicar-se com eles, mas as máquinas são tremendamente efetivas. Isso é o que tinham em mente os programadores do Bandit, quando desenharam-no na Universidade da Califórnia do Sul. O robô tem câmeras incorporadas nos olhos, e a única coisa que faz é aparentar emoções. Pelo visto, é o suficiente para que uma criança autista se comunique com ele de melhor maneira que faria com um humano. Quando a criança fala com o robô, por exemplo, é um pesquisador, localizado em outra sala, que responde através da boca do Bandit.

O psicólogo Simon Baron-Cohen, assim como muitos outros, acha que isto acontece porque basicamente os objetos e artigos eletrônicos são previsíveis. A imprevisibilidade das pessoas faz com que o autista se isole do nosso mundo, para se centrar exclusivamente em um mundo o qual ele já sabe em 90% dos casos qual será a reação deste objeto, inclusive de um computador.

Todo avanço que permita ajudar às pessoas que realmente precisam, sempre é bem-vindo. Para os interessados, há mais detalhes no link da fonte.

Via | PopSci.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

Nenhum comentário ainda!

Deixe um comentário sobre o artigo