Os absurdos da lei Hadopi na França

LuisaoCS

Os absurdos da lei Hadopi na França

Nesta semana, depois de indas e vindas, começaram a implantar de maneira efetiva a controvertida Lei Hadopi na França. É algo para deixar-nos todos de cabelos em pé e por enquanto não podemos fazer nada a não ser ver atônitos como um atentado contra a privacidade de qualquer pessoa tenha chegado de maneira lícita a constituir uma lei naquele que supostamente é um país democrático e desenvolvido.


É um absurdo sem precedentes que um governo se dedique a monitorar a atividade de seus cidadãos na Internet, é algo que dito friamente parece até um roteiro de filme de ficção científica onde um tirano se dedica a controlar compulsivamente a todos seus súditos para que não se revelem, algo assim como uma matrix desestruturada.

Por trás da Hadopi há alguns dados realmente espantosos. Agora no começo, serão examinados mais de 10 mil IPs ao dia, que por si só já é assustador, mas esperam que este número chegue até os 150 mil durante os próximos meses. A encarregada de realizar todo o processo será a Trident Media Guard uma companhia que já é tristemente famosa por "contaminar" sites torrent e programas P2P com dados e arquivos falsos. Todos os ISP (Internet Service Provider, as operadoras) são obrigadas a colaborar, mas o pior é que para cada IP detectado como violador de direitos autorais serão multadas com 1.500 euros, repito, cada IP será multado com a bagatela de 3.500 reais.

Não convém esquecer que tudo isso começou quando Sarkozy decidiu submeter sua política de governo ao interesse de lobbys e de pressões econômicas externas a seu governo buscando um maior destaque na polícia regional europeia.

Eu fico só imaginando o que irá acontecer quando as interessadas (fonográficas, produtoras, operadoras, etc) decidirem abrir suas burras para comprar políticos no nosso país. Aliás, vale a pena comentar algo que não vi nenhuma linha em nenhum noticiário nacional: as operadoras se combinam na surdina para acabar com a tarifa plana da ADSL. Alguém duvida?


Notícias relacionadas:

 

Comentários

Nenhum comentário ainda!

Deixe um comentário sobre o artigo