10 fraudes que manipularam a história da Ciência mundial

LuisaoCS

10 fraudes que manipularam a história da Ciência mundial

As fraudes científicas são resultados enganosos obtidos por alguns cientistas, geralmente com o objetivo de adquirir fama e prestígio, que deixam a ética de lado usando desvios no método científico e nas normas éticas que regem estas atividades. Seu fim, lógico, é tentar enganar determinado público. Os enganos mais comuns que podemos encontrar no campo da pesquisa são: a fabricação e maquiagem de dados, a falsificação de resultados e o plágio. Baseados nestes 3 pontos, listo 10 fraudes cometidas por alguns homens encarregados de levar a ciência e a luz ao resto do mundo.


O homem de Piltdown.

10 fraudes que manipularam a história da Ciência mundial

Tratando de imitar os passos de Charles Darwin e sua Teoria da Evolução, um geólogo de nome Charles Dawson, realizou trabalhos em Piltdown, Inglaterra e segundo ele, ali achou o crânio do considerado "elo perdido", na cadeia da evolução entre o macaco e o homem. A suposta descoberta foi chamada de Homem de Piltdown. Após submetê-lo a diversos estudos descobriu-se que em realidade era o crânio de um homem da atualidade que tinha sido moldado e polido para que se assemelhasse ao do animal.

A vacina que provocava autismo.

10 fraudes que manipularam a história da Ciência mundial

Em 1998, um grupo de cientistas ingleses publicou na revista The Lancet um artigo no qual diziam que a vacina tríplice viral podia ser a causadora de que determinado número de menores fossem autistas. Esta afirmação causou tal pânico nos pais, que alguns pais decidiram resguardar seus filhos pelo perigo que esta representava. Tempo depois, descobriu-se que um desses pesquisadores tinha subornado uma associação de crianças especializada nesta doença, pois queriam processar o laboratório que produzia a vacina e precisavam uma de prova de importância para ir a julgamento.

Mentiras em várias publicações de ciência.

10 fraudes que manipularam a história da Ciência mundial

A teoria diz que antes de poder publicar um artigo, um grupo de editores, com base em certas fontes, aprovam ou não o que será publicado. No entanto, as revistas Science e Nature não tiveram este cuidado e o físico Jan Hendrik escreveu mais de 80 artigos de coisas inventadas ou com informação falsa. O mesmo sucedeu com Alan Sokal, que em 1996, publicou na Social Text, conteúdo totalmente retirado de sua farta e delirante imaginação que carecia de sentido.

Fusão a frio.

10 fraudes que manipularam a história da Ciência mundial

Segundo os cientistas Stanley Pons e Martin Fleischmann tinham criado um sistema chamado Fusão, que era um aparelho de baixo custo que produzia energia nuclear. A revista Time, inclusive, publicou a matéria na capa, enquanto seus criadores se negaram a divulgar o método científico alegando que não queriam que sua ideia fosse pirateada. Muitos tentaram reproduzir o sistema, mas ninguém obteve os resultados que tanto disseram. Muito recentemente, outros dois tontos italianos voltaram a insistir no assunto com a mesma desculpa esfarrapada, até agora nada.

Relação genética entre palestinos e judeus e a real existência de Deus.

10 fraudes que manipularam a história da Ciência mundial

Antonio Arnaiz Villena, encarregado da área de Imunologia de um hospital de Madrid, escreveu para Human Immunology um texto no qual afirmava que os palestinos guardam uma correspondência genética com os judeus. Outro espanhol ainda mais abilolado, Baltasar Rodriguez Salinas, assegurou que por meio de uma fórmula matemática podia comprovar a existência de Deus. Um exame rigoroso no artigo comprovou que toda essa teoria era produto de uma mente muito criativa, inclusive louca.

Clonagem de seres humanos.

10 fraudes que manipularam a história da Ciência mundial

O mundo viveu uma pequena revolução quando em 2004, Hwang Woo-suk afirmou em uma revista ter clonado células humanas. No ano seguinte, comprovou-se que seus relatórios se baseavam em dados inventados, motivo pelo qual Hwang foi um dos primeiros cientistas a enfrentar a cadeia por causa de uma mentira: passou dois anos no cárcere.

O elo entre aves e dinossauros.

10 fraudes que manipularam a história da Ciência mundial

A National Geographic publicou em uma de suas capas um tal de Archaeoraptor liaoningensis, o elo perdido entre dinossauros e animais alados. O fóssil foi achado na China e nele era possível distinguir um ser com asas e rabo de réptil. Pouco tempo depois comprovaram que em realidade se tratava de um Microraptor zhaoianus, ao qual adicionaram partes de algum outro fóssil.

A fraude de Kammerer.

10 fraudes que manipularam a história da Ciência mundial

O biólogo Paul Kammemer assegurava que os animais herdavam de seus ascendentes as habilidades e condutas adquiridas. Quis demonstrar em um experimento com sapos, que no momento de acasalar sacavam umas pequenas espinhas de suas patas para poder agarrar as fêmeas de melhor maneira. Kingsley Nobel descobriu que Kammerer tinha injetado tinta nestes répteis e portanto, sua descoberta foi um engano. Kammemer não resistiu o escândalo e decidiu tirar a própria vida.

A patente da AIDS.

10 fraudes que manipularam a história da Ciência mundial

Esta doença sempre foi rodeada de polêmica. Robert Galo, cientista do National Cancer Institute, se autoproclamou o pioneiro nas pesquisas da doença. Por outro lado, um médico francês de nome Luc Montagnier disse ser o pai de sua descoberta. Desatou-se uma guerra entre ambos os personagens, que culminou na descoberta de provas falsas, contaminadas e manipuladas pelos dois.

O elemento 118.

10 fraudes que manipularam a história da Ciência mundial

Em algum momento, a revista New Scientist publicou um artigo no qual falava da descoberta do elemento 118, o átomo mais pesado que conhecido até aquele momento. Muitos cientistas basearam-se no artigo para tentar sua reprodução, mas todas as tentativas fracassaram. Ao final descobriu-se que um dos supostos pesquisadores do tema falseou toda a informação.

Por favor, que ninguém questione a datação radiométrica por carbono-14, uma metodologia bastante precisa, tão vilipendiada, criticada e posto a prova pela ICAR só em reprimenda pelos testes que, com sua utilização, jogaram por terra várias mentiras rabiscadas com carvão na Bíblia.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

"O biólogo Paul Kammemer assegurava que os animais herdavam de seus descendentes..." Pelo jeito o responsável pelo site não sabe a diferença entre descendentes e ancestrais. Não há como herdar algo dos seus filhos. Só é possível herdar algo de ANCESTRAIS, e não de descendentes.

Dicionários fornecem a semântica da palavra. Para saber do que tratam os diversos ramos da evolução tem que estudar muito.

Assim como nenhum gato se transformou em leão, macaco nenhum se transformou em homem, senão que ambos tem um ancestral comum e isso é uma coisa totalmente diferente. Para entender isso há que saber a classificação científica desde a taxonomia eucariontes, o filo chordata (cordados) e as famílias de felídeos e hominídeos, respectivamente.

A teoria das evolução é baseada em estudos das classes, reinos, ordens, gêneros, tribos... evidência observacional, biologia, genética, orgânica e testemunhos validáveis experimentados e de ideias testadas neste aglomerado de informações atreladas. Não tem nada a ver com fé. Não é algo sugerido por um livro e ponto. O homo habilis tem 2,5 milhões de anos. A Bíblia tem apenas 2000 anos e muitos querem que seja o depósito da verdade absoluta. Não é! É apenas um bom livro. Qualquer bom livro, inclusive um romance, acaba por fazer predições e isso não tem nada a ver com ciência. Isso não é evidência, é ficção que provou ser verdade pelas circunstâncias.

Não tenho nada contra a religião (inclusive já fui religioso), ela faz muito bem para algumas pessoas que necessitam dela. O que me irrita são os religiosos que se arvoram como pilares da moral e se metem a falar (asneiras) de ciência sem conhecer o mínimo.

Se Deus existir, serei perdoado (não que eu me preocupe com esta bobeira). Porque então vou acreditar em um ser que não existe? A humanidade está condenada à extinção por sua própria condição, não porque algum iluminado acha que sim. Mas pelo que a história conta só fez melhorar. Se não, em vez de tomar um antibiótico, porque não experimenta fazer algum tratamento com sanguessugas? É muito fácil falar mal da ciência, mas não de abrir mão dela. É coisa do "capeta", mas ela propiciou a que estivéssemos nesse momento discutindo na Internet, falando com nosso entes queridos distantes por um aparelhinho, tomando medicamentos e vacinas que prolongam nossa existência. Dessas coisas modernosas religioso nenhum abre mão né?

Para explicar, quando digo em "macaco sé transformar em humano", não quis dizer q isso aconteceu com um ser específico, mas que Certas espécies de macacos se transformaram, ao longo de várias gerações modificadas em humano, então, nenhum humano viu esse processo de milhões de anos acontecendo, por isso a evolução e também uma questão de fé nós indícios q se baseiam essa TEORIA.

Se continuar lendo o restante do meu 1o comentário, verá que as evidências, Políticas, Climáticas, Ecológicas, sísmicas, econômicas e sócias são mais fortes.

Se a evolução for um fato, não temos nenhuma espectativa depois da morte, então o q eu perco por acreditar em um Deus?
Mas sé ele existir e recompensar os q acreditam nele com a ressurreição, então sim, isso vale a pena!

Pq se então não existe um Deus a humanidade está condenada a extinção pela sua própria evolução científica, que polui, destrói, explorá e consome os recursos da natureza de forma degradante em prol de lucros, conquistas de territórios a preço de sangue até de criança, e preocupação de uma guerra com armas nucleares, químicas ou biologia, e q pelo o q a história mostra só tem a piorar.

Dicionário Aurélio de Português Online
Significado de Evolução: Desenvolvimento ou transformação gradual e progressiva.

Não é questão de ser evoluído. Evoluídos todos nós somos, inclusive você, ainda que haja dúvidas se descende da família de hominídeos ou equídeos.

Quando quiser "argumentar" sobre alguma coisa, tenha pelo menos a decência de conhecer o mínimo sobre o que vai questionar. De outra forma é preferível ficar calado e reservar-se na própria ignorância para não passar vergonha na Internet.

"Homem virando Macaco..." Jura? E ainda quer aventar sobre "fatos científicos". Vá ler um bom livro cara. De preferência um que não seja sobre ficção religiosa.

Agorá vai falar do erro da concordância?

As pessoas "evoluídas" são assim, quando não tem argumento, ficam ignorantes como seu "ancestral em comum".

Macacos não se transformam em homens, Rangel. Apesar de que por seu argumento fica comprovado que homens se transformam em jumentos.

Existe uma diferença abissal em ter um "ancestral comum" e transformação. Vá ler um pouco sobre evolução antes de falar bobagem na rede.

A questão não é se o método de datação e falho, mas o intuito de utilizar ele para questionar a bíblia,
Os q acreditam na evolução também tem fé, pôs ninguém viu um macaco sé transformar em humano, apena existem as evidências que apóiam uma teoria, assim como as evidência bíblicas do criacionismo e de q existe um Deus, como relatos q mostram a exatidão dela em assuntos científicos, em uma época q seria difícil ter esse conhecido, como Jó 26:7 Suspende a terra sobre o nada;
Isaias 40:22 Há Alguém que mora acima do círculo da terra, E seus habitantes são como gafanhotos. Ele estende os céus como um véu fino E os estica como uma tenda para morar.
Eclesiastes 1:7 Todos os rios correm para o mar; mesmo assim, o mar não fica cheio. Os rios voltam para o lugar de onde saíram, a fim de correr novamente;
Lucas 21:11 "11 Haverá grandes terremotos e, num lugar após outro, falta de alimentos e pestilências; e as pessoas verão coisas atemorizantes e grandes sinais do céu" (furacões e outros fenômenos).

existe um grande comércio por trás da ciência, muitos cientistas atrás de patrocínios e investimentos nas pesquisas inventam muita coisa. o fator humano é que dar o descrédito a muita coisa

Me atendo restritamente ao artigo, não são poucas as fraudes científicas, o exemplo mais recente foi o chamado "climagate". Onde se vazou e-mails da Nasa, mostrando evidentemente a farsa do aquecimento global, ao ponto que as pesquisas (reais) evidenciam justamente o oposto, que a terra resfriou nos últimos anos. Daí você me pergunta: E as geleiras derretendo? Eu ví na tv.
É muito simples: eles filmas apenas de um ângulo, onde de fato essas geleiras derretem. Mas o que não dizem, é que de fato elas estão passando (e sempre passaram) por um processo de alteração de topografia, ou seja, o gelo que está aparentemente sumindo em uma parte, está aparecendo em outra. O exemplo palpável disto foi quando um grupo de ambientalistas foram para a Antártida para constatarem o aquecimento global, mas eles acabaram ficando cercados pela tundra gelada, e onde eles tinham convicção de que não havia gelo, na verdade estava tomado pela paisagem branca, tiveram que ser resgatados por uma equipe de busca.
Mas as peraltices da Nasa não são de hoje. A "ída" a lua é o caso mais clássico. Como poderiam eles terem chegado à lua, sendo que em 1998, um grupo de astronautas foi fazer uma missão acima da altitude dos satélites, quase morreram devido a radiação dos anéis de Van Allen.
E o engraçado é que a Nasa admitiu que nào sabia quase nada acerca destes anéis de radiação. Segundo a CNN, eles ainda estavam ESTUDANDO esse evento.
Boris Koslov (acho que é esse o nome), afirmou em um documentário na FOX, que esse foi o motivo de eles (russos) nunca terem ido à lua.
Enfim esse foi só um exemplo. Quantos mais além desses que nós não sabemos estão permeando nossos livros acadêmicos e se passando por verdadeiros ainda?

P.S. 2019: centenário do primeiro Peak oil.

June Atheo, não confunda a heresia humana com o que está na Bíblia. A Bíblia relata que Cristo foi crucificado, mas as supostas lascas da cruz e o Sudário de Turim (em si), por exemplo, não são citados nela. Cristo foi envolto em peças de linho como relata o livro, mas leve em consideração que suas características eram comuns entre seu povo e o suposto Sudário pode ser de qualquer um. Portanto, seriam equívocos humanos vender as ideias desses supostos artefatos e não da Bíblia. Não é mistério pra ninguém que muitas igrejas, seitas e outros criam essas coisas para o lucro próprio, mas também não dá pra atirar pedras na religião dos outros sem analisar alguns aspectos. Beijos!

"a gente somos" kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

- As tais relíquias bíblicas como lasca da cruz verdadeira (que se fossem todas reunidas permitiria construiur um navio), pregos da crucificação e coroa de espinhos, etc. Nenhum passou no teste do C14. Tudo fake!
- Livros de metal descobertos em uma caverna na Jordânia;
- Sudário de Turim que tem 700 anos e tem idiota adorando este pedaço de pano velho.

Quais são as mentiras bíblicas que o carbono 14, ou qq outra coisa jogou por terra? Se foram vaaaarias mesmo, cite pelo menos uma.

Engraçado que para uns aqui também ciência vira religião do cara que coloca fé em toda teoria com se já fosse fato. Teoria do Big Bang tudo mostra quer que o universo está em expansão é que no passado ele era encolhido. Mas tem vários cientista que acreditam em outras teorias. Buraco negro do Hawking até mesmo ele a cada tempo muda a sua visão do que são buracos negros se sae informação ou não da radiação por ele emitida. E poderia dizer inúmeras outras. Datação carbono 14 é um metódo que funciona sim mas se a Terra teve uma inundação como dizem muitos povos toda cultura americana, asiáticas, sumérias, assírias, armênias, egípcias, persas e gregas fala de um inundação. Isso alteraria a concentração de carbono 14 da época na medição fazendo parecer muito mais velho do que realmente é. Vale lembrar que por exemplo suspeita-se que o meteoro que extinguiu os dinossauros teve um impacto no méxico cratera chicxulub e hoje já se sabe que existem um impacto maior na austrália em Bacia de Warburton . Ou seja, a ciência qdo não diz a respeito de mecânica física, quântica, matemática essa sim dá par confiar. Mas no campo da astronomia, arqueologia e mesmo história é muito chutes e muitas teorias que mudam com o tempo. Não pode confiar em tudo que diz sempre tem que ter um pé atras. Só é confiável a ciência na área de exatas e tecnologia a quem devemos um avanço enorme na humanidade.

A Ciência condena charlatões, a religião, os exalta.

Essa é a maior diferença do metodo cientifico. Voce pode até mentir, mas as mentiras não vão duram 2000 anos. Sequer duram 2 anos, alguem vai testar denovo qualquer hora e vai perceber.

o artigo tenta passar a impressão que a comunidade científica é tão confiável assim, o que não é verdade uma teoria muito bem formulada mesmo com falhas pode ser bem aceitas, como as teoria de Stephen Hawkings sobre os buracos negros e algumas que mesmo sem nenhuma base para comprovação, contam com apoio da comunidade científica para melhora-la e algumas teorias como a teoria da relatividade de Einstein só veio a ser provada a pouco tempo, a Ciência tem um longo caminho a andar até descobrir a verdade.

Esse teste é o pilar da teoria da evolução, se ele for desmentido, tudo desmorona.

Isto já mostra o quanto você conhece de ciência: nada!

Moon, o teste nunca apontou para um objeto com cinco bilhões de anos tampouco para algo com 100 mil anos, senão que limita-se, segundo o método científico, em 50 ou 70 mil.

Se você realmente não se importa com a desmistificação dos símbolos religiosos proporcionados pelo teste, não tem razão para demerecê-lo.

Então, eu não tinha visto essa discussão por causa do C14.
Não é por razões religiosas que eu não acredito no teste. Eu, por exemplo, não acredito em sudários mágicos, cálices sagrados e coisas do tipo.
Mas acho que o planeta passou por muita coisa em quase cinco bilhões de anos. Não dá para achar que um átomo de carbono vai dar a resposta para certas coisas.

Desculpa tá...mas no meio de tantos comentários, cada um expressando sua opinião...eu li um "a gente somos" que não foi sequer comentado...
Me ajuda aí né..

Não é sarcasmo, é educação. Você aceitando ou não a precisão do carbono 14, não vai mudar nada para a ciência, mas a cada vez que emitir uma opinião equivocada as pessoas tenderão a achar que você tem limitações cognitivas. Não é questão de engolir, é questão de apoiar o método. Em momento algum eu lhe insultei, só constatei que você é do tipo que gosta de falar bobagem sobre a Ciência sem nenhum embasamento.

Você nem sabia o que era datação geológica antes de ler estes comentários, sua opinião era que os cientistas datavam com base no aspecto, lembra? Com "difração do lazer" você quer dizer algo relacionado com desvio de raios ociosos? ;-)

Não reconheci nada, apenas mostrei a você como é feito o processo de datação e expliquei quais são as limitações.

Obrigado, vá pela sombra e da próxima vez que decidir falar sobre um assunto que não domina, considere ficar calado.

luisão, gostei da seu sarcastico "abraços fraternos" contrastando com "raciocínio limitado", mas vc não acha q essa limitação é ponderada a pessoas q se limitam a aceitar tudo q é dado pra ela engolir? eu não aceitei a precisão do carbono 14.. ai e vc ta me chingando.. e tendo crise existencial.. bom.. enfim..

a datação geológica é mais imprecisa ainda, por isso que ninguém usa ela pra reportar eventos importantes..

talvez fique boa com a utilização de lazer para detectar os tipos de material devido a difração.. mas enfim..

lendo oq vc escreveu vc reconheceu q o carbono 14 não serve.. era oq eu queria chegar...

entao.. que o seu deus te abençoe.. seja ele qual for.. esse blog.. o seu computador.. a sua vaidade..

Mas por isso mesmo é uma discussão bacana.
Futebol, política e religião serão sempre isso mesmo, formados por opiniões!
Quem quiser ter fé, tenha fé, eu tenho fé!
E voltando ao carbono 14, o real interesse é o fato de realmente saber até onde ele pode chegar, até onde pode ser confiável.
Como nosso amigo Luisao disse realmente existem diversas formas de se datar algo, como o fato das camadas de sedimento, o que também poderia ser alterado por fatores externos como uma erupção?
Então, relatos de civilizações anteriores com tecnologias avançadas, de existência humana a mais tempo que o atual conhecimento realmente "balançam" a cuca do pessoal!
Eu creio que a ciência está em um estágio tão avançado que não teriam condições nem de abrir todo o conhecimento para a população, justamente por pessoas, diria eu, prepotentes que tenderiam a ignorar ou a enlouquecer diante algo não compreendido!
Muito interessante!

Olha, já vi brigas por causa de religião, futebol, política, por causa do cachorro da vizinha, mas por causa do carbono 14 é a primeira vez...
'francamente...nem vou mais falar nada...

quanto ao tópico, muito interessante luisão, é o tipo de texto que eu sentia falta de ler e também o qual fez com que eu me aproximasse de teus blogs...parabéns, dessa vez você se superou cara! #palmas

Sou tua fã, cara.

Às vezes fico decepcionado como algumas pessoas tratam a Ciência, não pelo descrédito senão pelo raciocínio limitado que utilizam para gerar este descrédito. A datação com a técnica do carbono 14 é limitada a 70 mil anos. Desta forma seria impossível então alegar que determinado fóssil tem 250... 500 mil anos?

Uma pessoa com visão simplista e ingênua responderia rapidamente que sim. Mas não é bem assim. Cientistas que fazem estas afirmaçãoes têm anos de estudos e um nome a zelar. De forma que jamais sairiam por aí fazendo afirmações que pudessem ser contestadas por pessoas comuns e com parcos conhecimentos no assunto como a maioria de nós. Por isso antes de sair falando bobagem baseado em seu conhecimento superficial, há que saber como são feitas estas datações mais extensas.

Vou tentar explicar de forma bem rápida. Básico: os fósseis anteriores aos 70 mil anos (em alguns casos 50) não podem ser datados usando o método do carbono 14 já que sua presença estará praticamente dissipada para os sniffers radioativos atuais. Mas isso não quer dizer absolutamente que os cientistas, pesquisadores, palentólogos, egiptólogos e etc, chutam aleatóriamente a idade dos fósseis mais antigos baseados somente em sua aparência.

Aqui aplica-se um novo método: o uso de camadas geológicas para determinar a idade da rocha onde o fóssil foi coletado, já que a terra é recoberta por sedimentações e materiais fossilizados à medida que envelhece. Neste caso, diferente do método de datação do carbono, os números são menos precisos e absolutos, mas servem perfeitamente como uma aproximação da idade do material encontrado.

Para ser crítico de Ciência é necessário ao menos dominar o básico do assunto. Do contrário é melhor ficar calado.

Abraços fraternos.

um obs.. "criados pela igreja católica" não vamos sair condenando inocentes..

e 70 mil anos é meio poco não? visto q de tempos em tempos eles ficam datando coisas com milhões de anos.. sendo q a unica ponderação q tem é a aparencia.. é ridiculo..

"já que na atualidade não temos métodos confiáveis para medir radioatividades ínfimas do carbono 14." exatamente o q queria dizer..

Lendo alguns comentários, não pude deixar de notar que faltou uma leitura mais apurada para opinar sobre o assunto datação com carbono 14. Esta técnica é baseada no fato de que a quantidade de carbono 14 de tecidos orgânicos mortos diminui paulatinamente com o passar dos anos permitindo com que a medição dos seus valores em qualquer objeto antigo indique com exatidão e de forma inequívoca os anos decorridos desde a sua morte.

Como a técnica é baseada na relação inversa entre a quantidade de carbono 14 (menos) e idade (mais), este teste só deve ser usado para datar amostras que tenham no máximo 70 mil anos de idade, já que na atualidade não temos métodos confiáveis para medir radioatividades ínfimas do carbono 14. Baseado nisso a religião esperneou, inventou teorias descabeladas e toda sorte de babaquices para desmerecer a validade do método. A explicação é muito simples: o teste do carbono 14 desmente muitas falácias, entre elas o santo sudário que só tem 700 anos, criadas pela igreja.

Abraços fraternos

Vem cá, cientista não faz testes de sanidade mental não? Eles são muito propensos a loucura.

Mas pensa bem, vc ter a possibilidade de poder fazer pesquisas descobrir coisas, ter acesso a um material restrito, aqueles líquidos borbulhantes, deve ser tudo muito excitante. Muahahah.... Eu adoraria, tenho medo de pensar onde eu iria com minha loucura.

Se o cara não tiver escrúpulos, nem limites o resultado é esse tipo de coisa. E acredito que há muitas outras escondidas por detrás da historia da ciência que nunca saberemos.

Me reconheci no cara da farta e delirante imaginação, mas da seguinte forma, se eu tivesse conhecimentos em alguma área da ciência, eu brincaria com isso fazendo artigos cômicos.

Lucas, eu sei q todo ser vivo é formado por carbono.. estou querendo inferir que em um material muito antigo, a quantidade de carbono "confiavel" não é tão grande... quanto ao "a gente somos" nunca ouviu fala da musica "a gente somos inútil!" =D

Bom mesmo vai ser qdo existir prisão por anunciar a possibilidade de ter uma chance de um anuncio e verdade.

Brincadeiras a parte, às vezes me pergunto se muito do que acreditamos não é mera falácia plantada por alguém. Não, não sou conspiracionista e não acho que a ciência mente. Porém, não posso falar o mesmo dos cientistas...

Paulo: Carbono está presente em todos os seres vivos... mas não preciso comentar isso agora. Mas... a gente somos não existe :p

Que vergonha do Varte. Pensei que discutia com alguem com pelo menos um pouco de cultura. Não é este o caso.

vc sabe oq pouca ciência é, neh? aconselho a procurar..

ah.. um pequeno detalhe.. pequeno "cientista das humanas".. a materia viva é formada por menos carbono q vc imagina.. so a gente somos 80% agua..

ta.. se vc quizer ficar com a sua crise existencial fique avontade.. mas não confio no teste de carbono 14

O teste do carbono pode ser adulterado sim para apresentar novas evidências, mas mantém as originais. Vou desenhar. Um fóssil pode apresentar material de diversas datas: de ontem, da semana passada, de 1987 e de 227, de forma a evidenciar que seja datado em sua última data: 227. Nós somos puro carbono, não há como questionar, não há como apagar rastros, é química orgânica básica. Sendo assim, se alguém se dispuser a questionar o método do carbono deverá também reinventar a Química.

O teste do carbono desmontou a falácia da religião cristã, levando seguidos a uma encruzilhada: ou ele raciocina, escolhe o óbvio e rasga a bíblia; ou continua como gado acreditando naquilo que não existe. #Éfato

Luisão, este post seria legal de estar no mdig...
Só discordo também da precisão do Carbono 14. Acho que superestimam a eficácia dos testes.

apesar dos testes, é fato inegavel q o carbono 14 apresenta uma imprecisão gigantesca, devido a fragilidade q o teste tem pra ser adulterado.. pois apenas confiamos, com ele, em apenas uma variável, oq dificilmente é apresentado em um material q tem milhões de anos..

Deixe um comentário sobre o artigo