A tradição humana de usar e abusar da vida

Luna

20110729-Crueldade1.jpg

Namoramos, procriamos, evitamos predadores e matamos para comer, assim como os bichos. Semelhanças entre humanos e bichos, não são agradáveis à todos. Seguimos buscando características tipicamente nossas, da raça dominante, singularidades capazes de nos distinguir dos outros animais.

Todas as principais estruturas cerebrais humanas estão presentes em um ratinho cujo pequeno cérebro pesa dois gramas. Alguns animais possuíam capacidade de aprendizado da comunicação. Nossa habilidade para utilizar símbolos, pode ser observada em primatas selvagens.


Já não é possível sustentar que somos os únicos a ter consciência, muito menos inteligência. Mesmo assim, amamos e matamos a torto e à direito. Ratos são usados em larga escala para pesquisas, milhões de frangos são abatidos em série. Com 12 Filhotes de foca ainda não desmamados fazem um casaco de peles.

Os ditos nossos melhores amigos, os cães, servem de almofada para madames de bairros nobres, mas na Coréia viram churrasquinho. Se os gatos foram deuses egípcios, na comunidade da Mangueira, no Rio de Janeiro, servem de tamborim. Vacas sagradas na Índia, mutiladas em farras ibéricas.

A vida livre não garante melhor sorte - Leões, baleias, elefantes, tubarões, macacos.... Tantos magníficos animais, destroçados por carne, osso ou veneno antimonotonia. Aliás, está entediado? Que tal caça esportiva? Temos também tendência estranha de aprisionar o que amamos, os pássaros que o digam. Nada surpreendente até aqui, uma vez que, somos capazes de negligenciar o bem-estar do nosso próprio semelhante.

Entenda que não se trata mais dos direitos de uma ou outra espécie, mas de todas. Somos bilhões a consumir sem saber de onde vem o produto e para onde vai o lixo. No caso da matança para alimentação, a saída não é esquecermos nosso passado carnívoro. Pense que o vegetarianismo radical omite o prejuízo ambiental da monocultura.

Para ontem, é necessário diminuir as populações com controle de natalidade. Cabe a ciência desenvolver a carne de laboratório, saborosa, saudável. A libertação de nossa sina assassina não passa pela negação da ciência. Levamos o planeta à degradação, mas novos hábitos e avanços científicos podem mudar este quadro. Somos o problema agora, mas podemos também ser a solução. Ou talvez, quem sabe... ela esteja na nossa extinção.

Via | Viver Mente.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

Me lembro que foi pensando em como que é injusto matar um animal para comer ou para usar sua pele como vestimenta que eu parei de comer carne.
Se ao menos o nosso corpo tivesse a estrutura de um ser carnívoro...mas não. Somos onívoros, podemos tanto escolher entre carne e vegetais, nosso organismo é preparado para ambos...por tal motivo fiz minha escolha, pois é cruel matar um animal para comer...

First!Para mim,os humanos são simples ratos sem inteligência,sem os animais,a equilibração entre animais e humanos irá acabar,e além disso,para mim isso é crueldade,os humanos matam ambos,matam eles mesmos e também os animais,para mim os animais são nossos semelhantes,imaginem viver como um animal,como seria difícil,e os humanos matam os animais apenas para comer,fazer roupas,e os caçadores são as pessoas mais cruéis do mundo,eu ja tive 2 gatos,que morreram de envenenamento,não fui eu mesmo que envenenei ele,é tudo culpa dos caras que colocam veneno de rato por todos os lugares,os humanos são cruéis,eles só se importam com si mesmo,eu sempre me sinto um covarde quando estou comendo peixe,pois os animais sempre deveriam viver livres,gente,matar um animal é igual a matar seu semelhante,antes os animais dominavam a terra(sim os animais vieram antes dos humanos),e agora na chegada da humanidade,os animais são mortos apenas para fazer casacos de pele,comida,e outras coisas idiotas,e aquela imagem lá em cima,me deu tanta raiva que eu quase quebrei meu pc,pois mesmo dizendo que os cachorros são os melhores amigos dos homens,eles ainda matam eles.
Matar animais é igual a matar seu semelhante.

Deixe um comentário sobre o artigo