Desenvolvem um chip de 1 dólar para detectar o HIV e outras doenças em 15 minutos

LuisaoCS

Desenvolvem um chip de 11 dólar para detectar o HIV e outras doenças em 15 minutos

Eu não gosto muito de publicar notícias como esta porque geram expectativas que muitas vezes não serão preenchidas. Mas o que está vendo na foto pode supor uma revolução médica enorme tanto para países em via de desenvolvimento como os supostos países desenvolvidos. Trata-se de um chip que com um preço de apenas 1 dólar é capaz de detectar doenças como o HIV, sífilis, malária e a hepatite.


E não é só isso, senão que qualquer pessoa poderá fazer o teste com apenas uma gota de sangue e obter os resultados em 15 minutos com uma grandíssima confiabilidade.

Poderia parecer bom demais para ser verdadeiro, mas é assim, este chip desenvolvido na Universidade de Columbia e com o nome de mChip poderia ser uma revolução médica enorme.

Seus criadores levaram em conta que obter fundos para detectar doenças em países em via de desenvolvimento pode ser complicado, motivo pelo qual tiveram uma idéia genial ao desenvolver um sistema que também poderá ser usado para diagnosticar doenças comuns nos países ricos.

Ainda que alguns de nós tenhamos a sorte e meios de realizar testes e análises em clínicas pagas, em alguns locais pelo interior do país e em muitos outros países não existe nenhuma alternativa. Ademais muitas vezes o medo, a ignorância ou a espera fazem com que grande parte da população nunca o comprove.

Pois bem, com estes chips e seu correspondente leitor, que deverá ter um preço mais elevado de 100 dólares, poderemos comprovar muitas doenças de transmissão sexual, mas também aquelas que açoitam os países pobres como é o caso da malária ou outras que qualquer um pode ter, como o câncer de próstata, por exemplo.

Ademais, segundo os testes, sua fiabilidade é de 100% ainda que com um 4-6% de falsos positivos. Toda uma maravilha que esperemos que consiga os fundos necessários para seguir adiante e que se torne realidade logo logo a nível mundial.

Via | Columbia.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

Rapa! Tô impressionado!

Deixe um comentário sobre o artigo