Noah Glass - Histórias de co-fundadores esquecidos III

LuisaoCS

Noah Glass - Histórias de co-fundadores esquecidos III

Depois de falarmos sobre Ron e sua parte na sociedade da Apple lá pelos anos 70, vamos viajar até os dias atuais para conhecer o arredio Noah Glass, um dos fundadores do Twitter, e seu papel no início da companhia, que foi revelado este ano após desaparecer da história oficial da empresa. Glass trabalhava com Evan Williams na empresa Odeo, dedicada no desenvolvimento de podcasts. Quando a companhia se deu conta de que os podcasts não funcionariam, Williams pediu a seus empregados que começassem a pensar em outras coisas. Separaram-se em grupos e Glass foi trabalhar com Jack Dorsey.


A ideia do Twitter nasceu com Dorsey, mas foi Glass quem começou a colocá-la em prática junto com um programador chamado Florian Webber, que também teve um papel fundamental na ferramenta de mensagens curtas. Glass foi inclusive quem batizou o serviço como "twttr". Mas, como não podia ser de outra forma, os bastidores das empresas de tecnologia sempre têm algo de muito podre e o Twitter não fugiu a regra.

Quando o projeto do Twitter decolou e ganhou o entusiasmo popular, Williams despediu Glass da empresa e depois deletou sua biografia do histórico da mesma. Aparentemente os dois deixaram de "se bicar" desde o fracasso da Odeo. Williams providencialmente espalhou um rumor de que Glass queria fundar uma empresa a parte e levar para lá a ideia do Twitter, o que teria provocado a decisão.

A verdade é que ninguém sabe ao certo quem é o mau caráter da história, ainda que tudo leve a evidenciar que Williams estudou na mesma escola de Mark Zuckerberg, onde não ensinam moral e ética profissional. Glass nuca teve recursos para iniciar uma empresa por separado, dinheiro do qual sim dispunha Williams, que há pouco tinha vendido o Blogger para o Google.

Quando o Twitter começar a fazer dinheiro, alguém duvida de que Glass não irá cobrar a sua parte do bolo?


Notícias relacionadas:

 

Comentários

Nenhum comentário ainda!

Deixe um comentário sobre o artigo