Eduardo Saverin poderia ser banido dos EUA após renunciar nacionalidade

LuisaoCS

Eduardo Saverin poderia ser banido dos EUA após renunciar nacionalidade

O co-fundador do Facebook, Eduardo Saverin, gerou grande polêmica nos Estados Unidos ao renunciar a nacionalidade estadunidense, supostamente para não ter que pagar impostos sobre os milhões que receberá quando a rede social passe a ter suas ações cotadas na bolsa de valores a partir de amanhã. É que se trata de bastante dinheiro: ao menos USD$67 milhões.

A decisão de Saverin, não passou despercebida e hoje os senadores Charles Schumer e Bob Casey apresentaram um plano para obrigar às pessoas que renunciam a nacionalidade americana a pagar impostos iguais, a não ser que demonstrem que não renunciaram para evitar os encargos. A ideia é ademais proibir a entrada ao país a quem renuncie a nacionalidade por este motivo.


O projeto "Expatriation Prevention by Abolishing Tax-Related Incentives for Offshore Tenancy" ou "Ex-Patriot Act", planeja obrigar a quem renuncie a nacionalidade a pagar de qualquer jeito os 30% de imposto sobre os ganhos de capital, ainda que não residem nos Estados Unidos.

Saverin vive desde 2009 em Cingapura, onde não se pagam impostos pelos ganhos de capital. Ele apresentou sua solicitação de renúncia à nacionalidade em setembro de 2011 e respondeu através de um comunicado que sim pagará os impostos.

O co-fundador disse a Reuters que sua decisão de renunciar a nacionalidade se baseou unicamente em seu interesse de trabalhar e viver em Cingapura, onde mora desde 2009. Saverin agregou que:

- "Paguei e seguirei pagando qualquer imposto que deva em tudo o que tenho recebido enquanto cidadão estadunidense. É desafortunado que esta decisão pessoal tenha derivado em debate público baseado não nos fatos, senão em especulação e desinformação".

Não está claro se há mais casos tão milionários como o de Saverin que possam ser afetados se o projeto proposto pelos senadores for aprovado. A entrada n bolsa do Facebook é uma das mais milionárias nos últimos aos, motivo pelo qual mais pessoas parecem estar dedicando atenção à situação.

Me parece que estão, como disse Saverin, realmente fazendo uma tempestade em copo d'água com seu nome, já que o próprio confirma que nunca deixou de pagar um centavo de imposto. O que acontece e pode ser lido nos comentários do Bloomberg é que estão boquiabertos pelo fato do brasileiro simplesmente não ter aceito a nacionalidade e, pior, parece suscitar algo como um insulto.

Ademais, ler os comentários é presenciar um festival de nacionalismo exacerbado e agora, que estão metidos no início de uma crise que nunca pensaram que existisse, é possível ver opiniões tão absurdas como alguém que sugere que os EUA cobre imposto do restante do mundo por nos "proteger" dos perigos do fundamentalismo islâmico. Tenho medo das nuvens no horizonte.

Via | TechCrunch.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

se o cara renunciou a nacionalidade americana antes de receber o dinheiro não há do do que reclamar

Foi uma jogada de mestre.
Palmas pro contador dele.
Pau no ____ EUA com os impostos.
Eu faria isso.

Deixe um comentário sobre o artigo