O Cometa Halley

Maria

O cometa Halley foi o primeiro cometa a ser reconhecido como periódico. Reparando que as características observáveis de um cometa em 1682 eram praticamente as mesmas que as de dois cometas que tinham aparecido em 1531 (observado por Petrus Apianus) e 1607 (observado por Johannes Kepler), Halley concluiu que todos os três cometas eram na realidade o mesmo objecto que voltava de 76 em 76 anos (o período foi entretanto corrigido para 75-76 anos). Depois de uma estimativa das perturbações na orbita que o cometa iria sofrer devido à atração dos planetas, Edmond Halley previu o seu regresso em 1758. A previsão feita por Halley estava correta.

O cometa foi registrado pela primeira vez em 240 a.C. e mostrou-se visível a olho nu em todas as suas 30 aparições registradas. Nos anos 374, 607, 837 e 1066, apresentava um brilho maior do que a mais brilhante das estrelas do hemisfério celestial norte.


O brilho do cometa, quando está no periélio, tem sido interpretado como uma indicação de que este perde aproximadamente 3x1011 kg de gás e poeira em cada aparição; este valor representa cerca de 0,1% da sua massa total. As partículas de poeira maiores compõem um grupo de meteoros que é atraído pela Terra duas vezes por ano. Isto tem como consequência as chuvas de meteoros Eta Aquárida, no final de abril, e Oriónidas, no final de outubro. A massa deste fluxo de meteoros indica que o cometa está na meia-idade: foi capturado pelo campo gravitacional de Júpiter, que o obrigou a descrever a órbita atual mais ou menos 200 mil anos atrás, numa época em que seu núcleo tinha aproximadamente 19 km de diâmetro. Este núcleo agora tem mais ou menos 11 km de diâmetro e dentro de 300 mil anos terá desaparecido completamente. O sucesso da predição de Edmond Halley do retorno de seu cometa em 1759 foi considerado como uma prova sensacional da lei da gravitação de Newton.

No ano próximo à reaparição de 1986, a humanidade tinha 28 anos de era espacial e uma frota de espaçonaves foi enviada para observá-lo, inclusive a sonda Giotto em julho de 1985.

Estava também planejado que duas missões do Ônibus Espacial, a STS-51-L, que resultou na destruição do Challenger, e a STS-61-E, observariam o cometa a partir da órbita terrestre baixa. A STS-61-E seria a missão seguinte a decolar após o final do voo do Challenger. Agendada para Março de 1986, transportaria o observatório ASTRO-1, uma plataforma de estudo do Halley . A missão foi cancelada e o Astro-99, com uma nova circunferência de telescópios, somente foi ao espaço no final de 1990.

O cometa halley fez sua passagem pela terra em 1910, deixando o mundo todo em pânico. Pensavam ser o fim do mundo. Contudo, essa idéia um tanto absurda não veio de religiosos ou de pessoas que dizem prever o futuro, mas sim de cientistas pois acreditavam que a cauda do cometa halley tinha um gás mortal e que o cometa passaria muito próximo a terra, atingindo muitos. A esperança de vida voltou quando outros cientistas afirmaram que o cometa halley não afetaria em nada a vida na terra. Uma curiosidade sobre o cometa halley é que Mark Twain nasceu em 1835, no mesmo dia em que o cometa fez a primeira aparição e disse em 1909 que do mesmo jeito que ele veio com o cometa, ele iria embora com o cometa halley. Mark Twain morreu em 1910… Sinistro!

O próximo periélio do Cometa Halley será em 28 de julho de 2061.

Via | Wikipedia e Toda Novidade.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

Luke, com certeza os registros são de bem antes do nascimento de Twain.

Rev4, obrigada!

Se ele foi registrado antes de Cristo, como ele apareceu pela primeira vez no nascimento de Twain.

Bom trabalho.

Deixe um comentário sobre o artigo