Graph Search, o buscador exclusivo do Facebook

LuisaoCS

Graph Search, o buscador exclusivo do Facebook

A maior rede social do mundo, Facebook, decidiu abrir uma nova frente na guerra da Internet: os buscadores. Quando parecia que ninguém podia incomodar o gigante Google, a companhia de Zuckerberg lançou um motor de busca próprio que, em palavras do fundador da empresa, "é uma forma totalmente nova para que as pessoas encontrem informação no Facebook". A chegada da ferramenta é mais uma nova tentativa de Zuckerberg de assomar valor às ações do Facebook na bolsa, que, coincidindo com o lançamento, marcou forte queda em seu valor.


Graph Search, nome do novo buscador, permite encontrar fotos, pessoas, interesses, etcétera que estejam dentro de Facebook. Ademais seus criadores dizem que desenvolveram a ferramenta para que seja mais fácil e natural que outros motores, permitindo buscas a partir de perguntas habituais. Por exemplo, dentro do Graph Search não há que falar como se fosse uma máquina, senão que é possível perguntar de maneira direta o que precisa. Se quiser saber que seus amigos visitaram Paris não deverá escrever "Paris, viagem, amigos" senão que instruirá ao buscador "Que amigos viajaram para Paris?" De fato, segundo o próprio Zuckerberg, "um dos maiores problemas no desenvolvimento foi como conseguir fazer com que as pessoas pudessem buscar com perguntas naturais e intuitivas".


Um dos problemas pontuais do Facebook, em muitos países, é concernente a privacidade dos usuários, muitos detratores inclusive afirmam que Zuckerberg estaria vendendo os dados dos usuários para seus anunciantes. Mas como funciona o Graph Search com cada usuário concreto em função dos níveis de privacidade estipulados? Segundo parece, se a informação não for pública ou existirem limites privados especificados pelo usuário, o buscador não mostrará nada. Nas palavras do CEO de Facebook, o buscador "levará em conta a privacidade dos dados".

Por enquanto o buscador encontra-se na versão Beta e não está aberto ao público. Também não existe uma data de lançamento concreta, ainda que os usuários que desejem prová-lo podem apontar na página oficial. Em qualquer caso, Zuckerberg, em seu vídeo de lançamento promocional manifestou os três pilares básicos sobre os quais se sustentam as mudanças do Facebook: as notícias, a cronologia (o famoso timeline) e Graph Search.

Conseguirá este buscador fazer sombra a Google?


 

Comentários

Eu já tenho o Graph Search.
As pessoas irão reaprender a usar a rede social, pois os poderes da falta de privacidade são enormes com esta ferramenta.

Deixe um comentário sobre o artigo