Instituto Pasteur em Paris adverte que há 14 adultos que curaram funcionalmente o HIV

LuisaoCS

Instituto Pasteur em Paris adverte que há 14 adultos que curaram funcionalmente o HIV

Um estudo realizado pelo Instituto Pasteur em Paris provou que alguns pacientes com HIV controlam a propagação do vírus se forem tratados antes que completem 10 semanas com o mesmo. Os pacientes, de um grupo conhecido como a corte de Visconti, receberam o tratamento de maneira muito precoce, quando descobriram que eram portadores do vírus ao ingressar no hospital por outras razões.

Seguiram o tratamento de drogas antiretrovirais em média por três anos e depois abandonaram-no. O tratamento assegura-se de manter o vírus controlado, mas normalmente ao interrompê-lo este regressa e continua atacando o sistema imunológico.

Mas isto não sucedeu com os pacientes da corte de Visconti. Apesar de terem interrompido seu tratamento -em alguns casos por uma década- controlaram o vírus, mas não o erradicaram.


O estudo que foi publicado na PLoS Pathogens, analisa o que aconteceu no sistema imunológico de alguns pacientes, no entanto, os médicos não estão seguros de como exatamente os pacientes controlam o vírus sem tratamento e por que só entre 5% e 15% deles o fazem.

O Dr.Asier Saez-Cirion do Instituto Pasteur explica que "ainda têm o HIV, não estamos erradicando-o, é algo como uma remissão da infecção".

No momento, os médicos supõem que a detecção precoce, seguida pelo tratamento adequado ajuda a controlar o número de esconderijos inexpugnáveis formadas pelo HIV. O Dr. Andrew Freedman da Universidade de Cardiff explica que "iniciar o tratamento de maneira prematura poderia significar que o vírus não se estenda a tantas reservas a longo-prazo e por isso funciona, no entanto, pelo momento não há maneira de saber se isto será para sempre ou só por uns tantos anos".

O problema é que a maioria dos pacientes não serão diagnosticados em tempo hábil. Em média uma pessoa contagiada com o HIV vive com o vírus por 5 anos antes de ser diagnosticada.

Ainda que a percentagem de pacientes que são curados "funcionalmente parece ser baixa, a descoberta segue sendo muito importante já que há somente três estudos que conseguiram combatê-lo, nos mostrando que poderíamos estar bem perto de encontrar uma cura definitiva para a AIDS.

Via | io9.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

Nenhum comentário ainda!

Deixe um comentário sobre o artigo