As vendas de smartphones crescem 44% em todo mundo

LuisaoCS

As vendas de smartphones crescem 44% em todo mundo

Crise? Que crise? O mundo da telefonia móvel vive mergulhado há mais de uma década em uma bolha de prosperidade e bons resultados que, longe de murchar, cresce ano após ano, alheia às penúrias pelas quais estão passando outros setores industriais que sim estão sendo afetados pela adversa situação econômica que enfrentam milhões de pessoas no planeta.

Boa prova disso é o último relatório apresentado pela empresa de análise de mercados Canalys, no qual informa que durante o terceiro trimestre do ano foram vendidos 250 milhões de smartphones a nível global, 44% a mais que no mesmo período do ano anterior.


As multinacionais que foram mais favorecidas por este crescimento são, como não, Samsung e Apple, a primeira com 34% e a segunda com um 15% das vendas totais. A certa distância seguem as chinesas Huawei e Lenovo, que estão atraindo milhões de consumidores oferecendo terminais potentes a preços muito baixos, e a sul-coreana LG, que depois de anos vagando pelo deserto parece ter retomado a boa vereda.

Injuriados por alguns, os smartphones com telas de 5 polegadas ou mais seguem ganhando adeptos e já são 22% do mercado, algo impensável há pouco tempo. Sem ir mais longe, só no período compreendido entre os meses de julho e outubro, foram vendidos 56 milhões de unidades.

Uma vez mais, a China voltou a ser o país no qual venderam mais terminais, com quase 100 milhões de unidades. Pois se isso não fosse o bastante, lá também aconteceu o maior crescimento de demanda depois de registrar um espetacular incremento de 64%. Só para se ter uma ideia, o gigante asiático monopoliza 39% das vendas globais, muito adiante de regiões como América do Norte ou Europa que tradicionalmente apareciam no topo dos últimos dois trimestres. Um dado que vem reafirmar a importância crescente que as economias asiáticas estão conseguindo nos últimos anos no mercado global.

Via | Canalys.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

Nenhum comentário ainda!

Deixe um comentário sobre o artigo