Nossa sociedade só evoluiu graças a uma queda geral da testosterona

LuisaoCS

Nossa sociedade só evoluiu graças a uma queda geral da testosterona

Você é do tipo que está obcecado com "101 métodos para aumentar a testosterona?" Pare! Já! Poderia estar levando tudo para o caos. Ao menos isso afirma um estudo publicado na revista Current Anthropology: nossa transição à civilização moderna poder ter coincidido com uma queda geral de testosterona em nossa espécie.

Este hormônio, com maior presença nos homens que nas mulheres, em níveis altos está associado a maiores índices de agressividade, menor grau de empatia e um maior desejo de competitividade. Ingredientes que parecem complexos para dar início à difícil tarefa de criar uma sociedade organizada. Mas não é só no caráter onde os níveis de testosterona deixam impressão. Há evidências físicas, como a forma de nosso crânio.

Foram precisamente 1.400 crânios os protagonistas da pesquisa realizada por Robert Cieri, estudante da Universidade de Utah. Ele e seus colegas analisaram detalhadamente as peças, compararam o arco superciliar, a forma do rosto e o volume interior de 13 crânios humanos com mais de 80.000 anos, 41 crânios de 10.000 a 38.000 anos e uma mostra global de 1.367 crânios do século XX dos 30 grupos étnicos diferentes.


Comparando os crânios antigos com os modernos, observaram que a tendência era uma redução no arco superciliar e um encurtamento da zona superior do rosto, traços que geralmente refletem uma redução da testosterona.

- "Sobrancelhas mais densas e menos proeminentes, cabeças mais redondas... todas essas mudanças podem estar diretamente relacionados com os níveis de testosterona que agem sobre o esqueleto", afirma em a nota de imprensa o professor e coautor do estudo, Steven Churchill, da Universidade de Duke.

Há muitas teorias de por que, depois de 150.000 anos de existência, os seres humanos demos de repente um salto para a tecnologia. Ainda que há registro de fósseis que certificam o aparecimento do Homo Sapiens há pelo menos 200.000 anos, não foi até há 50.000 anos quando aparecem as primeiras evidências de um comportamento moderno, como a fabricação e uso de ferramentas avançadas, artefatos para a pesca ou os primeiros traços da arte.

Isto foi impulsionado por mudanças biológicas em nosso cérebro? Talvez por começarmos a cozinhar os alimentos? Ou seria simplesmente em consequência da densidade de população? Os autores do estudo argumentam que a sociedade humana avançou quando começamos a ser mais agradáveis com os demais, o que implica ter um pouco menos de testosterona em ação em nosso corpo para que a empatia funcione corretamente.

A testosterona está associada à tolerância social e à cooperação entre bonobos e chimpanzés. Também, com uma menor agressividade nos seres humanos. Cieri especula que as densidades de população mais altas poderiam ter sido a causa da mudança para níveis menores de testosterona, já que quando as pessoas se viram obrigadas a trabalhar em equipe para obter melhores resultados, ter um caráter agressivo era completamente incompatível.

- "Qualquer que seja a causa, os níveis reduzidos de testosterona transformaram as pessoas em seres mais sociáveis", explica Cieri. - "Isto ajudou a que aprendêssemos melhor e a que fosse possível a cooperação entre nós, nos permitindo acelerar a inovação cultural e tecnológica, selo distintivo do sucesso humano moderno", conclui.

Via | Science Daily.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

Caráter agressivo, territorialista, totalmente avesso a novidades e se quer saber mijei no monitor pra demarcar território.

Deixe um comentário sobre o artigo