A precrastinação é pior que a procrastinação?

LuisaoCS

A precrastinação é pior que a procrastinação?

Muito provavelmente você se identifique com o novo termo acunhado por psicólogos pesquisadores: a pré-crastinação. Normalmente você estaciona seu carro no primeiro espaço livre que encontra, ainda que quando regresse do mercado tenha que carregar as sacolas por meio quarteirão? Ou então você limpa sua casa, faz a comida, responde os e-mails e risca atividades de sua lista de coisas a fazer antes de sentar e começar a trabalhar? Se sim, então você é um precrastinador e saber disso pode ser importante em sua vida.

O termo foi criado por pesquisadores há alguns meses e publicado na Psychological Science. Descreve as pessoas que fazem as coisas o quanto antes possível -antes do requerido-, inclusive se isso significa mais esforço físico e mais tempo e energia perdidos. Os precrastinadores não diferem as tarefas até o último minuto, assim como os procrastinadores, senão que todo o contrário.


No experimento que inspirou o termo, os pesquisadores deram aos participantes a escolha de carregar um de dois pesados baldes cheios de moedas ao final de um longo corredor. Um balde era colocado bem perto da meta final, mas a maioria dos voluntários escolheu o outro balde -mais próximo a eles- inclusive se tinham que carregá-lo mais longe, o que significava mais esforço, mesmo depois dos pesquisadores enfatizarem que poderiam escolher a tarefa mais fácil. A razão, de acordo com os autores do estudo, foi que a tarefa solicitada pesava mentalmente: ele queriam terminar com ela o antes possível.

- "Ao pegar o balde mais próximo, podiam riscar essa tarefa de sua lista mental de coisas a fazer mais rápido do que se pegassem o balde longínquo", apontou o líder da pesquisa David Rosenbaum. O fenômeno dos baldes não é difícil de reconhecer na vida cotidiana. A sedutora urgência de eliminar coisas a fazer antes de começar o verdadeiro trabalho importuna todo mundo.

O perigo da precrastinação, como dito acima, é que, diferente da procrastinação, quando deixamos as coisas até o último momento há uma desconforto imanente que não nos deixa em paz até que façamos o que tem de ser feito. E ademais, na procrastinação com frequência ocorrem momentos de inspiração ou encontros poéticos inusitados. Ao precrastinar, ao contrário, achamos que estamos arranjando tudo para poder finalmente fazer o que devemos ou trabalhar em paz, e esse momento se difere muitas vezes sem que nos darmos conta.

Parece lógico que as tarefas que temos na agenda mental -seja limpar a casa, limpar o canil dos animais, cortar a grama, pintar a casa) nos pesem, quase fisicamente, e nos tirem a tranquilidade para trabalhar -por isso queremos fazê-las e "jogar no lixo" o lembrete constante–. Mas é uma maneira de confundir o "urgente" com o "importante", inclusive se essa urgência é meramente ilusória. A melhor maneira de lidar com a precrastinação é atribuir-lhe um horário definido e não deixar misturar com o trabalho "real". Limpar a casa em um horário livre, responder e-mails pela noite ou limpar o canil no fim de semana, só para citar alguns exemplos.

Via | APS.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

Há uns dois anos eu me senti mal.
Tinha noites de insônia e dias de corpo cansado.
Minha cabeça começava a doer de madrugada.
Eu engordava e emagrecia em seguida parecendo uma sanfona.
Minha mesa de trabalho estava sempre cheia, as pendências se acumulavam por causa de uma intranet lenta e que muitas vezes simplesmente travava (e ainda trava) por dezenas de minutos.
Eu, enlouquecida, tentava dar conta de tudo ao mesmo tempo. Das pendências, das cobranças por metas, das demandas dos clientes (e sem poder fazer hora extra) e da minha vida particular...e claro que ela ficou por último na lista de prioridades.

Precisei ir ao médico e tive de fazer o "mapa". A pressão arterial oscilava de maneira rápida. Em menos de meia hora ia dos 12x8 aos 17x12 paara em seguida voltar ao normal. O pico mais alto era durante a madrugada, por isso a dor na cabeça.

Com ajuda médica reformulei tudo.
Em primeiro lugar vem minha saúde que tenho cuidado com alimentação saudável e exercícios na academia e assim consegui deixar dos remédios para hipertensão.

Depois vem o meu trabalho que dividi em 3 tipos: o que é para hoje, o que é para amanhã e o que é do meu gerente ( até pq ele ganha o triplo que eu pra resolver problemas que não são da minha alçada :D )

Minha mesa continua com pilhas de demandas pendentes divididas por prioridade e não enlouqueço mais por causa disso.

Deixe um comentário sobre o artigo