Google confirma que os governos exigem a cada ano mais dados pessoais sobre os internautas

LuisaoCS

Google atualizou pela décima vez seu conhecido Relatório de Transparência e publicou informação de relevância a respeito das petições que os governos fizeram durante a primeira metade de 2014 solicitando dados de caráter pessoal sobre usuários que estavam sendo pesquisados em seus respectivos países.

O ponto que mais chama a atenção é que desde que foi publicado este documento pela primeira em 2009, as demandas de informação das diferentes administrações aumentaram um preocupante 150%. De fato, se levarmos em conta os primeiros seis meses de 2014 superam já 15% o total de 2013.

No período compreendido entre janeiro e junho deste ano, Google teve que fornecer informação requerida por agências governamentais e tribunais em 65% das vezes, ainda que esta percentagem varia muito em função dos países.

Assim, por exemplo, o 84% dos requerimentos provenientes dos Estados Unidos obtiveram uma resposta afirmativa do buscador. No Reino Unido a proporção foi de 72%, enquanto no México alcançou 71%, na França 59%, Argentina com 55%, Alemanha 48%, Espanha 46% e Colômbia só 7%. Convém destacar que Google se negou a atender todas as 224 solicitações de informação feitas pela Turquia.

Diversas leis permitem que órgãos governamentais investiguem violações regulamentares ou atividades criminosas e em muitos casos o Google não tem outra saída do que fornecer os dados, mas isso nem sempre é assim.O governo brasileiro fez 684 solicitações e o Google teve que liberar informação de 380 usuários (55%).



Notícias relacionadas:

 

Comentários

Qualquer dia desses vamos acordar em 1984.

Deixe um comentário sobre o artigo