Pesquisa revela que acordar tarde aumenta nosso rendimento: mostra para sua mãe

LuisaoCS

Pesquisa revela que acordar tarde aumenta nosso rendimento: mostra para sua mãe

Ou então para o seu chefe... Muitos de nós vivemos privados de sono, mas o que aconteceria se pudéssemos colocar o sono em dia com uma solução bastante simples como levantar tarde? Nesta semana, em um discurso no British Science Festival, o doutor Paul Kelley, sócio e pesquisador clínico no Sleep and Circadian Neuroscience Institute da Universidade de Oxford, fez um chamado às escolas para modificar seus horários de início de atividades para trabalhar com o ritmo biológico natural dos estudantes. Isto ajudaria a melhorar o desempenho cognitivo, os resultados dos exames e da saúde dos estudantes (a privação do sono já foi relacionada com diabetes, depressão, obesidade e alterações do sistema imunológico).

Paul já havia publicado um documento no ano passado, no qual assinala que quando as crianças estão ao redor dos 10 anos seu alarme biológico está programado aproximadamente às 6:30 da manhã, em jovens de 16 anos este alarme passa para às 8:00, e em jovens de 18 anos o alarme biológico está programada para as 9:00. A hora de início da escola convencional funciona para crianças de 10 anos de idade, mas não em jovens de 16 nem 18 anos.


Para os adolescentes maiores pode ser melhor começar a jornada escolar às 11 horas ou inclusive mais tarde. Kelley e seus colegas assinalam que:

- "Um alarme soando às 7:00 para um adolescente maior é o equivalente a um alarme às 4:30 que soa para um professor de 50 anos". Kelley afirma que não é tão simples como só persuadir os adolescentes de sair da cama mais cedo.

- "O ritmo natural do corpo é controlado por um determinado tipo de luz", diz Kelley. - "O olho não só contém cones e bengalas: contém células que depois informam ao SNC [núcleos supraquiasmático], no hipotálamo", esta parte do cérebro é a que controla nossos ritmos circadianos em um ciclo de 24 horas.

Mas não são só os estudantes que se beneficiariam de um início de atividades mais tarde. Kelley diz que o dia trabalhista deveria ser mais permissível com nossos ritmos naturais. Descrevendo a média de perda de sono por noite com diferentes grupos, o pesquisador opina:

- "Entre os 14 e os 24 são mais de 2 horas de perda de sono. Para pessoas de idades entre 24, 30 ou 35 anos, é para perto de 1 hora e meia de perda de sono. Isso pode continuar até que tenhamos 55 anos, quando entra em equilíbrio outra vez. Aos 10 e aos 55 anos as pessoas dormem e acordam naturalmente ao mesmo tempo".

Isto pode explicar por que o tradicional horário das 9 às 5 é tão habitual; é mantido pelos chefes, muitos deles acima ou nos 50, porque é melhor para eles. Então os espaços de trabalho deveriam ter tempos de início instáveis também? Deveriam aqueles que estejam acima e em seus 50 anos chegarem às 8:00, enquanto os que estão nos 30 às 10:00, e os adolescentes e aprendizes animados a chegar às 11:00?

Kelley diz que sincronizar o tempo poderia ter muitas consequências positivas. O lado positivo disto é que o desempenho das pessoas, o ânimo e a saúde melhorariam. É muito positivo porque é uma solução que faria com que as pessoas ficariam menos doentes, mais felizes e melhores no que fazem.

Fonte: The Guardian.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

Lembrando que o horário de verão está chegando e eu e minha adolescência tardia sentimos muito os efeitos negativos dele.
Nem sei se economizamos mesmo taqnta energia elétrica que valha a pena acabar com a minha energia matinal.

Deixe um comentário sobre o artigo