Prêmios Ig Nobel 2015: quando a ciência é motivo de riso

LuisaoCS

Prêmios Ig Nobel 2015

Por fim chegou um dos momentos do ano que com mais ansiedade esperamos, o da entrega dos prêmios Ig Nobel, aqueles mediante os quais o Instituto de Pesquisas Improváveis divuldo as decobertas e pesquisas científicos que primeiro fazem com que a gente ria e depois pense (ou chore de rir). De modo que sem mais dilações aquei estão os agraciados na edição de 2015 dos prêmios Ig Nobel:

  • Química: Callum Ormonde e sua equipe por inventarem uma receita química que permite descozinhar parcialmente um ovo.
  • Física: Patricia Yang, David Hu e assistentes, por comprovarem o princípio biológico de que todos os mamíferos esvaziam suas bexigas em 21 segundos (mais ou menos 13 segundos).
  • Literatura: Mark Dingemanse, Francisco Torreira e Nick J. Enfield, por descobrirem que a palavra né? (ou seus equivalentes) parece existir em todas as linguagens humanas e não conseguiram chegar a uma conclusão do por quê?.
  • Gerenciamento: Gennaro Bernile, Vineet Bhagwat e P. Raghavendra Rau, por descobrirem que muitos diretores de empresas e negócios desenvolveram uma tendência por aceitar riscos quando experimentaram desastres naturais (como terremotos, erupções vulcânicas, tsunamis, e incêndios florestais) que para eles não tiveram conseqüências pessoais.
  • Economia: Polícia Metropolitana de Bangkok, Tailândia, por oferecer aumento de salário aos polícias se estes recusassem aceitar subornos.
  • Medicina: outorgado ex-aequo aos grupos de Hajime Kimata e de Jaroslava Durdiaková por experimentos para estudar os benefícios ou conseqüências biomédicas de beijar intensamente (e outras atividades íntimas e interpessoais).
  • Matemática: Elisabeth Oberzaucher, da Áustria, e Karl Grammer, por tentar usar técnicas matemáticas para determinar como Mulai Ismail do Marrocos fez para engendrar 888 filhos entre 1697 e 1727 nas suas 500 esposas.
  • Biologia: Bruno Grossi e equipe, por observarem que quando a gente coloca um pau com um peso na parte traseira do lombo de uma galinha, então a ave caminha de uma forma similar àquela em que pensamos que os dinossauros caminhavam.
  • Diagnóstico médico: Diallah Karim, Anthony Harnden e plantel, por determinarem que uma apendicite aguda pode ser diagnosticada pela quantidade de dor que sofre um paciente quando anda de carro que passa sobre quebra-molas.
  • Fisiología e entomología: ex-aequo para Justin Schmidt, por criar o Índice Schmidt de Dor de Picadas, que avalia a dor relativa sofridas pelas pessoas quando saõ picadas por diferentes insetos; e para Michael L. Smith, por experimentar picadas de abelhas repetidas vezes em 25 lugares diferentes de seu corpo para ver em quais dói menos (crânio, ponta do dedo médio do pé e parte superior do braço) e em quais dói mais (fossas nasais, lábio superior e a base do pinto).


Notícias relacionadas:

 

Comentários

Os jurados do IgNobel tem que ganhar o premio, pois tem descobertas interessantes, o descozinhar o ovo seria interessante para quem produz ovo em po ou pasteurizado, mas não pode usar ovo cozido, nem que parcialmente em alguma receita.

Deixe um comentário sobre o artigo