Descobrem que nossos antepassados cruzaram com uma espécie desconhecida

LuisaoCS

Descobrem que nossos antepassados cruzaram com uma espécie desconhecida

Um grupo de cientistas espanhóis e indianos concluíram um estudo publicado na revista "Nature Genetics" que nossos antepassados cruzaram com uma espécie desconhecida cuja impressão ainda pode ser encontrada no genoma dos habitantes das ilhas indianas de Andamão, situadas na costa do subcontinente.

Para a realização do estudo os cientistas analisaram o genoma de 70 pessoas, 10 deles oriundos do arquipélago, com a intenção de determinar a origem de seus gentes. Revelou-se que os habitantes de Andamão são geneticamente muito parecidos ao resto de populações do mundo, ainda que antes se achava que por sua tez escura, cabelo muito encaracolado e reduzida estatura estes humanos eram muito diferentes dos indianos do continente. Uma teoria sustentava inclusive que eram descendentes de um grupo diferente ao dos humanos que partiram da África há uns 60.000 anos para povoar o resto do planeta e do qual descendemos todos os Homo sapiens.

O mais surpreendente do estudo é que o genoma desta população contém fragmentos que não correspondem aos de nenhum humano atual. Segundo os pesquisadores, trata-se de restos do genoma de um antecessor extinto com o qual os Homo sapiens cruzaram e tiveram descendência. A identidade desse hominídeo não é conhecida ainda pela ciência.

Em relação ao trabalho, Alan Cooper, pesquisador da Universidade de Adelaide, Austrália, opina que como este estudo apoia que só existiu uma saída da África faz uns 60.000 anos, a existência deste cruzamento reforça a possibilidade de que o Homo erectus (espécie que possivelmente protagonizou o cruzamento) sobreviveu até faz uns 60.000 anos nesta região, algo que ainda não foi confirmado com fósseis.

- "Assim como se apresentaram efeitos positivos e negativos do DNA neandertal presente nos humanos modernos, agora há que pesquisar o efeito do DNA denisovano e desta misteriosa fonte recém identificada", concluiu.

Via | NewSci.



Notícias relacionadas:

 

Comentários

Nenhum comentário ainda!

Deixe um comentário sobre o artigo