Astrofísico explica de que maneira seria fisicamente possível viajar ao passado

LuisaoCS

Astrofísico explica de que maneira seria fisicamente possível viajar ao passado

O astrofísico Ethan Siegel argumentou no blog Starts With A Bang, da Forbes, que a ideia de viajar no tempo ao passado poderia ser possível graças a algumas propriedades muito interessantes do tempo e espaço segundo teoria da relatividade geral de Einstein.

O cientista parte do conceito dos buracos de minhoca, também conhecidos como a ponte de Einstein-Rosen, que são passagens através do espaço tempo. No universo há flutuações quânticas minúsculas no tecido do espaço tempo, explicou, incluindo flutuações de energia nas direções positiva e negativa.

- "Uma flutuação de energia positiva muito forte e densa criaria um espaço côncavo de um modo particular, enquanto uma flutuação de energia negativa forte curvaria o espaço exatamente da maneira oposta, convexa", assinalou Siegel. - "Se conectarmos estas duas regiões de curvatura, poderíamos chegar por um breve instante à noção de um buraco de minhoca quântico."


O especialista explicou que se criarmos um buraco negro supermassivo e sua contraparte da hipotética massa ou energia negativa -que ainda não foi descoberta-, ao conectá-los deveríamos criar também um buraco de minhoca transitável. E aí é onde entra no jogo o conceito de dilatação do tempo: quanto maior for o movimento através do espaço, menor será o movimento através do tempo.

Por exemplo, imaginemos um par de buracos de minhoca, um dos quais permanece quase imóvel e outro que viaja a uma velocidade próxima à da luz durante um ano. Ao passar no ano, o buraco de minhoca imóvel teria envelhecido um ano, enquanto o buraco em movimento envelheceria 40 anos.

- "Se alguém tivesse criado um par de buracos de minhoca enredados há 40 anos e os tivesse enviado a essa viagem, hoje, em 2017, seria possível entrar em um deles e acabar em outro no passado, em 1978."

No entanto, o problema é que não poderíamos ser capazes de regressar do passado ao presente, conclui Ethan Siegel. Uma viagem sem bilhete de volta.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

Essa teoria da dobra so serve para a viagem no espaço, seria como um tunel ligando 2 partes da cidade em que se tem que dar uma volta muito grande para ir do outro lado, vc economiza distancia no espaço, usando o tunel, chegando mais cedo, mas nunca chegara antes de ter entrado no tunel.

Deixe um comentário sobre o artigo