Epigenética: como nossa saúde e nossos traumas são herdados a nossos filhos

LuisaoCS

Epigenética: como nossa saúde e nossos traumas são herdados a nossos filhos

Nos últimos anos a epigenética demonstrou que nossa concepção da herança como somente limitada ao DNA é errônea, já que é possível transmitir experiências a nossos filhos, as quais não se inscrevem no DNA. O vídeo no final deste post mostra como funciona um singelo exemplo na epigenética.

No caso de uma série de ratos de laboratório que receberam eletrochoques quando eram expostos a acetofenona, as seguintes gerações também desenvolveram neurônios sensíveis a este cheiro de frutas, transmitindo assim sua experiência do temor a este sinal, algo que evolutivamente poderia ser muito útil.


A genética, como a mal conhecíamos, dizia que características como a memória, as cicatrizes, os músculos (experiências, aprendizagens), não se transmitem, só o DNA, já que não fazem parte dele. No entanto, os pesquisadores notaram que estas experiências mudaram geneticamente às seguintes gerações, conquanto não quanto ao DNA senão como o código é lido. Nos últimos anos descobriu-se que a relação entre os genes e o meio ambiente é mais importante que a presença de genes individuais.

Um caso famoso com humanos foi documentado em Överkalix, Suécia. Para o espanto dos cientistas, crianças que tinham vivido temporadas de escassez nas colheitas tiveram uma descendência bem mais saudável que aqueles que tinham vivido temporadas de abundância: menos diabetes, maior longevidade, etc.

O doutor Bygren, autor da pesquisa, concluiu, eliminando fatores socioeconômicos, que de alguma maneira os habitantes de Överkalix estavam transmitindo experiências a seus filhos e netos. Isso sugere que não só passamos nossos genes senão também um aspecto qualitativo de nossa existência, incluindo nossa saúde ou alguns fatores que acostumamos a nosso corpo.

Outro estudo mostrou que os traumas que vivemos podem ser transmitidos até por duas gerações através do esperma.

Sem dúvida, tudo isto nos deixa pensando nas sutilezas dos mecanismos de herança e em como cada um de nossos atos molda às seguintes gerações e afeta sua facilidade ou dificuldade para adaptar às condições da existência.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

Nenhum comentário ainda!

Deixe um comentário sobre o artigo