Este vídeo explica com clareza como se formam as auroras boreais e austrais

LuisaoCS

De todos os fenômenos naturais que podemos observar na Terra, poucos tão impressionantes como as auroras que ocorrem unicamente em as regiões polares do planeta e que, por isso, recebem o nome de auroras boreais ou austrais, dependendo de onde aconteçam.

Entre as razões que tornam impressionante este espetáculo de luzes se encontra, por um lado, o incomum de sua ocorrência, pois conquanto existe uma temporada no calendário em que é possível observá-las, e igualmente pontos muito específicos do planeta para fazê-lo, ao mesmo tempo dependem de tantos fatores que de algum modo se trata de um fenômeno improvável. Mas além disso, sua existência se encontra em conexão direta com eventos astronômicos maiores, especificamente as tormentas e as erupções solares.


Grosso modo, de uma erupção solar são liberadas partículas carregadas eletricamente, as quais penetram no campo magnético da Terra e colidem com os átomos e as moléculas de nossa atmosfera. Desta reação originam-se inumeráveis partículas de luz, chamadas fótons, que formam a aurora.

As colisões com o oxigênio produzem auroras vermelhas e verdes, enquanto o nitrogênio produz cores rosa e púrpura. O fenômeno rodeia as regiões polares da Terra, a uma altitude entre 65 e 650km. O vídeo que abre este artigo oferece uma visualização sumamente precisa do fenômeno.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

Nenhum comentário ainda!

Deixe um comentário sobre o artigo