Esta é a fonte de felicidade em seu cérebro

LuisaoCS

Esta é a fonte de felicidade em seu cérebro

O neurocientista japonês Wataru Sato deu um passo importante no entendimento da neurologia da felicidade. Em um estudo de 2016 ele descobriu que as pessoas mais felizes têm um pre-cúneo maior. O pre-cúneo é uma zona na parte traseira do cérebro, escondida entre os dois hemisférios. A pesquisa citada é a primeira em relacionar esta área com a felicidade.

A equipe de pesquisadores comandados por Sato perguntou as pessoas sobre os dois componentes principais da felicidade, e os participantes assinalaram os seguintes:


  • A experiência de felicidade momento a momento.
  • O sentimento de satisfação com a vida.

As emoções positivas são o que naturalmente pensamos que é a felicidade: o prazer que obtemos de um alimento ou uma conversa. A satisfação com a vida, no entanto, vem mais das avaliações cognitivas do quão bem que estamos realizando as coisas em geral.

A satisfação é menos um sentimento e mais uma ideia ou pensamento. Os escâneres cerebrais revelaram que ambos os tipos de felicidade se relacionam com uma maior massa de massa cinzenta no pre-cúneo.

Esta é a fonte de felicidade em seu cérebro

A imagem esquerda mostra a localização do lado direito do pre-cúneo no cérebro. Na outra imagem podemos ver a associação entre o aumento de matéria cinzenta nesta área e o incremento da felicidade subjetiva.

O pre-cúneo já foi relacionado com todo tipo de funções, incluindo as reflexões sobre o ser, a memória e a própria experiência da consciência.

Os autores do estudo assinalam que esses resultados sugerem que o pre-cúneo pode desempenhar um papel importante na integração de diferentes tipos de informação e convertê-la em felicidade subjetiva. Mas a pesquisa não necessariamente leva a pensar que o nível de felicidade é imutável.

Esta nova visão de onde ocorre a felicidade no cérebro será útil para o desenvolvimento de programas de felicidade baseados em pesquisa científica.

Via | Science Daily.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

Nenhum comentário ainda!

Deixe um comentário sobre o artigo