O sexo proporciona mais felicidade que o dinheiro

LuisaoCS

O sexo proporciona mais felicidade que o dinheiro

O sexo e o dinheiro estão representados como coisas positivas em nossas vidas; sempre costumamos dizer que quanto mais melhor mas, é realmente assim? Segundo um estudo realizado pela Universidade de Toronto-Mississauga (Canadá), em 2016, nem o sexo nem o dinheiro proporcionam benefícios ilimitados para o bem-estar, mas o primeiro brinda mais felicidade que o segundo.

A pesquisa analisou três estudos diferentes com um acompanhamento realizado com mais de 30.000 pessoas durante mais de 40 anos. Primeiro, examinaram as respostas sobre o questionário realizado pela Universidade de Chicago a respeito da frequência sexual e o nível de felicidade geral de 11.285 homens e 14.225 mulheres entre 1989 e 2012; um questionário que se repetiu a cada 2 anos até a finalização do estudo.

Segundo o trabalho, manter relações sexuais uma vez à semana em média representava o número mágico da felicidade. Aumentar a frequência sexual não incrementou o nível de felicidade dos participantes.


- "Ainda que o sexo com mais frequência é associado a uma maior felicidade, este vínculo não foi significativo a uma frequência maior que uma vez à semana. Nossos achados sugerem que é importante manter uma relação íntima com o casal, mas sem necessidade de ter relações sexuais todos os dias", explica Amy Muise, líder do estudo.

O segundo estudo objeto de análise baseou-se em uma pesquisa a 2.400 casais casados e o questionário foi repetido a cada 2 anos durante 14 anos. A avaliação das respostas expôs de novo que os casais se encontravam mais satisfeitos com suas relações com apenas uma prática sexual por semana; menos resultava infelicidade e estresses e mais não gerava mais felicidade.

No terceiro estudo, os pesquisadores realizaram uma pesquisa on-line a respeito de seus rendimentos anuais com 138 homens e 197 mulheres com relacionamento estável e cujas relações sexuais eram de uma vez à semana em média. Depois de revisar os resultados, descobriram que existia uma grande diferença nos níveis de felicidade entre os que tinham uns rendimentos de 15.000-25.000 dólares ao ano em comparação com aqueles que ganhavam 50.000-75.000 dólares anuais em relação as estatísticas de felicidade com respeito à frequência sexual.

Aqueles que mantinham a média de uma relação por semana sempre relatavam mais felicidade independente dos rendimentos financeiros. Isto é, os resultados mostravam que o sexo estava mais fortemente relacionado à felicidade que o dinheiro.

- "As pessoas costumam pensar que quanto mais dinheiro e mais sexo, mais felicidade, mas isto só é verdade até certo ponto", esclareceu Amy.

O estudo, que foi publicado na revista Social Psychological and Personality Science, pode ajudar os casais que lutam para conciliar trabalho, filhos e outras responsabilidades, que equivocam-se pensando que eles não estão tendo "bastante" sexo, o que poderia ser assustador ou estressante. As descobertas de Amy, em verdade, sugerem que as pessoas podem ser capazes de se envolver em sexo com frequência suficiente para maximizar o seu bem-estar, sem o objetivo de se envolver em relações sexuais tão frequentemente quanto possível.

Via | Huff Post.


Notícias relacionadas:

 

Comentários

Existem diversas coisas melhores que sexo. Basta ter alguma experiëncia de vida e mais de 35 que entenderás.

Deixe um comentário sobre o artigo