O engano (e o autoengano) como forma de aumentar a inteligência

LuisaoCS

Cada vez há mais pesquisadores que sugerem que a inteligência desempenha um importante papel nas estratégias do engano, inclusive em outras espécies não humanas. Por exemplo, entre os macacos há uma correlação entre o tamanho do neocórtex e o uso do engano tático na natureza, categoria que compreende qualquer classe de engano que possa oferecer alguma vantagem evolutiva.

Da mesma forma, o tamanho relativo do neocórtex oferece uma medida razoável da inteligência relativa, em particular da inteligência social. Talvez também ocorra o mesmo com o autoengano, tal e qual explica Robert Trivers em seu livro "The Folly of Fools":


"Veremos mais adiante que, dada uma idade determinada, as crianças mais inteligentes são os que mentem com mais frequência. Impossível exagerar a importância desta descoberta. Costumamos achar que, a maior inteligência, terá menos engano, ao menos isso é o que imaginam os intelectuais. E se o contrário fosse verdadeiro, como acho que o é? E se, em média, as pessoas inteligentes mentissem e mentissem mais para si mesmas do que os menos dotados?"

Focado deste modo, o engano (e o autoengano) é um procedimento evolutivo do qual participam muitos jogadores que levam adiante diversas estratégias com vários graus de engano consciente ou inconsciente.

A inteligência, segundo alguns evolucionistas, aflora de uma guerra maquiavélica da manipulação e de resistência à manipulação. Segundo as palavras dos pesquisadores William Rice e Brett Holland, da Universidade de Califórnia:

- "É possível que o fenômeno ao qual nos referimos como inteligência seja um subproduto do conflito intergenômico entre os genes que intervêm na ofensa e na defesa no contexto da linguagem".

O autoengano, ademais, pode constituir uma forma de proporcionar uma defesa psicológica para a realidade e os embates que ameaçam nossa felicidade e otimismo, como assinala de novo Trivers:

"Segundo esta última teoria, a felicidade tem entidade própria, faz parte de nossa saúde mental. Portanto, vale a pena protegê-la, e para isso contamos com um sistema imunológico psicológico que defende nossa saúde mental bem como o sistema imunológico orgânico protege nossa saúde física."

Notícias relacionadas:

 

Comentários

Nenhum comentário ainda!

Deixe um comentário sobre o artigo